A notícia da terra a um clique de você.
 
13/11/2013 07:29

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Mário Sérgio Lorenzetto
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Será construída a ferrovia que ligará Brasil, Bolívia e Peru?

Veja Mais
EUA: a homeopatia terá de informar que não funciona
Novo aparelho promete deixar a nicotina e eliminar as toxinas

O presidente da Bolívia, Evo Morales, confirmou para breve o início da construção de uma ferrovia interoceânica em parceria com o Brasil e o Peru. Para a Bolívia, que não tem saída para o mar, essa ferrovia seria alternativa para as mercadorias bolivianas chegarem ao Oceano Atlântico, através do Brasil e ao Pacífico, pelo Peru.

Ao mencionar a ferrovia, Morales disse que o “trem rápido” sairá de Puerto Suárez, na Bolívia, próximo a Corumbá e passará por Bulo Bulo e Montero, depois irá para o Brasil, Yacuiba na Argentina e Ilo, no Peru. A saída para o mar é um sonho centenário do povo boliviano, desde que perdeu a Guerra do Pacífico em 1883. As forças conjuntas da Bolívia e Peru perderam a guerra para o Chile e entregaram ricas áreas em recursos naturais – a Bolívia entregou Antofagasta e o Peru cedeu Tarapacá.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Se for concretizada, Mato Grosso do Sul também ganha

Caso seja concretizada a construção de tal via, será de grande importância para as commodities do Mato Grosso do Sul e importante fator de desenvolvimento local para o município de Corumbá. Outra notícia a respeito de ferrovias é a de que a reunião da presidenta Dilma Roussef com o presidente do Peru Ollanta Humala, definiram um projeto de interconexão que prevê a ligação dos portos de Paita e Bayovár, na costa norte do Peru, com as ferrovias Centro-Oeste e a Norte-Sul do Brasil. O noticiário peruano também afirma que caso essa obra fique pronta permitirá o escoamento de grãos brasileiros para os portos peruanos, que, por sua vez, conseguiriam levar fosfatos para o Brasil

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Fundos de Previdência estão de olho nos 42 milhões de evangélicos brasileiros

A ideia não é nova, data de 1922, quando a seção gaúcha da Igreja Luterana Brasileira criou a gestora previdenciária denominada Luterprev. Vieram depois os pastores da Assembléia de Deus, montaram a fundação Quanta para gerir seus recursos previdenciários.

Em 2011, surge o pastor capixaba Lemin Vieira Lemos que cria um fundo de previdência privada específico para evangélicos de todas as denominações, chamado BemPrev. O plano começará a ser vendido em março por dois mil funcionários a serem selecionados em diversas igrejas. A meta do BemPrev é contar com 170 mil participantes.

A ideia de Lemos tem procedência. A conjunção entre a longevidade crescente e o déficit da previdência oficial – que, cada vez mais, depende de um grande milagre – obriga os futuros aposentados a recorrem à previdência privada. Isso é mais fácil para os evangélicos, cuja renda supera a média brasileira. O BemPrev pretende reunir evangélicos de diversas denominações. Algo complexo e difícil devido à fragmentação dos evangélicos. As dez principais denominações reúnem somente a metade dos 42 milhões de fiéis espalhados pelo Brasil.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Credibilidade é como a virgindade

Não há dúvida, a credibilidade é como a virgindade: pode ser preservada, mas não recuperada. O quase calote dos EUA em outubro passado e um possível calote no começo de 2014 atingirão a credibilidade daquele país e do dólar. E ninguém acredita que ocorreria uma recuperação. A crise político-financeira nos Estados Unidos da América não está resolvida, é preciso encontrar um acerto definitivo entre democratas e republicanos.

A rápida perda de credibilidade está acelerando o debate de: “o mundo necessita de uma nova moeda que substitua o dólar?” Uma declaração do mega-investidor norte americano George Soros resume bem o cenário com que o mundo se depara: “O dólar é a moeda mais fraca, exceto por todas as outras”.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Dólar desbancou a libra esterlina após a 1ª Guerra, mas os tempos são outros

Desde a Primeira Guerra Mundial, quando desbancou a libra esterlina, é essa moeda que lidera o posto de porto seguro para os investidores, sejam eles empresas ou governos. A preocupação é pertinente. Em meio ao embate político, a agência de classificação de risco Fitch, colocou os EUA em perspectiva negativa porque vislumbrou uma possibilidade real de que os compromissos não fossem honrados.

Em bom português: que ocorresse um calote dos títulos da dívida norte americana. Um novo rebaixamento, outro ocorreu em 2011, teria o potencial de desvalorizar o dólar e, por consequência, de carteiras de investimento e de reservas internacionais mundo afora.

O Brasil tem 80% de suas reservas no dólar. A China tem metade de suas reservas de US$ 3 trilhões no dólar, mas tem investido pesadamente em ouro nos últimos anos. A resposta mais aceita à indagação do mundo criar um novo dólar é a de que na próxima década, com as reformas na China mais encaminhadas, o yuan, juntamente com o euro, pode ganhar espaço tornando a competição mais equilibrada.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Marcar consulta médica pela internet. Consulte Aqui

Dificilmente você encontrará alguém que não tenha tido problema para marcar uma consulta. Os jovens Bruno, Rafael e Rodrigo Ceolin partiram desse pressuposto e copiaram um site norte americano, ZocDoc, que agenda consultas médicas.

