A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


03/03/2014 15:01

Os principais mitos sobre se tornar milionário

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

A coach executiva norte-americana Jaime Tardy entrevistou mais de 100 milionários e reuniu suas ideias em um livro, “The Eventual Millionaire” (ou “O Milionário Eventual”). A partir de seu contato e do que aprendeu com essas pessoas, a autora escreveu um artigo, para o site de finanças e empreendedorismo voltado para mulheres, sobre o que ela acredita ser os maiores mitos sobre milionários. Os milionários que Jaime conheceu acumularam seu primeiro milhão de inúmeras maneiras diferentes – investindo em negócios próprios, no mercado de ações, em imóveis, ou simplesmente a partir da poupança mensal constante. O mais importante é notar que muitos milionários não são pessoas dotadas de talentos ou inteligência especial, ou mesmo nascidas ricas, mas sim, pessoas comuns que não vivem da maneira estereotipada que se esperaria para um milionário. Veja a seguir alguns destes mitos:

Veja Mais
Analfabetismo financeiro segue alto na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

1 Milionários são mais inteligentes: Milionários não são necessariamente mais inteligentes ou espertos que a média, mas sim pessoas comuns, que cometem erros, mas que atingiram objetivos extraordinários. Alguns podem ter dificuldade de aprendizado, outros já tiveram dívidas atrasadas, e outros ainda fracassaram em algumas empreitadas. A característica que os diferencia da multidão é uma aptidão para estabelecer metas e trabalhar em cima delas, sem deixar que desculpas atrapalhem.

2 Milionários são mais sortudos: Jaime defende que é o trabalho duro, não unicamente a sorte, que ajuda as pessoas a se tornarem milionárias. Elas podem ser milionárias mesmo que não tenham ganhado na loteria, acertado de primeira em uma ideia de negócio ou investimento, ou mesmo que tenham demorado a encontrar um trabalho que pague bem, diz a autora. Ela conta a história de um dos milionários que ela entrevistou, Bobby Casey, fundador da empresa Global Wealth Protection. Ao fundar sua primeira empresa – um negócio de construção de bicicletas – Casey teve de bater à porta de nada menos que 60 lojas até ser aceito para prestar serviços para a rede Wal-Mart. Segundo Jaime, na época Casey não tinha dinheiro em caixa e estava endividado. Ao ser aceito, passou a trabalhar 12 horas por dia e dormia pouco. Mas o contrato com o Wal-Mart lhe abriu portas para que ele passasse a fornecer outros produtos para outras redes de varejo, até que ele vendeu sua firma em 2008. “Eu perguntei a ele o que ele acha que teria acontecido se tivesse parado antes da 60ª loja. A resposta dele? ‘Eu não teria parado nem que eu tivesse tido que ir a 300 lojas’”, conta Jaime.

3 Milionários são gastadores: 57% dos milionários entrevistados se descrevem como pessoas frugais. Normalmente, milionários não esbanjam em imóveis luxuosos e carrões, como é de se esperar, mas dirigem Hondas e Volvos, gastam seu dinheiro com suas necessidades e algumas coisas que consideram importantes. A autora cita, por exemplo, o conhecido fato de que o megainvestidor e bilionário Warren Buffett ainda mora na casa que ele comprou em 1958 por apenas 31.500 dólares. “Na maior parte dos casos, milionários chegaram onde estão precisamente porque tiveram excelentes hábitos de poupança e vivem frugalmente. Eles aprendem a fazer escolhas inteligentes e não param só porque atingiram a marca do primeiro milhão”, escreve Jaime.

4 Milionários nasceram ricos: Jaime cita uma pesquisa da Fidelity Investimentos que mostrou que 86% dos milionários chegaram lá por conta própria, sem terem nascidos em famílias ricas ou herdado fortunas. Todos os milionários que ela mesma entrevistou alcançaram seu primeiro milhão sozinhos, e apenas 26% disseram ter tido conexões com pessoas importantes de antemão. Jaime conta o caso da empresária e palestrante Dani Johnson, autora do livro “First Steps to Wealth” (“Primeiros passos para a riqueza”, numa tradução livre). Com a venda de remédios para emagrecer, Dani Johnson tornou-se milionária aos 23 anos. Antes disso, ela havia passado por uma infância de abusos sexuais, foi mãe aos 17 anos e se tornou sem-teto aos 21. Dani Johnson partiu realmente do zero, montando seu primeiro negócio no porta-malas de seu carro e usando um telefone público. Como estava em uma situação péssima, Dani decidiu que mesmo que ela conseguisse muito menos do que pessoas teoricamente mais inteligentes e capazes, ainda seria mais do que ela tinha à época em que começou. “Para Johnson, a chave para o sucesso não foi nascer com dinheiro, mas ser capaz de se dar uma chance”, diz Jaime. E então amigo leitor o que achou? Acredito que esta mais claro o fato de que cada um de nos pode construir riqueza e multiplicar valor se assim desejarmos, não é necessário nenhum poder especial para isso. Não se esqueça de enviar o seu comentário logo abaixo. Até a próxima!

Fonte informações Exame

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen– Criador do portal www.manualinvest.com

Analfabetismo financeiro segue alto na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions