A notícia da terra a um clique de você.
 
04/03/2014 07:00

Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas

Mário Sérgio Lorenzetto
Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas

As “salas seguras” holandesas para o tratamento de dependentes químicos

Veja Mais
O ronco da barriga é o fator decisivo
Povo nas ruas novamente. Como fica a Previdência?

A cidade de São Paulo e Amsterdan, capital da Holanda, firmaram na última semana memorando de cooperação para a troca de experiências de políticas públicas. A mais importante é a experiência para a reintegração social de usuários de drogas.
Exaltaram o modelo para tratamento de dependentes químicos na capital holandesa, onde viciados em heroína frequentam, há quase 40 anos, espaços pertencentes à prefeitura – as salas seguras – para consumir a droga com acompanhamento de médicos e enfermeiras.
A posição da Prefeitura de São Paulo é a de que o Poder Legislativo brasileiro lidere um debate que contemple a substituição do consumo de crack em cracolândias pelo uso controlado pelos governos em salas seguras como as holandesas. O argumento é o de que, nelas, ocorre a separação do traficante do usuário visando facilitar o tratamento.
A prefeitura paulista organizou o programa Braços Abertos, que emprega, paga salários e oferece moradia para 400 viciados em crack no centro de São Paulo.

Existem dois tipos de salas seguras na Holanda

Em uma delas o usuário recebe a droga do governo para consumo próprio e no outro modelo, o usuário leva a droga de sua residência para a sala segura. A favor ou contra o modelo das salas seguras, o mais importante é que a Prefeitura de São Paulo não está na inércia. Poderá acertar ou errar, mas está procurando alternativas ao eterno descaso público ou à costumeira demagogia eleitoreira.

Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas
Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas

Uma nova visão para cegos

Um sensor adaptado aos óculos, desenvolvido pela empresa israelense OrCam, permite que deficientes visuais “enxerguem” pessoas e objetos. Eles poderão entrar em um supermercado pegar uma lata de ervilha, por exemplo, e ler com facilidade o rótulo. Seu minúsculo computador, programado com algoritmos, alimentado por uma câmera e uma bateria duradoura, consegue identificar milhares de objetos com um mero apontar de dedos, inclusive “ler” textos. A informação chega ao usuário por áudio.

Na prática, é uma câmera pequena, usada de forma muito similar ao Google Glass, que se conecta por meio de um pequeno fio ao computador compacto, desenvolvido para caber no bolso do usuário. O sistema é acoplado aos óculos do usuário com um imã e usa um alto-falante de condução óssea que garante nitidez na leitura das palavras ou objetos apontados pelo usuário. O preço é comparável ao de um aparelho auditivo, pode ser comprado no site da empresa por aproximadamente US$ 2,5 mil.

Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas
Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas

Salários dos executivos brasileiros aumentaram mais que dos estrangeiros

Quem afirma é a consultoria Robert Walters, que divulgou pesquisa ontem e alerta que, no mercado brasileiro não serão esperados saltos nos salários no decorrer de 2014. Já o destaque do soldo brasileiro em relação aos executivos de outros países é justificado pela depreciação do dólar. Para este ano, os aumentos salariais devem seguir a inflação e ficar em 8% para os trabalhadores que permanecerem em seu cargo atual. No ano passado, em São Paulo, houve aumento de remuneração em todos os cargos, enquanto em Nova York, Londres e Paris os salários ficaram estáveis ou recuaram.

A consultoria aponta que o aumento dos rendimentos também abre o olho da Receita Federal para os profissionais e empresas. O objetivo é evitar as maquiagens na remuneração para fugir do Imposto de Renda.

Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas
Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas

Papa Francisco condena idolatria ao dinheiro

Em mais uma declaração que surpreende, o papa Francisco voltou a questionar a cultura do dinheiro e lançou advertências àqueles que são “prisioneiros” de suas riquezas. Para o pontífice, essas quem leva essa forma de vida, se distância de Deus vive infeliz.

A advertência ocorreu durante a missa na casa Santa Marta, ontem. No pensamento do papa, muitos jovens "bons" padecem da infelicidade de serem escravos do dinheiro. Ele pediu que os presentes rezassem para que essas pessoas saibam responder ao chamado de Deus, esquecendo seus próprios interesses. O sermão ocorreu no mesmo dia em que o Francisco designou o monsenhor Alfred Xuereb como secretário-geral da Secretaria para a Economia do Vaticano.

Cooperação SP/Holanda visa reintegração social de usuários de drogas



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.