A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


29/07/2015 09:30

A comunicação e a lama do Poder Executivo S/A

Reinaldo Rosa

SEM ADITIVOS - Atuais noticiosos televisivos nadam nas ondas da liberdade de expressão. A onipresença de censores de aluguel nas redações provoca informativos insossos e inodoros. Informar sobre formas de locupletação orquestradas por alguns está em voga.

Veja Mais
O espaço do futebol de MS nas emissoras locais
Pautas importantes passam batidas em noticiários locais

ANUNCIANTES SIM – Poderes constituídos utilizam-se da comunicação social como forma de informar sobre o desempenho de suas funções. Classificados como grandes anunciantes, alguns dirigentes públicos exorbitaram na função de ‘editores’ de redações locais.

CENSURA NÃO – Próximo do final da administração estadual passada, repetidora de TV, de Campo Grande, experimentou o veneno da audiência. Capo de plantão exigia (este o termo) divulgação de ibope que o classificasse como ‘o Chefe do Executivo mais bem avaliado, no Brasil’. “Ou a fatura do mês não será paga”, avisava.

AQUI NÃO – Firme, a emissora não atendeu à ‘solicitação’ emanada do chefão. Recebeu a fatura vencida e, ainda, veiculou considerável mídia, própria de administrações em final de festa.

TELA QUENTE – A ação entre amigos, foco da operação ‘Lama Asfáltica’ mostra, paralelamente, peculiaridades do jornalismo desenvolvido a partir de Campo Grande. Notas de esclarecimento para justificar comportamento de editores aquecem o noticiário, antes, inebriante.

QUEM DÁ MAIS - Reportagem do ‘Jornal do SBT/MS’, com apresentação de Marcos Anelo mostrou algo mais que o enfoque dado pela concorrente TV Morena. No ar, até aonde vai a tal liberdade de expressão E de trabalho dentro das redações.

VEM PRA CÁ - Nesta sexta-feira e sábado tem apresentação da peça ‘Os Homens são de Marte e é pra lá que eu vou’, com Mônica Martelli, no Teatro Glauce Rocha, em Campo Grande. O espetáculo –já apresentado por aqui- retorna com texto atualizado e coerente com a realidade atual. A promoção é de Pedro Silva.

HORA DA VINGANÇA – A missão. Radialistas foram defenestrados de seus postos em emissoras a partir de ‘sugestões’ de ex-grandes chefes sentados em gabinetes públicos. Empresários da comunicação, atualmente, sentem-se aliviados com a troca de comando emanada das urnas. E buchichos resultantes de enlameado asfalto.

SONHO MEU - José Luiz Datena decidiu disputar a Prefeitura de São Paulo em 2016. O jornalista participou nesta terça-feira (28) de reunião onde ficou decidido o lançamento da sua candidatura pelo Partido Progressista (PP). Afirma que não fará coligações com outros partidos e assegura que poucos conhecem tão bem os problemas de São Paulo como ele. Começou o ‘Eu prometo’.

O espaço do futebol de MS nas emissoras locais
TABELINHA – Consagrado cronista esportivo de Campo Grande ‘veste uniforme’ para entrar em campo. Durante (longuíssimos) dois meses, radialistas do mu...
Pautas importantes passam batidas em noticiários locais
FILHOS DA PAUTA – Muitos pauteiros de plantão não dedicaram uma linha para assunto digno de discussão. No país que tem a Educação cantada em prosa e ...
Férias de notícias nas rádios é mudança certa de estação
RETROSPECTIVA E PERSPECTIVA – Melhor spot de rádio em 2016, mensagem do 'paraguaio' para marca de tereré continua líder neste início de ano. QUE M – ...
Crise nos presídios e a crônica policial fora de contexto
BANDIDO BOM, BANDIDO MORTO – Redes de TV exibiram farto material sobre mortes em presídios de Manaus e Roraima. Ministro da Justiça convoca reunião d...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions