A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016



06/11/2011 08:15

Eduardo Machado Metello e seus três “Casos” com estilo inovador

Grandezas da Literatura

Das particularizações de inteligência no mundo, as mais raras são aquelas que associam, à intelectualidade séria, o bom humor com ironia fi na, o chiste sem zombaria, a brincadeira sem escárnio. Eduardo Machado Metello é um desses casos; demonstrou dar o possível de si para fazer o melhor nos ramos de atividade a que se prestou, e além de tudo se fez boa companhia para todos. Em 1994 lançava o livro “3 Casos”, que abordamos neste texto. Após sua morte, que ocorreu em 22 de julho de 2000, era lançado (em 12/3/2004, aniversário de 25 anos da Famasul) o segundo volume do que se tornou a trilogia “3 casos”, posto que o escritor legou inédito material.

Veja Mais
Currículo - Guimarães Rocha
Fausto Furlan

Eduardo Machado Metello (São Paulo, 1930-Campo Grande, 2000), ocupou na Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, a cadeira 32, atualmente ocupada por Abílio Leite de Barros, patrono Weimar Torres. Sua carreira profissional e pública foi construída em Mato Grosso do Sul e abrangeu todo o Estado. Além de escritor, ilustre advogado, professor universitário (Universidade Católica Dom Bosco), renomado fazendeiro, foi destacado defensor dos produtores rurais. Líder respeitado influenciou positivamente a agropecuária regional e nacional. Presidiu a Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), o Sindicato Rural de Campo Grande e a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso do Sul (Famasul). Escreveu os livros “3 Casos”, “Meu Amigo Autonomista” e “A Reforma Agrária no Brasil”. Lançou e incentivou as publicações rurais “Informe Agropecuário” e “Famasul em Revista”. Foi colaborador de dezenas de periódicos do país, inclusive da revista Globo Rural.

A obra “3 Casos” é apresentada de três em três itens a cada título abordando determinado tema ou assunto. Por exemplo: “3 Casos do Dr. Vespasiano”; “3 casos de minha mãe”. O autor homenageia a história regional, deixando entrever, na maioria dos casos, a conjuntura de momento, com seus personagens folclóricos como “Pedro Pólvora” e tantos outros. A todo passo surge relatado algum caso presenciado por Metello pelas cidades do interior. Nessas, ilustrava todo evento agropecuário, convivia e contribuía para o progresso geral.

A profissão de advogado lhe era fonte de excelentes casos. Num deles, o cliente ameaça dispensar seus serviços. Estava com um problema e acreditava que Metello não lhe serviria e usou o seguinte argumento: “— Para esse caso, preciso de um advogado safado, pois a parte contrária tem um procurador terrível, capaz das maiores bandalheiras. Como sei que o senhor é uma pessoa séria, desejo, desta vez, tratar um advogado velhaco, para equilibrar a situação”. — Mas mudou de ideia ao ouvir o seguinte comentário do seu intercessor: “— Você já pensou se o tal advogado safado, que vai ser contratado, usar a safadeza contra você? Se ele for desonesto, provavelmente isso é o que acontecerá...”. Em seus escritos dá novos significados e revela a alma da gente comum, os comezinhos do cotidiano do citadino e a belíssima simplicidade da vida rural.

Metello trazia em parecença a vivacidade mental-espiritual de seu pai, Adriano Metello Júnior, que está incluído em seus Casos. Em primeiro de agosto de 2000, o Senado brasileiro aprovou voto de profundo pesar pela morte (em julho do mesmo ano) de Eduardo Machado Metello e apresentação de condolências à família e ao Estado de Mato Grosso do Sul. A passagem da sua vida por esta terra, também desperta nos corações que o amam, três casos: antes, durante e depois. O “durante”, a sua existência, é imorredouro no “depois” que vivemos agora, sempre com as boas lembranças que sadiamente sobre nós reagem.

Currículo - Guimarães Rocha
Guimarães Rocha (Antonio Alves Guimarães) é poeta escritor, membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Nasceu em Quixeramobim, Ceará. Viveu em ...
Fausto Furlan
Nosso agradecimento ao artista Fausto Furlan, pintor, ilustrador das imagens dos poetas e escritores homenageados.(Pintor e cenógrafo, Fausto Furlan,...
Reconhecimento
A ABOIMS se orgulha de possuir em seu quadro de associados figura tão eloqüente quanto você. Guerreiro tenaz, ingressou na nossa gloriosa Policia Mil...
Uma construção que nos faz tocar estrelas
Esta obra de Guimarães Rocha é uma sondagem reveladora.Um arranha-céu ornamentado por uma constelação de ilimitados valores. A literatura, um choque ...



Sobre o saudoso professor, deixo três lições que ele me passou e que ultrapassam os limites do Direito Civil, matéria que ele lecionou na UCDB - Turma 1993:

❶ Aprender inglês, você tem de pensar em inglês. Aprender Direito é a mesma coisa. Por isso que os brocardos latinos são importantes.

❷ Minuto de bobeira: todo mundo um dia levanta e faz algum mau negócio. Você precisa estar sempre atento, sempre se aperfeiçoando, nada de ser "doutor de um livro só".

❸ O poder corrompe. De tanto ser bajulado, você acaba achando que é o "tal". Nunca julgue que já aprendeu o bastante, pois o bastante sempre é insuficiente, e não o inverso.
 
emerson marim chaves em 19/05/2013 15:51:23
Caro Sr. Guimarães Rocha,

Em nome de minhas duas filhas, Anajô e Aline, e meu, agradecemos a leitura de seu artigo sobre o meu saudoso marido "Eduardo Machado Metello e seus " 3 Casos" com estilo inovador", o qual nos trouxe agradáveis lembranças e muitas saudades.
Att
Maria Lúcia Metello
 
Maria Lucia Metello em 06/11/2011 10:18:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions