A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


05/03/2014 10:34

Seus rendimentos crescem à medida que você cresce

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

 

Veja Mais
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

 

 

Engana-se quem acha que o artigo de hoje não se relaciona as finanças pessoais e investimentos, pois o universo profissional determina em última instância todo o restante de sua vida financeira. Uma das coisas que mais escuto quando converso com algumas pessoas sobre educação financeira é: Nossa como ganho pouco pelo que eu realizo! Ou na mesma linha: Este trabalho não me valoriza, olha á merreca que eu ganho! (e por ai vai). O que acontece na verdade é que quase todas as pessoas (ou será que todas mesmo?), já tiveram aquele pensamento de que deveriam estar ganhando um pouco á mais do que recebem atualmente. Antes de tudo quero frisar que com toda a certeza existem empresas que realmente pagam pouco, que possuem salários abaixo da média, e que exploram o trabalho de seus funcionários com remunerações não compatíveis a função exercida. Mas, o que eu quero focar aqui hoje amigo leitor, é a nossa responsabilidade ante estas situações.

A constituição federal de 1988 assegura que a economia brasileira se desenvolvera pelos princípios que regem as economias de mercado (ou capitalistas), ou seja: pelas leis de oferta e demanda, livre concorrência, propriedade privada dos meios de produção, e livre iniciativa. Até aqui ótimo. Mas o que observamos muitas vezes é que os valores culturais que este tipo de sistema demanda, entra em conflito com a cultura e valores apregoados e idolatrados pela mídia como “a alma” dos brasileiros. As economias de livre mercado pela sua lógica inerente beneficiam o “mérito”, isso significa que, sobrevivem e conquistam mercados, ou ás melhores posições profissionais, as empresas e pessoas que se saem melhor em desempenho em comparação aos seus concorrentes, entregando um valor superior em produtos, serviços, trabalho, criatividade, e inovação de maneira muito mais eficiente e eficaz ao que é realizado “pela média”. O mérito é um valor muitas vezes esquecido por nós brasileiros, e pior ainda é um valor esnobado. A cultura massificada do “jeitinho” parece estar impregnada em nossas mentes, nela o valor estimado por todos é o de tirar proveito em beneficio próprio, enrolar, burlar as regras, e outros. O herói nacional é o malandro, ou aquele que consegue ser “mais esperto” que o outro, no pior sentido da expressão.

Portanto amigo leitor pense novamente quando você sentir que esta ganhando menos do que deveria. Pergunte-se: Você está entregando mais valor? Seu desempenho justifica um aumento salarial? Você esta se capacitando mais do que seus concorrentes? Qual o seu diferencial? Sou facilmente substituível, ou sou um profissional escasso no mercado de trabalho pelas minhas competências, habilidades, e resultados? Uma organização séria e que entende realmente o valor do capital humano, e a importância da retenção de funcionários que estão em constante crescimento, sempre vão dar ouvidos a este tipo de questionamento. Geralmente empresas assim já possuem programas de valorização, programas de carreira, programas de remuneração por resultados, e obviamente sempre concordarão com um aumento ou promoção, que se mostre evidente pelo desempenho apresentado. Agora ao contrário, se você se encontra naquelas empresas que citei no início, que realmente exploram seus funcionários e os veem como “simples peças na linha de montagem”, a regra é clara: está empresa não é para você. Se uma empresa não reconhece seu valor, o esforço que dedica se aprimorando, entregando resultados, e a sua vontade de crescer, acredito que o melhor a fazer seja repensar seu emprego e buscar novas oportunidades, ou mesmo um negócio próprio. Esta empresa simplesmente não lhe merece.

Por último vamos analisar á dúvida: Quando eu sei que meu resultado merece um aumento? Muitas vezes podemos achar que merecemos mais quando na verdade não merecemos. Á dica para isso é olhar em volta. Verifique quanto ganham, quais os resultados, ou quais os diferenciais dos profissionais bem sucedidos em sua área. Com isso você saberá se os seus esforços equiparam-se com estas referências, tendo assim um parâmetro para avaliar se realmente merece o tão desejado aumento ou promoção. Pense bem amigo leitor, os seus rendimentos crescem na medida em que você cresce. E então o que achou deste artigo? Você também acha que merece receber um pouquinho á mais de salário? Qual o resultado você está entregando acima da média? A sua empresa valoriza os colaboradores dedicados? Se á resposta for não, já considerou á mudança de emprego ou mesmo abrir um negócio próprio? Deixe seu comentário! Até a próxima!

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen– Criador do portal www.manualinvest.com

 

 

 

Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions