A notícia da terra a um clique de você.
 
22/06/2015 07:50

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

Mário Sérgio Lorenzetto
Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

Lava-Jato ou Tsunami?

Veja Mais
Diga sim à vida. O aborto é inaceitável
EUA: a homeopatia terá de informar que não funciona

Tudo começou em uma rede de lavanderias e postos de combustíveis. A operação visava combater a lavagem de dinheiro público em algumas empresas de Brasília. A denúncia original partiu do empresário Hermes Magnus. Proprietário da empresa de certificação Dunel Indústria e Comércio denunciou à Polícia Federal a tentativa de um grupo de lavar dinheiro em sua companhia. Prenderam dezenas e processaram outras dezenas de empreiteiros, doleiros, colaboradores de todas as funções e políticos. Faltavam os maiores - Odebrecht e Andrade Gutierrez.

Com a prisão dos donos dessas empreiteiras, um novo frisson tomou conta da imprensa e das redes sociais; muitos esperam que denunciem Lula, Dilma e uma lista interminável de políticos do PT, PSDB, PMDB e demais partidos. O apocalipse está de volta. Nada melhor que um novo escândalo assombrando o país. Haveria um tsunami chegando às praias dos dois e da República brasileira. O quanto pior é melhor, retornou de suas curtas férias. Perguntam se nesta segunda-feira ainda existirá a República e a democracia no Brasil. A resposta é definitiva: existirá. As prisões desses empreiteiros e de políticos é um sinal da força da República e da democracia. Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964; não serão as prisões de dois empreiteiros que destruirão a República e a democracia. A quartelada é inaceitável.

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964
Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

Todo homem passou a ter voz. Surgiu a democracia no horizonte.

Tudo indica que a democracia tenha surgido no ano 507 antes de Cristo. É bem provável que seu criador tenha sido um homem chamado Clístenes. Durante longos 100 anos ela evoluiu para um sistema radical onde todos os homens (mulheres estavam excluídas) com mais de 18 anos tomavam todas as decisões sobre a execução de seu próprio estado. A consequência foi que não havia políticos. Até mesmo uma grande figura ateniense como Péricles não tinha autoridade sobre a assembleia popular. Ele apenas tentava persuadir os presentes de que sua visão das coisas estava certa, mas se eles não gostassem, poderiam rejeitá-la. A democracia ateniense durou em torno de 180 anos. Foi destruída pelos macedônios em 323 antes de Cristo.

Há muitas críticas a ela desde então, mas há algo difícil de ser contestado - eles não eram gananciosos; poderiam ter votado e escolhido o caminho de conseguir sacos de ouro para si mesmos e pensões para a vida toda e não o fizeram. O que vivemos hoje é uma oligarquia eletiva. Escolhemos políticos para dirigir nossos rumos. Ela é fraca quando comparada com a democracia ateniense que foi um grande "salto" realizado pela humanidade. A nossa não pode ser chamada nem de um "passo".

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964
Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

A colheita de almas. Como Hitler triunfou e Campo Grande poderá aprofundar o caos.

O modo como o nacional-socialismo, mais conhecido como nazismo, pode dominar um país tão avançado como a Alemanha é uma questão que inquieta e preocupa a todos os estudiosos desde sua ascensão ao poder nos anos 1930. Muitas respostas foram dadas, nenhuma conclusiva. O temor de uma repetição corrói os pensamentos até os dias atuais. Todavia, há algo que todos concordam - a importância capital da figura de Adolf Hitler para compreender o que ocorreu.

Sem dúvida tudo começou com o estado de ânimo do povo alemão nos anos posteriores à Primeira Guerra Mundial. Militarmente derrotados. Economicamente arruinados. Politicamente incomodados. E espiritualmente confusos. Passaram a sonhar com um "Salvador da Pátria", alguém que os tirasse da inércia e lhes devolvesse a segurança de outrora. Tal líder não poderia ser um político qualquer, como esses que pululam por aí prometendo algumas melhorias sociais aqui e alguma queda nos impostos ali. Teria de ser alguém que oferecesse a conquista de objetivos muito mais elevados, praticamente de redenção coletiva. Deveria possuir uma espécie de dom, de magia, que não se dirigisse à inteligência, e sim apelasse aos sentimentos, às emoções. Teria de ser um líder carismático. Adolf Hitler o foi. Tinha grande capacidade retórica. Oferecia uma revolução nacional embasada na raça ariana e em uma sociedade sem classes. Ele foi buscar seu discurso nas ideias dos comunistas; se propunha a construir, tal como os comunistas, uma sociedade onde todos fossem econômica e socialmente iguais, extirpando as classes sociais.

Pouco a pouco, sua figura foi rodeando-se de uma aura especial, até ser considerado não como um mero político, mas sim como um "profeta tocado pela divindade". O único capaz de saber o que melhor convinha à Alemanha. Essa é a maior "residência" do perigo para os ideais democráticos. Sempre surge um "Salvador da Pátria" para destrui- la. Campo Grande acabou de presenciar um homem com um poderoso discurso... e prática caótica. O caos permanece, e pode ser aprofundado nas eleições de 2016. Lembrem-se de não votar em quem profere belos discursos.

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964
Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

O boicote à Nutella.

A Ministra francesa da ecologia declarou guerra à Nutella, o famoso creme de avelã italiano presente em todas as gôndolas de supermercados no mundo. Imediatamente o governo italiano respondeu raivosamente ao ataque: a Nutella é uma tradição no país desde a época da Segunda Guerra Mundial.

A acusação, fundada, da ministra é a de que a Nutella usa o azeite de dendê em sua produção e que a plantação dos dendeiros, árvores que produzem o azeite, está causando desmatamento em muitas regiões do mundo. É verdade. O óleo de palma ocupa o primeiro posto nas vendagens mundiais de óleos. Há uma gama de produtos que utilizam esse óleo que vai da cozinha até a borracharia. E sua plantação, especialmente em países asiáticos, vem devastando florestas há decênios. Mas qual plantação que origina óleos que não devasta florestas? Para não ir longe, a soja e o milho eliminaram nossos matos há 30-40 anos. O mato que existe no Mato Grosso do Sul é a palavra "mato". E a França tem florestas? Esse boicote cheira a interesses econômicos inconfessos, travestidos de ecológicos.

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964
Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964

A disputa pelo posto de "hambúrguer mais caro do mundo".

O restaurante britânico Honky Tonk resolveu criar o hambúrguer mais caro do mundo. Ele foi denominado "glamburguer" e todos os ingredientes são raros e caros. O bolo é feito com carne de cervo neozelandês misturado à carne do boi japonês wagyu e fica perfeitamente balanceada em termos de teor de gordura. É temperado com sal do Himalaia, servido com lagostas canadenses e flores de açafrão iraniano. No topo do sanduíche aparece caviar de beluga e ovo defumado de pato. O pão é temperado com maionese japonesa e revestido por folhas de ouro comestível. Prá lá de luxuoso. Sabem quanto custa o "mimo"? R$ 4.260.

Todavia, esse não é o hambúrguer mais caro do mundo. O mais caro não tem luxo algum, foi produzido nos Estados Unidos em 2011 pela lanchonete Juicy´s Outlaw Grill. Ele custou R$ 10.000 e pesou 350 quilos. Aliás, você pode pedir por um gigante como esse, só tem que ter paciência - 48 horas de antecedência - e o dinheiro. Quem vencerá a disputa? O luxo ou o tamanho?

Atravessamos um tsunami maior e com mais energia nos idos de 1964



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.