A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


06/10/2014 08:41

Surgiu um imprevisto? Descubra como sair dessa.

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Tudo parece sob controle até que você perde o emprego, sua ferramenta de trabalho quebra ou alguém de sua família adoece. Imprevistos acontecem e, segundo pesquisa do Meu Bolso Feliz/SPC Brasil, 18% das pessoas não se manteriam nem por um mês e 55% nem por três meses em uma situação de dificuldade, pois não têm o hábito de poupar.“Sem planejamento, você, da noite para o dia, pode se ver em uma situação inesperada onde as contas não fecham, muitas compras desnecessárias foram feitas, parcelamentos realizados e as faturas dos cartões estão em aberto. Fatos que, rapidamente, desestabilizam sua tranquilidade financeira”, diz José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz.Se ainda não começou a poupar, aprenda a lidar com problemas financeiros inesperados da melhor maneira possível:

Veja Mais
Como os atletas perdem milhões
Qual é a melhor hora para comprar?

1 – Não se desespere. A dica parece simples demais, mas o pânico faz com que atitudes impensadas sejam tomadas.

2 – Reúna a família, explique o problema e discuta com todos uma maneira de resolver a questão. Com a opinião de outras pessoas, vocês podem chegar a um acordo juntos.

3 – Busque, com racionalidade, um financiamento que se encaixe melhor a sua realidade. Defina qual o percentual da sua renda que pode ser comprometido com as parcelas desse financiamento. O ideal é que fique perto dos 10% ou 15%, no máximo. Acima disso, a parcela começa a desestabilizar as finanças da família.

4 – Fazer um crédito consignado pode ser uma boa opção para juntar as dívidas numa só, com juros menores e tomar um fôlego. Essa modalidade é uma das linhas de crédito mais baratas do país, pois o empréstimo tem como garantia seu próprio salário e a parcela é debitada diretamente na folha de pagamento. Porém, vale uma pesquisa já que as taxas no mercado podem variar entre 1,43% ao mês (18,63% ao ano) e 6,41% ao mês (110,64% ao ano).

5 – Se você não tem acesso ao Crédito Consignado, outra opção é o Crédito Pessoal que tem taxas mais em conta já que você pode escolher um prazo que mais se encaixe às suas necessidades. Além disso, a burocracia também é simplificada. Uma pesquisa de custo vale a pena, pois as taxas podem variar bastante.

6 – Fique atento às furadas. “Tome cuidado com créditos automáticos e rotativos como o cheque especial“, aconselha Vignoli. Com juros de até 10,68% ao mês (238% ao ano), o uso do cheque especial pode gerar uma dívida muito maior do que a esperada. Por outro lado, se você tiver o dinheiro para quitar a quantia usada antes da cobrança dos juros, pode aproveitar a facilidade, sempre atentando ao dia exato que terá para cobrir o valor.

7- Cuidado ao usar o cartão de crédito para resolver o problema. O perigo da modalidade é que, caso a quitação total da fatura daquele mês não seja feita, os juros do cartão podem ultrapassar 12,5% ao mês e seu controle financeiro vai por água abaixo.

8 – Para o próximo susto, planeje-se. “Não importa o quanto eu gasto por mês. Pelo menos 5% do que ganho vai para poupança e, sempre que uma emergência aparece, uso o que economizei, sem pestanejar”, conta Maria Eugênia Santos, dona de casa.

Fonte: meubolsofeliz.com.br.
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.mayel.com.br

Como os atletas perdem milhões
Recentemente, um amigo me enviou um artigo de revista que continha alguns exemplos divertidos dos gastos fora de controle de atletas profissionais. C...
Qual é a melhor hora para comprar?
Quando fui convidado a escrever este artigo para o Dinheirama, pelo Renato De Vuono, encarei isso como um grande desafio. Intuitivamente, e para ser ...
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions