A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


02/03/2016 07:03

Gerencie suas emoções para não perder dinheiro

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Sim, há fortes ligações entre emoção e dinheiro. Não à toa, postamos tantos artigos falando sobre questões comportamentais, em detrimento de textos mais técnicos ou puramente matemáticos. Aprender sobre investimentos é mais fácil. Gerenciar seus impulsos de compra, sua disciplina para poupar, aprender a deixar de gastar hoje para alcançar um objetivo no futuro… Isso sim é difícil!

Veja Mais
Analfabetismo financeiro segue alto na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

Há quase um ano, conversei com um amigo que me contou algo curioso. Ele estava trabalhando nas informações de seu Imposto de Renda e resolveu dar uma organizada na “papelada”. Foi quando ele teve a ideia de montar uma planilha e lançar os dados principais de todos os seus anos de trabalho, baseados nas declarações realizadas.

Há 18 anos este amigo presta contas ao Leão. Com esse histórico organizado, ele finalmente conseguiu ter uma clara visão da evolução de seus rendimentos e compará-los com sua evolução patrimonial. Ele percebeu ainda que em alguns anos foi mais disciplinado e criterioso em seus investimentos, enquanto em outros ele agiu de forma mais displicente.

O mais legal é que ele conseguiu lembrar de alguns acontecimentos que, ao longo desses anos, tiveram total relação com o desempenho (bom ou ruim) de sua vida financeira. Enquanto atravessava períodos de motivação, satisfação no ambiente de trabalho, vida amorosa e familiar satisfatórias, entre outros, suas finanças também seguiam de forma muito mais saudável.

Períodos difíceis também surgiram, envolvendo a perda de familiares queridos e até o fim de um relacionamento conjugal, e o resultado dessa fase ruim também foi sentido no bolso do meu amigo. Resolvi compartilhar essa história para ressaltar a importância da conexão entre o comportamento, as emoções e as finanças. Acredite, estes são assuntos bastante correlacionados.

Portanto, é fundamental que você desenvolva comportamentos proativos diante da vida e também que maneje bem o controle de suas emoções. Caso contrário, há boas chances de, ainda que sem querer (ou sem perceber), você arruinar sua vida financeira!E se você se identificou com isso, pense por um instante em qual é o melhor momento para você abraçar sua saúde emocional pra valer. Isso mesmo, essa hora é agora! O tempo é hoje!

Duas dicas para evitar que suas emoções sabotem suas finanças. Primeiro, quando estiver executando suas tarefas de hoje, no seu trabalho, na sua empresa, no seu lar ou em qualquer outro lugar, dê o seu melhor. Não faça isso para agradar seu chefe, seu sócio, marido ou esposa. Faça isso por você! Faça para que você experimente a satisfação de um dever cumprido e feito de forma excelente. Isso vai prepará-lo para responsabilidades maiores, que virão ao seu tempo.

Segundo, todas as vezes em que a situação ficar tensa, que as preocupações se tornarem muito frequentes ou que alguns desafios familiares se instalarem, crie o hábito de “se retirar” por um período de pelo menos 30 minutos por dia. Vá para um local quieto, preferencialmente junto à natureza, onde você possa fazer uma autoanálise de suas emoções. Estabeleça um diálogo interno, honesto e aprenda manter o controle da situação.

Acredite: ninguém conhece você melhor do que você mesmo! Se você tem amigos de confiança, troque ideias com eles também sobre um eventual momento difícil. Alguém de fora da situação tem sempre uma ótica diferente para os fatos e pode ajudar bastante, ainda que apenas como um verdadeiro ombro amigo.

Conclusão - Não espere a situação ficar crítica; aja enquanto ainda é possível evitar um mal maior. Dessa forma, você estará no rumo certo para manter uma vida de qualidade, incluindo decisões financeiras corretas e que te ajudarão a conquistar seus sonhos.

Fonte: Conrado Navarro /dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

Analfabetismo financeiro segue alto na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions