A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


11/12/2013 07:33

CDB X Poupança, como escolher!?

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

A escolha entre duas das aplicações mais populares à disposição nos bancos –-a poupança e o CDB— depende principalmente das respostas a duas questões fundamentais: quanto tempo e quanto dinheiro. A primeira questão diz respeito à influência do Imposto de Renda sobre os ganhos do CDB. Até 360 dias de prazo, a mordida do Leão é de 20% sobre o ganho. Com apenas um dia a mais, a parte da Receita Federal cai para 17,5%. A poupança é isenta desse imposto.

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

A quantia aplicada também importa: quanto maior o valor depositado no banco, melhor o rendimento oferecido pela instituição financeira. Se no início deste ano, um investidor tivesse aplicado R$ 100 na poupança e o mesmo valor num CDB de um grande banco de varejo, 11 meses depois teria obtido R$ 105,52 na caderneta e R$ 104,32 no CDB 11, já descontado o IR.
No caso de aplicação, pelo mesmo período, de R$ 100 mil, o resultado se inverteria a favor do CDB. Onze meses depois, teria R$ 105.522,21 na poupança e R$ 105.717,84 no CDB – uma diferença de quase R$ 200. Quando o poupador aplica num CDB, na verdade, ele empresta ao banco, que devolve o valor emprestado corrigido por uma fatia do chamado CDI, o juro pelo qual os bancos emprestam entre si. Esse juro de mercado acompanha muito de perto a taxa básica de juros do país.

Pelos motivos acima, especialistas têm dois conselhos básicos ao investidor: deixe o dinheiro aplicado por pelo menos um ano; negocie com o gerente do banco um retorno de 90% CDI, ou de 85% na pior das hipóteses. Segundo Fabiano Gusti Lima, especialista do Instituto Assaf, no prazo de pelo menos um ano, não vale aplicar num CDB que pague menos de 90% [do CDI]. Entre os grandes bancos de varejo, os CDBs mais populares (com aplicação inicial de R$ 100) pagam o equivalente a 80% do CDI. Uma saída possível pode ser buscar o mesmo produto fora dos grandes bancos. Para atrair investidores, os bancos de médio porte oferecem CDB que pagam uma fatia mais gorda desse CDI. Para compensar o risco, o investidor deve limitar sua aplicação a R$ 70 mil, o valor máximo garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), caso o banco venha a quebrar.

A opção por um CDB pré ou pós-fixado depende de quanto o investidor está preocupado com o nível de inflação do país. Ou de sua tolerância a riscos. Investidores muito conservadores devem optar mesmo pelo CDB pré-fixado, porque já vão saber quanto devem ganhar. O CDB pós-fixado sempre tem alguma margem de incerteza. Caso a taxa básica de juros suba além do nível atual, o ganho oferecido pelo CDB pós-fixado aumenta, já que, por definição, acompanha a trajetória dessa taxa. Mas se a taxa básica diminuir, o CDB pré-fixado tende a ser mais vantajoso, porque banco e investidor, fixaram uma taxa maior com antecedência.

Em relação à taxa básica de juros, o único consenso é que dificilmente o governo vai fazer alterações bruscas. O governo usa a taxa básica para estimular o crescimento ou combater a inflação, conforme a situação da economia num determinado momento. Juros mais baixos ajudam o país a crescer: o custo dos empréstimos fica mais baixo, o que estimula as empresas a investir. Para o consumidor, a parcela da prestação do eletrodoméstico, por exemplo, tende a diminuir. E você amigo leitor, entendeu os parâmetros para a escolha de uma ou outra aplicação? Qual a sua preferida? Compartilhe sua opinião nos comentários, e até a próxima.

(*) com informações de uol economia

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

 

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



Fernando, desconhecia esse rendimento diário do CDB. Vou dar uma pesquisada melhor, pois não teria sentido mesmo investir na poupança nessas condições.
 
Leandro Duprat em 13/12/2013 09:07:03
Continuando Leandro, esses R$ 200,00 representam nominalmente 0,2%a.a uma diferença para produtos de renda fixa bem gritante ou ainda representam 3,54% a mais de lucro. Vamos fazer outra conta rápida, esse ano a poupança bateu novo recorde de captação até novembro, quase R$ 60 bilhões de reais a mais. Agora o apenas R$ 200,00 seus representam para todos quase R$ 120 milhões de reais que os brasileiros estão deixando de ganhar a mais, como o mesmo risco e garantia.
 
Fernando Paro em 12/12/2013 14:31:51
Leandro Duprat, hoje uma aplicação em CDB tem casos de carência para resgate curtas de 30 dias ate de 1 dias, após essa data você pode resgatar a qualquer momento, qual a vantagem do CDB nesse caso em relação a Poupança, o CDB tem rendimento diário, já a poupança rende somente no seu aniversário, sendo assim aplicando hoje e resgatando, por exemplo, daqui 25 dias o CDB teria rendido esses 25 dias já na poupança não teria rentabilidade alguma. Qual o RISCO de um CDB e de uma poupança? A instituição que você estiver aplicando quebrar e Qual a GARANTIA? É A MESMA para ambos os produtos, o FGC, que te garante até 250 mil por cpf/instituição. Agora sabendo que o risco e a garantia é a mesma, porque não escolher o de maior retorno? Esse APENAS R$ 200,00 a mais são seus porque não recebê-lo???
 
Fernando Paro em 12/12/2013 14:16:36
Deixar R$ 100 mil por um ano no banco sem ter opção de recorrer a essa quantia em caso de emergência, para ter R$ 200,00 a mais no final do período... não parece ser uma boa ideia.
 
Leandro Duprat em 12/12/2013 11:14:38
O FGC esta em R$250 mil.
 
Gleydson Machado em 11/12/2013 23:14:08
Exatamente..Muito obrigado, Fernando!
 
Emanuel Steffen em 11/12/2013 15:52:10
Emanuel, somente uma correção, desde Maio desse ano o CMN mudou a regra do FGC, aumentando o limite de garantia para R$ 250 mil por cpf/instituição. Att.
 
Fernando Paro em 11/12/2013 09:18:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions