A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


20/11/2013 09:01

Provocações

Reinaldo Rosa

JULIO DE CASTILHOS - Alguns jornalistas dos dois impressos diários, de Campo Grande, assumiram a grafia certa do nome do herói gaúcho (com S no final). Como veículo difusor popular de cultura espera-se que a Agetran também faça a devida correção nos ônibus que circulam na capital. Nunca é tarde para corrigir erro escancarado.

Veja Mais
Profissionais de rádio se aventuram na internet
Horário engessado limita noticiário de emissora

COMISSÃO - A palavra comissão (não aquela referente a retorno de negociatas) expressa união de pessoas em busca de consenso sobre fato determinante. Quando envolve entes públicos e suas mirabolantes -e estranhas- formas de poder, quanto mais entidades da sociedade tiver, mais representativas serão tais Comissões.

BARRADOS NO BAILE - A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de Campo Grande acionou o Ministério Público Estadual para investigar a legalidade da participação do prefeito da capital em programa de rádio. A transparência nas intenções dos ínclitos vereadores seria notada se, antes da iniciativa, os sindicatos dos Radialistas e de Jornalistas fossem convidados para colaborar na elaboração do documento destinado ao MPE. Pergunta que querem calar; é somente o prefeito que se utiliza do rádio para difundir ações, em Campo Grande?

MIREM-SE NO EXEMPLO - O julgamento do mensalão deu mostras de como a Justiça deve ser exercida; vários envolvidos em crimes com finalidade de corrupção explícita. Modus operandi distintos entre si, mas delito único.

MEIO GRÁVIDA - Legisladores-apresentadores comandam programas - de péssima produção e gosto - com as mesmas finalidades que tanto incomodam integrantes da paladina CCJ. Mas, somente quando se refere ao prefeito. Nos artigos da Lei Orgânica do Município teria alguma ressalva para meia improbidade?

TEORIA DA RELATIVIDADE - Robin Hoods que retumbam suas vozes através das ondas do rádio -e TV- diante de certos questionamentos sempre relativizam pareceres que os incomodam. "Uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa" é a original resposta para perguntas com efeitos bumerangue. Teoria do domínio do fato é papo para o STF.

JÔGO JÁ COMEÇOU - Leitor da coluna questiona porque a TV Morena inicia com atraso as transmissões dos jogos do Brasileirão. A emissora foi consultada - através do Departamento de Operações - e, (usando um surrado refrão jornalístico) até o fechamento desta edição, não obtivemos retorno (não aquele). Em tempo; hoje também haverá o dito atraso. Põe na Guanandi.

SHARBAT - Falando nisso, no (antes) chamado horário nobre a emissora continua com escassa mídia publicitária. Para cobrir o vácuo temos mensagem dos mesmos supermercados; sugestão daquelas músicas da Som Livre - que tem quem goste - e outras "da casa". Cortadas (por inocuidade), certamente os jogos fossem transmitidos a partir do ponto zero.

DE TANTO CRESCER AS NULIDADES - O engessamento das programações musicais de rádio e televisão baseado na mesmice alcançou mares nunca dantes navegados. A ausência de grandes -e talentosos- nomes do cenário musical brasileiro virou piada internacional; a abertura da Copa 2014 terá Rick Martin e seus requebros conhecidos, manjados e esgotados.

ESSE NÃO - A sugestão de Marin (presidente de plantão da CBF) ao suíço Blater e seus asseclas chutadores de traseiros, recaiu sobre seu preferido Luan Santana. Vai daí que: um, dos, três, arriba muchachos e muchachitas.

MAIS DOS MESMOS - Coronel Davi; Mário Cesar; Promotora Volpe, 'Doutor' Francisco Cesário (ressurgindo da alcova); Chico Maia; deputado Marun e outros. Por mais que os fatos mudem, os entrevistados dos jornalismos radiofônicos, de Campo Grande, são os mesmos. Enquanto 'seu' lobo governador não vem.

Profissionais de rádio se aventuram na internet
RÁDIO PRA QUEM QUISER – Amor ao rádio provoca mudança de tratamento no segmento; profissionais fora do escasso mercado radiofônico local ‘fundam’ as ...
Horário engessado limita noticiário de emissora
PLANO DE VOO – Segunda-feira, às 4h10, o ‘Plantão da Globo’ anuncia a queda do avião com a delegação do Chapecoense. Um minuto após, volta a exibição...
Crise afeta dízimo e vida de TVs de evangélicos
MILAGRE ECONÔMICO – Com a crise econômica nos últimos anos, os fiéis de igrejas evangélicas sumiram dos templos e murchou a principal fonte de pagame...
Jornalismo local está cada vez mais nas redes sociais
ASSISTINDO AGORA – Uma semana do novo ‘Tribuna Livre’, na Capital FM, com transmissão, também pelo Youtube. A novidade ainda não empolgou a linha de ...



Geeenteimm... o que que isso esses dias liguei a Tv, e me deparei com uma situação que me achei um verdadeiro imbecíl de plantão. Estava passando um programa na Tv, e eu me perguntei, o que leva um empresario de Tv, colocar uma coisa dessa no ar, e forçar os seus telespectadores a assistir. Perai já vou dizer do que estou falando, tô falando de um programa, sem nexo, de um programa sem contudo, De um programa que me deixou com de duvidas sobre a capacidade dos profissionais de imprensa da capital, bons profissionais que não tem oportunidade ou não procuram essa oportunidade, sei la. Poque quando a gente vê, MAGALI PICARELLI NO AR, apresentando um programa só dela, a gente fica em duvida se é um verdadeiro incompetente..e não tem nada que tira essa nossa DUVIDA, nem a MAGALI PICARELLI.
 
Josimar Guedes de Arruda em 21/11/2013 23:51:05
TENSO ESSA TEORIA CONSPIRAÇÃO DOS NOBRES VEREADORES DE CAMPO GRANDE. ESTÃO SE UTILIZANDO DO ADÁGIO "FAÇA O QUE DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE FAÇO".
 
GILSON DE OLIVEIRA CANO em 21/11/2013 13:00:34
Caro amigo, (sou leitor desta coluna e por isso me atrevo a chama lo de amigo)

Entendo que por vezes as pessoas leigas em rádio e televisão queiram opinar, manipular e até provocar o ministério público, tentando desta forma atrair a atenção para si e sem se ater que existe leis que regulamentam os "Profissionais" de rádio e televisão, ocorre que os donos da bola empresários que abrem espaço para aprendiz de feiticeiro também são responsáveis pela ação desastrosa de muita gente que usurpa função na área de comunicação do estado. Por fim em nome do nosso Sindicato de Rádio e Televisão agradeço pela indicação aos curiosos que na próxima investida consulte quem representa a classe de fato e de direito.

Cesar Moura-DRTMS/054- Diretor de formação do SINTERCOM/MS
 
cesar moura em 21/11/2013 12:22:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions