A notícia da terra a um clique de você.
 
20/06/2016 08:19

OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos

Mário Sérgio Lorenzetto
OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos

Após cinco anos no topo da lista de substâncias cancerígenas (lista não divulgada no Brasil), a OMS "absolveu" o café. Mais incrível, o café foi para a lista oposta. Agora ele é indicado pela entidade como uma substância que previne o câncer de útero e o do fígado.

Veja Mais
EUA: a homeopatia terá de informar que não funciona
Novo aparelho promete deixar a nicotina e eliminar as toxinas

Outra raridade é que os especialistas da IARC (Agência Internacional de Investigação do Câncer) convergem com a OMS (Organização Mundial da Saúde). As duas entidades, quase sempre em choque, absolveram o cafezinho. Todavia, há algo que é impraticável para o brasileiro - criminalizaram as bebidas quentes. A referencia que os especialistas fazem dizem respeito, diretamente, ao costume de beber chá. A temperatura dessa beberagem varia entre 65 e 70 graus para todos os povos. Querem que passemos a beber chá morno ou frio. A recomendação, não beber quente, é valida, também, para o café.

É importante ressaltar que o café é a matéria-prima mais vendida no mundo. Tem até um dia internacional para comemorar: 14 de abril.

OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos
OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos

Não basta boa memória para a Universidade dos Gênios.

A filosofia da Universidade de Cambridge pode ser resumida em uma frase: "Think outside the box" (pense fora do convencional). Nela, só a memorização não serve para ser aprovado nos exames de ingresso. O valor é dado para a capacidade analítica do aluno e a criatividade em qualquer área. É com essa ideia que vivem seus alunos e com os exemplos de seus gênios. Eles estão por toda parte.

No pub The Eagle você pode sentar-se na mesa onde foi anunciado o descobrimento do DNA, em 1953. Também pode estudar na casa onde viveu Darwin, mas se preferir pode ser na de Newton. Não é raro cruzar com Stephen Hawking. É como se o peso da história dos gênios de Cambridge obrigasse aos alunos dar continuidade a essa tradição.

Mas não é fácil entrar em Cambridge. Há pouco, 23 brasileiros tentaram, apenas 4 conseguiram. Para começar, não é possível sair de um curso secundário brasileiro e pular para Cambridge. Terá de passar pelos exames britânicos A-Level, International Baccalaureate e isso não ocorrerá em menos de um ano de estudos. E terá de obter notas elevadas, entre 8 e 10 em tudo que for exigido. O inglês também deve estar afiadíssimo, com nota mínima de 7,5 no IELTS. Passou por todos os obstáculos? Pois bem, agora vem o dinheiro. Para ingressar em um curso em Cambridge deverá desembolsar entre 13.622 libras e 33.069 libras - os mais caros são os de medicina e de veterinária. Não há bolsas de estudos para brasileiros.

Há melhores oportunidades para quem desejar cursar mestrado ou doutorado em Cambridge. Há cerca de 30 brasileiros por lá, e é possível conseguir algum auxílio pecuniário com uma bolsa.

OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos

Esterilidade masculina: surge esperança com gametas da própria pele.

Somente 21% dos casos de esterilidade são de origem exclusivamente feminina. Outros 33% afetam ao homem, 40% a ambos e 6% tem causa desconhecida. Essa é a nova estatística da infertilidade. Todo casal que não consegue engravidar após um ano de tentativas deve realizar alguns testes. Exame de sangue para ambos. Ecografia para ela e análise do líquido seminal para ele. Nesse exame do sêmen se dá a análise do volume, do pH, da cor e da viscosidade.

Os espermatozoides são observados em quantidade, velocidade com que se movem e sua forma. Os problemas mais frequentes dizem respeito à pequena quantidade de espermatozoide no sêmen, a baixa velocidade que nadam e a anomalias na forma. Se os três fatores estão presentes, a taxa de fertilidade é baixa. O estilo de vida também é um determinante da infertilidade. Obesidade, álcool em excesso, exercícios extenuantes e a idade são os grandes bloqueadores da fertilidade.

Até agora a alternativa é recorrer a um doador. Todavia, em um futuro próximo a ciência poderá obter gametas de sua própria pele. Esta é a conclusão de cinco anos de trabalho realizados pelos cientistas da clinica IVI e publicado agora na revista "Scientific Reports". A técnica é baseada na reprogramação celular anunciada por Shinya Yamanaka, premio Nobel de Medicina em 2012. Os testes em ratos foram exitosos. Consiste em tomar células da pele e manipulá-las geneticamente para conseguir que uma pessoa carente de gametas possa obtê-los e ter filhos geneticamente próprios.

OMS absolve o café; ele está fora da lista de cancerígenos

A produção de alimentos no Brasil.

Ainda que a infraestrutura de transporte e logística pese negativamente na produção de alimentos, o Brasil ocupa o primeiro lugar na exportação de açúcar, suco de laranja e café. Fica em segundo lugar na produção de soja e carne bovina. Está em terceiro lugar no ranking de exportação de milho e de carne de aves. E, para fechar nossos bons ranqueamentos, ficamos em quarto lugar na exportação de carne suína.

Todavia, há outro tabela onde vamos muito mal. No ranking 2015-2016 do Fórum Econômico Global, o Brasil ocupa a posição 123 - entre 140 países pesquisados - em infraestrutura de transporte que está sob a responsabilidade de governos. Na área de portos a posição é muito similar, ficamos na posição 122 (também com 140 países comparados).




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.