A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


02/09/2015 08:19

A independência financeira de seus filhos passa pelo seu exemplo

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), uma tendência vem crescendo entre os jovens brasileiros: deixar a casa dos pais cada vez mais tarde.O levantamento mostra que os jovens de idade entre 25 e 34 anos têm optado em permanecer na casa dos pais por mais tempo. De acordo com Sidnei Oliveira, consultor especialista em conflito de gerações, essa tendência tem como principal motivo a mudança cultural no modelo educacional.

Veja Mais
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

Sidnei avalia que “os pais preferem manter os filhos na escola e faculdade pelo maior tempo possível. Isso faz com que o jovem não esteja maduro e independente quando conclui a faculdade e, por isso, acaba se mantendo na infraestrutura proporcionada pelos pais”.Além disso, na maior parte das vezes, sair de casa demanda um custo alto, que a maioria ainda não tem como arcar.“Muitos não conseguem manter o mesmo padrão de vida oferecido pelos pais com seus salários.

Em alguns casos, por não querem perder o conforto, uma vez que em casa as despesas fixas geralmente são pagas pela família, alguns jovens adiam a decisão de independência financeira para ter a renda integralmente livre para atender às suas necessidades de consumo”, explica a educadora financeira Ana Paula Hornos.

Quando começar a preparar o filho para a independência financeira?Segundo Ana Paula, desde pequena a criança deve ser preparada para a independência. “É fundamental que a educação financeira baseada em valores e princípios esteja presente na formação dada pela família. É preciso acompanhar de perto a forma como os filhos lidam com dinheiro, com o consumo e o entendimento que eles adquirem sobre o trabalho”, diz.

Para a educadora financeira, falar sobre dinheiro com as crianças é importante para que elas adquiram habilidades e valores para cuidarem com inteligência do seu no futuro.Já quando o filho cresce e começa a trabalhar, a educadora sugere que seja feita uma transição parcial, ajudando na preparação para a independência. “Embora o jovem ainda possa contar com um suporte financeiro em casa, é interessante que ele comece gradativamente a assumir o compromisso de pagar algumas contas”, afirma.

Além disso, continuar a oferecer o mesmo conforto que os filhos tinham durante a infância na fase adulta é um erro que deve ser evitado. A especialista ressalta o perigo de manter a ajuda dos pais por muito tempo.

Ana Paula explica que “é saudável para o jovem ser estimulado a empenhar-se ao máximo no trabalho para adquirir independência financeira e maturidade para arcar com suas próprias decisões em relação ao dinheiro. O quanto antes isso acontecer, mais fortalecido o jovem se torna para alcançar sucesso financeiro na fase adulta”.

Qual seria a melhor idade para sair literalmente de casa?De acordo com Ana Paula, não existe uma idade adequada para sair de casa. “O momento ideal de morar sozinho depende da maturidade e escolhas de pais e filhos diante dessa etapa da vida.

O mais importante é que a família planeje conjuntamente e faça a transição da dependência para a independência financeira dos jovens. Isso será saudável para ambas as partes, tanto para os próprios filhos como também para os pais”, conclui.

Fonte: Isabella Abreu/dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências. *Deseja mais informações ou ainda ampliar seus conhecimentos em investimentos.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen, criador do portal www.mayel.com.br

 

Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions