A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


08/10/2014 13:54

3 sugestões para um Dia das Crianças mais barato

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Quem tem crianças em casa provavelmente já está contando com um gasto extra neste mês: o presente do Dia das Crianças. Nesta época do ano, o comércio fica preparado para encher as prateleiras das lojas com diversos tipos de lançamentos. Como a data é próxima ao Natal, o apelo comercial é forte, como se fosse um aquecimento para as vendas de fim de ano, consideradas as mais lucrativas para o setor.Desde abril deste ano, uma Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) que considera abusiva a publicidade voltada para crianças foi aprovada pela União. A aprovação da restrição à publicidade infantil gerou manifestações favoráveis e também contestações sobre seus efeitos negativos. Polêmica à parte, a proximidade do Dia das Crianças é um momento interessante para os pais trabalharem a questão do consumo com os filhos.O importante é evitar que os filhos associem consumismo com felicidade, e isso pode ser feito aproveitando o Dia das Crianças de uma forma diferente, propondo novas dinâmicas.

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

TROCAR EM VEZ DE COMPRAR: Você já ouviu falar em eventos de troca de brinquedos? Para quem não conhece, as feiras tem o objetivo de reunir várias crianças e seus familiares para trocar brinquedos que não usam mais. A criança escolhe um brinquedo em bom estado que não lhe interessa mais e leva para trocar por outro. Assim os brinquedos são usados por mais tempo, os pais economizam dinheiro e a criança aproveita o momento não só para levar para um brinquedo novo para casa, mas também para fazer novas amizades.Aos pais que querem buscar uma alternativa para apelo ao consumo, é uma ótima oportunidade para que a criança viva uma nova experiência e valorize mais a brincadeira do que a compra. O Instituto Alana criou um mapa indicando feiras em diversas regiões do país, acesse: http://feiradetrocas.com.br/para conferir. Quem não puder participar de um evento, pode fazer a troca pela internet, com o pessoal do Quintal de Trocas: http://www.quintaldetrocas.com.br/

DOAÇÃO: Quando seu voltar para casa com um brinquedo trocado, reforce para ele como foi legal participar de um evento que deu a ele a possibilidade de ter uma coisa nova e ainda dar utilidade àquele brinquedo que estava sem uso em algum canto do quarto. Essa é uma maneira não só de estimular um consumo mais consciente, mas também de trabalhar valores de sustentabilidade, de valorização da partilha.Estimule-o também a doar brinquedos que não usa mais ou que ficaram sem graça para a idade dele. Com certeza terão crianças carentes que ficarão muito satisfeitas com a atitude e é importante que seu filho experimente este momento, que sinta como é gostoso poder ajudar uma pessoa com uma boa ação.

DIÁLOGO: Se você optar por comprar um presente, mas não puder atender aos anseios daquele brinquedo que custa super caro, esta é uma boa hora para um diálogo saudável e necessário. Sejamos honestas, seu filho pode até ficar frustrado de não ganhar o que escolheu, mas não vai te odiar por isso. Nós ficamos sensibilizadas por querer dar o melhor que podemos aos pequenos, mas isso não significa que é preciso fazer milagres ou entrar numa aventura financeira para comprar um presente mais caro do que o que você pode pagar.Converse com ele sobre consumismo, sobre como nem sempre é possível comprar o que a gente quer de imediato, que é preciso economizar para comprar e que assim como ele demora para juntar várias mesadas para ter algo que deseja, você também precisa pensar da mesma forma em relação ao salário. As crianças são inocentes, mas não são bobas. Com jeitinho e paciência, elas te entenderão e ficarão felizes com um brinquedo mais barato.

Fonte: financasfemininas.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.mayel.com.br

 

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions