A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


28/08/2013 08:35

O que são Títulos Públicos?

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Já ouviu falar em títulos públicos? Já falamos de maneira bem sucinta sobre este modalidade de investimentos em artigos anteriores. Que tal aprofundarmos o assunto um pouco mais. Vamos começar pela sua classificação: títulos públicos são ativos de renda fixa, ou seja, seu rendimento pode ser determinado no momento do investimento, ao contrário dos ativos de renda variável (como as ações). Dada a menor volatilidade (variação de preço) dos ativos de renda fixa frente aos ativos de renda variável, este tipo de investimento é indicado á investidores com perfil mais conservador (de menor risco). O investidor deve escolher, entre os títulos ofertados, aqueles cujas características sejam compatíveis com o seu perfil e com o objetivo de seu investimento.

Veja Mais
Qual é a melhor hora para comprar?
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação

Existem ainda títulos prefixados, cuja taxa de rentabilidade é determinada no momento da compra. Há também títulos pós-fixados, cujo valor do título é corrigido por um indexador definido, como os títulos remunerados por índices de preços e indexados à taxa de juros básica da economia, a Selic. Quanto ao prazo de aplicação podemos classifica-los em títulos de curto, médio ou longo prazo, e realizar ou não pagamento de cupom semestrais de juros.

Os Títulos públicos também são considerados os ativos de menor risco da economia de um País, e são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional. O Brasil possui excelente reputação de emissor, sendo que seus títulos são considerados “Grau de Investimento” pelas três maiores agências de classificação de risco (Standard & Poor´s (S&P), Fitch Ratings (Fitch) e Moody´s Investor Service.)

Mas o que são estes “títulos públicos”!? Títulos públicos são papéis emitidos pelos poderes federais, estaduais e/ou municipais. Um dos principais objetivos dessa emissão é para os governos poderem financiar as suas dívidas, pagando remuneração com taxas prefixadas ou pós-fixadas. As instituições financeiras interessadas compram esses títulos, emprestando recursos aos governos e colocam esses papéis nas carteiras dos fundos de investimento, remunerando o investidor. Os riscos dos títulos públicos é o risco dos governos não honrarem os compromissos assumidos (ou seja, muito baixo). Abaixo você encontra uma breve explicação sobre cada um destes títulos.

NTN – Notas do Tesouro Nacional : São títulos pós-fixados (com exceção de NTN-F descrita a seguir), que podem ter uma remuneração através de uma taxa de juros fixa + um índice de correção específico, (TR, TJLP etc.) São títulos nominais. NTN-F – Notas do Tesouro Nacional Série F - Títulos prefixados, rentabilidade conhecida no momento da aplicação. LTN – Letras do Tesouro Nacional – Títulos prefixados, rentabilidade conhecida no momento da aplicação. LFT – Letra Financeiras do Tesouro - Títulos pós-fixados e remunerados pela taxa, acumulada no mercado, SELIC.

Tesouro Direto: Recentemente se abriu a qualquer pessoa física a compra através da Internet. Limite mínimo para investimento é de R$ 100,00 e o máximo de R$ 400.000,00 por mês. Acesse: https://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-diretoNão deixe de comentar, pois assim você estará enriquecendo a discussão sobre o tema. Até a próxima.

(*) com informações do tesouro direto).
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

 

Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...



Excelente texto, parabéns pela coluna.
 
Hebert Ramos em 04/09/2013 09:15:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions