A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


11/05/2016 08:20

Cartão de varejistas: vantagens e desvantagens?

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Toda vez que vou em alguma dessas lojas de departamento, sou abordada no caixa ou na saída por alguma vendedora, tentando me vender o cartão de crédito da loja. Isso já aconteceu com você? Eu topei fazer o meu para explorar as vantagens e desvantagens, e vou te contar.Logo de cara, reparei nas seguintes vantagens anunciadas pelas varejistas para conquistar o interesse do público: gratuidade na adesão, descontos nas lojas, maior possibilidade de parcelamento, frete grátis em compras on-line, promoções exclusivas, consultoria virtual e descontos em espetáculos patrocinados pela loja. Tem um pouco de tudo para chamar a atenção dos clientes.

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

Mas que bom seria se fosse tudo tão fácil, não?Os benefícios podem estar escondendo as taxas de juros cobradas por algumas instituições e outros custos de serviços adicionais. Não sei se você sabe, mas o interesse das redes varejistas em facilitar o crédito não é aleatório. Essas operações ajudam a engordar suas receitas, embora a crise brasileira esteja prejudicando a venda de produtos e serviços financeiros.

Caso prático - Peguemos como exemplo o Magazine Luiza, empresa listada em Bolsa que tem, desde 2001, uma financeira, a LuizaCred, fruto de uma associação com o Itaú Unibanco.No último balanço financeiro, a empresa informou o seguinte:“Em 2015, mesmo com taxas de aprovação mais conservadoras, a Luizacred evoluiu sua base de cartões em 3,9% para 3,6 milhões, e cresceu a carteira do Cartão Luiza em 6,5% para R$ 3,8 bilhões.”O cartão de crédito é o principal produto da financeira e tem a bandeira MasterCard.

Para ter acesso a ele, é necessário ter renda mínima de R$ 800,00 e pagar anuidade de R$ 81,00 (no caso do cartão “preferencial”; no “ouro”, não há cobrança de anuidade). As vantagens citadas pelo Magazine Luiza englobam um limite maior para parcelar os gastos, ofertas exclusivas, cartões adicionais e parcelamento da fatura.

Mas não existe almoço grátis - É possível, sim, parcelar as compras em até 24 vezes, mas você está sujeito à incidência de encargos, ou seja, juros e IOF. Não há necessariamente vantagem em relação a outros tipos de cartões. Confira o contrato:

“Se você pagar uma quantia inferior ao pagamento mínimo ou não realizar o pagamento até a data do vencimento da fatura, você estará em atraso e deverá pagar os seguintes encargos: Juros (indicados no campo “Juros Contratuais Máximos” da Fatura) e IOF sobre o valor não pago, acrescidos dos encargos de atraso: (i) multa de 2%; e (ii) juros moratórios de 1% ao mês, todos desde a data do vencimento da fatura anterior até seu pagamento total ou até a data de corte da próxima fatura, o que ocorrer primeiro.”

Risco de descontrole - “Contrate agora o cartão Luiza e dê uma força para o seu orçamento”, anuncia a rede. Mas a possibilidade de parcelar em muitas vezes as compras e de comprometer o limite do cartão apenas com o valor da parcela, não da compra cheia, é uma enorme tentação para o descontrole. É preciso cuidado redobrado para não ficar inadimplente!E vale ainda ficar atento às taxas de juros cobradas. O Banco Central tem uma tabela atualizada com as taxas mensais e anuais cobradas das pessoas físicas no cartão de crédito parcelado.

A LuizaCred aparecia em 7º lugar no ranking de maiores taxas no período de 11 a 15 de abril, com juros mensais de 10,30% e anuais de 224,40%. Vale também analisar os custos do crédito rotativo.
Conclusão - O que pude constatar, olhando diversos contratos de cartões de crédito oferecidos por redes varejistas, é que a fácil adesão, a baixa exigência de renda, os descontos nas lojas próprias e a facilidade de parcelamento, justificam grande parte do interesse dos clientes.

Por outro lado, o baixo limite de crédito no início (com o tempo, se você comprovar renda maior, deverá conseguir expandir esse limite), a ausência de pontuação revertida em milhas e os custos muitas vezes mais altos que os de cartões “tradicionais” pesam contra esse mercado.Antes de adquirir um desses cartões, portanto, analise as condições, os custos embutidos e veja se vale a pena se comprometer.

Fonte: Criando Riqueza /dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions