A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


22/06/2016 09:02

Legado e educação financeira: uma parceria indissociável

Emanuel Gutierrez Steffen

Caro leitor, desta vez vou deixar a ainda incerta e turbulenta seara das questões econômicas (tentando esquecer o tranco que será colocar em dia a nossa situação fiscal) para abordar um pouco sobre aquilo que coloquialmente poderia denominar como “micro-microeconomia” – em resumo, a vida econômica como ela é, contemplando a maioria de nós, simples mortais, pagadores de impostos.A começar pela minha própria trajetória até aqui – desde que decidi abandonar a rotina, benefícios e complicações da vida executiva e decidi empreender –, me deparo com a questão sobre o que nos impulsiona a seguir em frente, independentemente dos desafios e contratempos.

Creio que assim como a maioria dos empreendedores e outros profissionais que resolveram assumir as rédeas do próprio destino ou carreira, eu poderia destacar uma longa série de motivos para prosseguir. Eles são muitos, felizmente.Há a necessidade de realização, os anseios materiais, o reconhecimento público, familiar e o do “espelho” (o mais importante e íntimo), o desejo por segurança e o legado. E, dentre todos, enxergo neste último o mais importante, aquele que garante a maior mobilização de força, estímulo e resiliência.Nenhum outro consegue ser tão contundente, auto justificável ou tão semelhante à uma causa. Com o legado, seremos capazes de deixar a nossa marca, a nossa obra, por mais singela que ela possa ser.

Contudo, e aqui peço desculpas ao leitor mais sensível pelo ponto de inflexão do texto, nada acontecerá sem dinheiro. Sim, eu sei que pular da poesia para a “vida como ela é” não é uma transição simples. Mas ela precisa ser feita.Lamento pela rudeza, mas sem recursos até mesmo o mais bem-intencionado dos pais correrá o risco de não materializar o seu propósito afetivo. Não é fácil estar presente, proteger, oferecer bons exemplos e formar adequadamente com a corda no pescoço, “correndo atrás do prejuízo” dia após dia.

Sim, caro leitor, existem muitas exceções, mas, convenhamos, exceções são exceções e a maioria de nós segue a regra. Então, por quê arriscar?Sem dinheiro, não há saúde que se sustente na velhice; e nem mesmo na meia idade, que é quando a maioria dos empreendimentos ainda demandam muitos dos seus fundadores e muitas carreiras ainda não conheceram a realização plena.Sem reservas, não há paciência que supere a fase de maturação que todos os bons e sólidos negócios exigem. E sem grana, a sua educação não será totalmente completa.Precisamos, de uma vez por todas, abandonar a negação atavicamente cultural que nos persegue em demonizar o gosto pelas conquistas financeiras, porque sem elas poucas outras conquistas poderão ocorrer.

Se queremos ir além da retórica, do comportamento honesto e correto (que nada mais é do que a obrigação de todos nós) e do proselitismo barato de uma vida livre das pressões materiais (politicamente corretos, me desculpem), precisamos de dinheiro e educação financeira.Um “futuro melhor” será inviável sem esse movimento. Neste sentido, você está no lugar certo, e bem acompanhado com artigos como este. Persevere neste sentido. Até o próximo!

Fonte: Gustavo Chierighini/Plataforma Brasil Editorial
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

Quanto devo poupar ou gastar? Essa é a questão
Uma das grandes perguntas que temos na vida é essa. Ser um perdulário e gastar desenfreadamente vivendo só o agora ou ser um avarento e economizar o ...
Tenha mais qualidade de vida hoje e sempre
Estamos vivendo 30 anos ou mais do que nossos avós e bisavós, mas seguimos aposentando com mais ou menos 60 anos. Devemos mudar o papel dos 50 ou 60 ...
Filhos ricos? Pratique a educação financeira agora
Algumas histórias são tão simbólicas que passam despercebidas diante dos olhos de muita gente. Suas lições, no entanto, são razão para profundas refl...
5 orientações para utilizar seu saldo do FGTS
Recentemente, o Governo Federal anunciou que irá autorizar o saque de contas inativas do FGTS, aquelas que não recebem mais depósitos desde dezembro ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions