A notícia da terra a um clique de você.
 
31/07/2016 07:00

A violação das massas pela propaganda política

Mário Sérgio Lorenzetto
A violação das massas pela propaganda política

Joseph Goebbels, ministro de Propaganda de Adolf Hitler, dispensa apresentações. Pouco ou muito, é conhecido de todos. Seu papel, fundamental, para a chegada e manutenção de Hitler ao poder vem sendo esmiuçado há décadas em todos os meios de comunicação.
Sergei Tchakhotine, o "Goebbels Vermelho", é o oposto. Militava no campo oposto e detinha uma erudição nunca vista. Ao contrário de Goebbels, seus estudos foram publicados em um livro: "A violação das massas pela propaganda política". Livro que, devido a sua importância, chegou a ser proibido na França - um país onde não existe proibição para a publicação de livros. Tchakhotine é um ilustre desconhecido para a quase totalidade dos brasileiros.
Seus estudos mostram a importância de Pavlov para o domínio das massas. A ideia central é o reflexo condicionado. Discorre exaustivamente sobre como Goebbels e Hitler chegaram ao poder sem nada saber sobre propaganda, mas intuitivos, criaram uma vasta máquina de dominação das mentes alemãs e de parcela importante das populações de todos os países. A grande tarefa que Tchakhotine se impõe é a de criar um sistema para dominar as populações. Ele é o grande precursor dos atuais marqueteiros. Não é possível entender como somos manipulados por eles sem a leitura de Tchakhotine.
Pela primeira vez um marqueteiro brasileiro "confessa" a origem de sua "arte enganatória". João Santana, o marqueteiro de Lula e Dilma, acaba de afirmar ao juiz Moro que admira Sergei Tchakhotine. Goebbels e Tchakhotine são os pais dos marqueteiros. "A violação das massas pela propaganda política" é a leitura ideal para todos os candidatos e, principalmente, para os eleitores que não desejam ser ludibriados.

Veja Mais
Os governantes que ouvem os cidadãos
Prefeituras iniciam decretos de calamidade financeira

A violação das massas pela propaganda política

Devemos tirar férias?

Há muito faço a mesma pergunta: merecem as férias o dinheiro extra que gastamos com elas? As férias pesam no orçamento familiar, exigem um esforço logístico e monetário e raramente são sinônimo de descanso. E claro que existem estratégias que minimizam o estrago. Hospedar em casas de parentes é uma delas. Mas há algo inegável: as férias servem, prioritariamente, para construir memórias. É por isso que serve aquele esforço, o dinheiro que "puxamos" de um mês para o outro, que poupamos para fugir da rotina por alguns dias.
Com um esforço que não ponha em xeque as finanças familiares, as férias merecem as despesas extras. E que sejam efetivamente aproveitadas, para que as memórias sejam doces.

A violação das massas pela propaganda política

As férias sonhadas (pelos cachorros).

Existem milhares de cães em Campo Grande. Com o início das férias, é comum alguns serem abandonados por seus donos. Mas também há muitas pessoas que os hospedam em hotéis devidamente equipados para recebê-los. Há, pelo menos, quatro hotéis "bons pra cachorro" na Capital. Um deles, conta com piscina, pista de brita, pista de areia, área de lazer, área de recreação, taxi dog, para apanhar o amigo e levá-lo de volta para casa, e 25 baias, amplas e arejadas, para proporcionar um bom conforto ao cão-amigo.
É importante recordar que a lei diz que praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais está sujeito a, no mínimo, três meses de prisão e multa (até R$ 15 mil). Essa pena pode aumentar muito mais se ocorrer a morte do animal.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.