Os irmãos criaram o Consulte Aqui, site que agenda consultas em Campo Grande, Cuiabá e Rio de Janeiro. Em seu primeiro ano de atuação, a Consulte Aqui deve faturar pouco mais de R$ 300mil. As receitas são provenientes das mensalidades pagas por 1,5 mil médicos já cadastrados nas três capitais. A mensalidade dos médicos é de R$ 149. Quem agenda a consulta não paga nada. Por meio do site já foram marcadas 60 mil consultas e os três irmãos acreditam que chegarão a 150 mil até o fim do ano. Um negócio novo e muito útil.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Mês do homem, porque macho que é macho se cuida

Sim, ele existe. O Dia Internacional dos Homens foi proposto por Trinidad e Tobago, um país formado por duas ilhas no mar das Caraíbas. A tímida comemoração ocorreu no início da semana. O dia do homem é 11 de novembro. A criação da ata recebeu o apoio da ONU (Organização das Nações Unidas) e visa a incentivar a saúde masculina e a igualdade de gêneros, além de promover modelos masculinos positivos. Há uma proposta na ONU para mudar o nome da data – Dia Mundial do Homem Livre. Não confundir com o Dia Internacional dos Machistas que o Ziraldo tenta criar. E, assim como ocorreu com o Outubro Rosa, que estimula a prevenção ao câncer de mama feminino, novembro é o mês do homem. O objetivo é incentivar o diagnóstico precoce do câncer de próstata e testículos. Homens, atenção: façam o exame a partir dos 40 anos, como é sugerido pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

‘Movember’ – mês de cultivar o bigode

A campanha é batizada de “Movember” – a mistura de moustache (bigode) com november (novembro). Essa é a versão surgida por organizadores de Melbourne – Austrália – em 2003. Vários países copiaram, até o Brasil. Enquanto o Outubro Rosa exalta os laços da mesma cor, o “Movember” é marcado por bigodinhos que lembram aos homens a importância de manter em dia os exames de rotina. No Reino Unido, entre os principais incentivadores estão as barbearias, que sugerem que os homens façam a barba, mas deixem os bigodes.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Leite materno é o melhor alimento para o bebê e na Inglaterra vale R$ 700

O governo da Inglaterra está recompensando em R$ 700 as mães que amamentem seus bebês. Ainda é um trabalho piloto direcionado a South Yorkshire e Derbyshire, consideradas áreas pobres do norte da Inglaterra e consiste na distribuição de cupons para serem gastos em lojas e supermercados. São 130 mulheres na fase inicial, que vai até março de 2014. Se for bem sucedida, outras mães serão incluídas. Em ações semelhantes, o governo britânico já pagou cidadãos para perder peso e parar de fumar.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

O mapa para estimular a inovação no Brasil

Levantamento feito pelo SENAI, CNI,SESI definiu oito pontos cruciais para criar um ambiente propício à inovação no país.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

A economia brasileira está migrando para o verde

A sustentabilidade passou definitivamente a fazer parte da agenda estratégica das empresas no Brasil. Pesquisa, inédita da CNI (Confederação Nacional da Indústria) realizada com 60 CEOs de grandes empresas do país, aponta que para a maioria deles, ser sustentável tem impactos positivos na competitividade. Segundo 39% dos entrevistados, a ausência de ações sustentáveis coloca em risco a sobrevivência da empresa, enquanto que para outros 18%, acarreta imagem negativa da corporação.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS
Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS

Você já comeu cristais gigantes de açúcar?

Os indianos há 500 anos antes de Cristo inventaram um alimento. Extraiam o caldo da cana, levavam esse caldo ao fogo e em seguida, com uma técnica não desvendada, o esfriavam. Obtinham cristais gigantes de açúcar. Tinham inventado um alimento altamente energético e delicioso. Não conseguiam transportar esses cristais e assim não alcançaram a fama que mereciam. Esse mesmo povo, no ano 500 depois de Cristo, desenvolveu o açúcar cristal, de fácil transporte, que permitiu o comércio mundial do produto.

Evo Morales confirma construção de ferrovia interoceânica que beneficia MS



Em meio a uma repetitiva mídia que supervaloriza a violência e a desgraça alheia, parabéns a esta coluna.Agradável de ler porque é Inteligente,contemporânea e enxuta. Show de bola. Que permaneçam...
Abraço.
Juarez
Campo Grande,13/11/2013
 
Juarez Rodrigues alves Júnior em 13/11/2013 16:24:24
É isso mesmo o Lula podia resolver mandar fazer essa ferrovia. É só ele querer que sai.
 
Fernanda Maria Lima em 13/11/2013 15:18:42
Seria esplendida essa ferrovia nos ligando ao Pacifico e barateando a nossa logística.
 
Mansueto Nobrega em 13/11/2013 15:13:36
Lula determinará a Dilma e ao Evo dará dinheiro do BNDES e teremos a ferrovia.
 
Adolfo Fleury em 13/11/2013 14:15:59
Vamos lá Evo Morales estamos torcendo pra sair a ferrovia.
 
Fernando Donato em 13/11/2013 13:38:28
Se o Lula, padrinho do Evo Morales, não correr atrás essa estrada nunca sairá dos discurso.
 
Rodrigo Alves em 13/11/2013 09:27:17
Muito boa a noticia da ferrovia. So falta conseguirem sair do discurso para a obra.
 
Orlando Peres em 13/11/2013 08:24:39
Perguntem ao Lula se essa ferrovia sairá mesmo.
 
Sidnei Timmonagio em 13/11/2013 08:14:45
Tem certeza que sai a ferrovia do Evo Morales? Seria excelente.
 
Roberto Schiller em 13/11/2013 08:12:20
Boa noticia para nos agricultores essa da ferrovia. Vamos ver se sai.
 
Rui Pinheiro em 13/11/2013 08:00:06
Se a estrada do presidente boliviano sair resolveremos a logística de exportação de nossos grãos. Grande noticia.
 
Marçal Esloveno em 13/11/2013 07:58:33
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.