A notícia da terra a um clique de você.
 
21/01/2014 08:31

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

Mário Sérgio Lorenzetto
Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

Faculdade é para pobre?

Veja Mais
O Brasil voltou aos mesmos ideais de 1920
Os governantes que ouvem os cidadãos

Se tem uma coisa que bilionário gosta é de viajar. É o que diz o primeiro censo global de bilionários, publicado pelo banco UBS e pelo Instituto Wealth – X. Eles são apenas 2.170 pessoas e juntos possuem US$ 6,5 trilhões, mais que o PIB (Produto Interno Bruto) de qualquer país, exceto China e EUA.

Cada bilionário gasta, em média, US$ 22 milhões com iates e US$ 16 milhões com aviões particulares. Mas de estudar eles não gostam tanto. É bem provável que na empresa onde você trabalha existam, proporcionalmente, mais pessoas com nível superior do que nessa elite. A região onde a escolaridade é mais baixa – o Oriente Médio – é também aquela na qual se gasta mais com iates e aviões. O relatório do censo diz que: “Isso sugere que, enquanto a educação pode ajudar alguém a se tornar rico, ela não é pré-requisito para se conseguir uma fortuna bilionária”.

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários
Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários
Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

A VALE diz que o mundo será liderado pela China, felizmente

A VALE, uma das maiores empresas brasileiras com unidades espalhadas no Canadá, Indonésia, China, Japão, Inglaterra, Austrália, Peru, Chile e Moçambique, já não é mais a mesma. Passou por uma grande reformulação que decidiu não buscar mais ser a número 1 do mundo e sim a com o melhor retorno.

Com esse tamanho e conhecimento, a empresa entende que o problema da economia mundial está na Europa e nos EUA e não na China. E mostra números para corroborar a afirmação. Em 2013, a China produziu 780 milhões de toneladas de aço. No ano anterior foram 720 milhões e em 2011 fabricou 683 milhões. Dizem que não há desaceleração chinesa. Também afirmam que essa propagandeada desaceleração não tem sido sentida na China.

Quem está em crise é quem está em recessão como a União Europeia ou quem cresce 2% ao ano, como os EUA. O mundo está vendo o poder migrar para o Oriente e isso não é confortável. Os comentários da mídia norte americana em relação à China são sempre feitos com desdém. É inexorável: o mundo será liderado pela China. Felizmente.

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

Mundo mais justo com a riqueza concentrada na China, Índia e Nigéria

Se a riqueza ficar concentrada em um país de 300 milhões de pessoas ao invés de em um país com 1,3 bilhão, o mundo vai continuar injusto. O mundo será mais justo quando a riqueza estiver concentrada na China, Índia e Nigéria, onde estão os grandes contingentes populacionais. Esta é a posição da VALE sobre a competição internacional entre as grandes potências. Muito favorável aos interesses atuais brasileiros.

Outra posição da empresa é sobre a vocação brasileira de ser exportador de commodities. Dizem que o Canadá é exportador de commodities e tem orgulho disso. Os australianos também. Ser um grande exportador de commodities é a vocação do Brasil. Afirmam ainda que a indústria vai ficar mais voltada para o mercado interno.

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários
Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

Turismo prepara cidades-sede para protegerem o consumidor na Copa

Começou ontem uma discussão que vai impactar até em Campo Grande: o direito do consumidor na Copa. A primeira, isso, primeira reunião ocorreu em Natal e vai haver outras em Recife e Manaus. Oportunas, claro, as discussões têm como foco diagnosticar deficiências e criar mecanismos para atendimento rápido aos turistas brasileiros e do exterior. Participam porta-vozes das cidades cedes e representantes do governo federal. Serão diagnosticados serviços ligados ao turismo como hospedagem, locais de retirada de ingressos, alimentação e transporte. O que não foi informado a eles é que esse trabalho todo, muito válido, está muito, mas muito atrasado. As reclamações em relação ao atendimento ao turista nas cidades sede não começaram ontem.

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários
Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários

A flexibilização da política do filho único na China e a indústria de fraldas

Está pensando em ter filhos? Há uma forma bastante lógica de saber o que te espera: o preço das fraldas. Fabricantes desse produto riram de orelha a orelha quando a China anunciou a flexibilização da política do filho único e permitiu que as famílias tivessem ao menos duas crianças. Fraldas e mais que chegaram a uma cifra de US$ 6 bilhões somente no ano passado. Não vai dobrar de um ano para o outro, prevê o Instituto Euromonitor, mas vai crescer e muito a demanda. Outro setor que vai lucrar com o aumento das famílias chinesas é o de Educação. Hoje, os chineses protagonizam fábulas para manter os filhos nas melhores escolas e, assim, terem maiores chances de competitividade. Mais filhos significam ainda: casas maiores, maior demanda por roupas, comida, móveis... E cada indústria lucrando ao seu tempo com mais chineses no mundo.

Afinal de contas, faculdade é para pobre? O censo global dos bilionários



Ser bilionário, ou conquistar uma grande riqueza, não implica em ser o mais aplicado nos estudos. Ganhar dinheiro com inovação, novos negócios, empreendedorismo é um dom, as vezes um golpe de sorte, uma determinada visão ou perseverança. Por exemplo, existem muitos grandes gênios de informática, melhores que Bill Gates ou Steve Jobs, no entanto a visão e inteligência destes 2 que propiciou uma grande riqueza monetária e eles.

Quanto a reportagem sobre a Vale, é um grande negócio a produção de commodities também, podemos estar muito bem produzindo commodities, porém o mais importante é agregar tecnologia e eficiência na produção, exemplo antigamente produzia-se 20 sacas de soja por hectare, hoje passa de 50. Então sejamos os melhores naquilo que sabemos fazer.
 
Luiz C Santini Jr em 21/01/2014 16:03:44
Não importa quem manda ou quem mandará no mundo, o importante é como vão fazer isso. Na China o trabalho é praticamente escravo, trabalha se muito ganha se quase nada. Temos que nos preocupar em viver melhor, o mundo foi feito para ser explorado, não somente seus recursos naturais, mas a contemplação de tudo o que existe, o conhecimento da história e dos mistérios que existem. Do que adianta eu morar aqui em Campo Grande - MS próximo ao Pantanal, sendo que não tenho condições nenhuma de ir visitar as belezas de minha terra? Justiça Social é o que deveria existir, Infelizmente pelo menos no Brasil isso está a cada dia mais longe de acontecer, o governo se perpetua com uma imensa lavagem cerebral: "ta tudo ótimo" As pessoas trabalham tanto que só querem descansar. Temos que lutar por Justiça
 
Heliton Barão Silva em 21/01/2014 15:58:35
Já que não há mais quem segure a China, que pelo menos fabriquem produtos confiáveis e de qualidade, principalmente ferramentas que não quebrem ao menor esforço.
 
ELUIZ SILVA PAULON em 21/01/2014 12:15:04
O mundo não será liderado pela China, já está sendo. Eles só não não mandam no que ainda não querem. Mandam até nós estados unidos. Compram tudo de todos os países. Temos de nós preocupar em vender mais para eles.
 
Aristides Mendonça em 21/01/2014 11:23:39
Nós somos exportadores de commodities e também temos orgulho disso. Só os paulistas ficam sonhando em exporta sapatos.
 
Luciano Vendramin em 21/01/2014 09:07:25
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.