A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Fevereiro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


14/02/2014 17:04

‘ Londres, vice de Delcídio?’

Manoel Afonso

CALMA Escolher qual rumo tomar numa eleição não é como escolher o destino das férias. É coisa séria; implica em consequências incomensuráveis. Portanto não se deixe levar pelas aparências e alguns fatos expostos no dia a dia da mídia.

ATENÇÃO: Algumas datas devem ser observadas no contexto eleitoral e que ditarão o movimento das forças políticas envolvidas no processo. Por esse calendário, o jogo está zerado, ninguém é de ninguém oficialmente. Só flertes e acenos.

A PRIMEIRA data significativa é de 5 de Abril, quando André anunciará sua decisão de concorrer ou não ao Senado. Esse fato será o divisor de águas do processo, pois disso dependem várias candidaturas, composições e coligações partidárias.

ANUNCIADA a decisão pelo governador, estarão abertas as portas, janelas e porteiras partidárias até as respectivas convenções – entre 15 a 30 de junho. Teremos assim quase 3 meses, (a contar de 5 de abril) para se definir os rumos e nomes.

EFERVESCENTE Assim deve ser chamado esse período onde realmente candidaturas e coligações serão sacramentadas – antes nos bastidores - e depois nas convenções, cujo registro da ata poderá ocorrer até 5 de julho na Justiça Eleitoral.

DETALHE Esse prazo entre a realização da convenção e a efetiva entrega para registro da ata na Justiça Eleitoral é valiosa, pois é usado para os últimos ajustes na escolha de nomes. Até última hora tudo pode acontecer. Se pode!

EVIDENTE que os políticos já trabalham com perspectivas e sinalizam vontades nem sempre viáveis – quer pelas resoluções partidárias nacionais ou pela falta de ambiente receptivo, também visto como incoerente aos olhos da opinião pública.

PERSONAGENS: André, Delcídio, Nelsinho, Londres, Schimidt, Murilo e Azambuja compõem o cenário. Uns com maior, outros com menor peso, dependendo do caminho escolhido, serão os fieis da balança, beneficiados ou prejudicados.

ANDRÉ O mais tranquilo dos candidatos ao senado. Com o anunciado apoio a Dilma, independentemente da candidatura de Nelsinho, pode liberar inclusive Giroto para vice de Delcídio, tendo-se em vista que o PR é aliado do PT em nível nacional.

LONDRES Poderia ser ele o vice de Delcídio. Experiente, transita bem no Cone Sul, voz presente em Dourados e sem rejeição com a ala de Zeca do PT. Teria papel de articulador político para agregar forças e aparar arestas no governo.

SCHIMIDT Ainda espera pela resposta do juiz Odilon para que seja o candidato ao governo pelo PDT. Mas Dagoberto diz publicamente que está comprometido com André. A previsão é que o PDT deva ser apenas acompanhante.

MURILO Agregaria a região Sul que sonha em eleger um governador? Surpreendeu como candidato ao Senado: perdeu em Dourados, bateu Moka na capital. Pode se juntar a Azambuja e construir o palanque local de Eduardo Campos e Aécio.

AZAMBUJA Impedido de juntar-se ao PT poderia se unir a Nelsinho ou até a Murilo pregando a renovação. A ideia é interessante com respaldo no que se desenha em nível nacional pelo PSDB e PSB. Dois caminhos perfeitamente viáveis.

A PROPÓSITO Selada a aliança Murilo e Azambuja, a candidatura de Londres como vice de Delcídio ganharia força, pois iria se contrapor à essa chapa exatamente na sua base mais forte situada na Grande Dourados e o Cone Sul. Concorda?

NELSINHO O vexame de Bernal passa a ajudá-lo diante das comparações inevitáveis. Tem a seu favor o bom desempenho do PMDB nas eleições estaduais, mas precisa se aproximar mais de André, dos deputados, prefeitos e vereadores.

DELCÍDIO Só ele pode salvar o PT da derrota. Mas precisa atrair partidos com eleitores de outro perfil e ao mesmo tempo distanciar-se de Bernal, que ficou leproso politicamente - hoje uma figura desinteressante para qualquer candidato.

QUESTÕES: As alterações no cenário político, social e financeiro refletirão até que ponto na sucessão estadual? A contundência e indignação de Aécio e Eduardo Campos podem radicalizar e transformar as eleições em plebiscito anti-PT?

ACUADO Embora no poder, o PT sofre desgastes de toda ordem. A condenação dos mensaleiros inibiu o discurso da moralidade e as comparações entre os gastos da Copa e a carência na Saúde e em outras áreas prioritárias serão inevitáveis.

CRÍTICAS De todos os nomes, apenas Azambuja criticaria o Planalto de forma mais contundente. Mas teria o escopo para transmitir e convencer? Nessa hora valem a experiência, o carisma, a imagem, o discurso e o embasamento cultural.

GASTOS Nem todos os leitores tem ideia do custo de uma candidatura. Não se faz uma campanha para a AL com menos de R$2 milhões e estima-se em R$10 milhões o valor para chegar a Câmara Federal. Para o Senado então, uma loucura.

‘MISTÉRIO’ É velho o ditado: “dinheiro de colchão não ganha eleição”. Os políticos profissionais não admitem gastar recursos do patrimônio pessoal e se viram para captar recursos junto a empresas beneficiadas por suas ações administrativas.

PERGUNTAS no saguão da Assembleia Legislativa: “ Será que Murilo estaria disposto a gastar parte de seu admirável patrimônio, a exemplo de Azambuja com suas fazendas de soja?” Os mais íntimos de ambos juram: jamais!

Eu quase de nada sei. Mas desconfio de muita coisa.” (Guimarães Rosa)

Capital: Câmara sem clima para oposição ao prefeito
‘CRIME E CASTIGO’ O livro do russo Fiódor Dostoiévski é o mais lido na prisão que abriga o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), com benefício a remição ...
Terceira via – força poderosa ou mera coadjuvante?
PAULO SIUFI Articulado, o deputado estadual, do PMDB, dará tempero aos debates. E não perdeu tempo ao abordar com sutileza e precisão o episódio do j...
Decisão do TJ pode inviabilizar cinemas no Estado
‘PATINHAS’ Deputado federal Carlos Marun (PMDB) voltou à mídia ao gastar R$ 1.242,00 da Câmara Federal na sua festejada ida à Curitiba. Ora! Desgaste...
Prefeitos priorizam obras em prejuízo à educação
FARRA DO FIES Na revista Veja (edição 2514) extensa reportagem sobre o caso envolvendo jovens de Campo Grande (MS) beneficiárias do financiamento do ...



a tempos que esta acertado PT E PMBD vao caminhar junto aqui em ms só nao ver quem nao quer mas tenho certeza que dourados vai fazer diferença esta eleiçoes .
 
jose roberto em 21/02/2014 07:13:02
Engraçado! o povo só sabe meter o pau nos candidatos antigos. Para contrariar colocaram o Bernal, e olha só o que ta virando a prefeitura de Campo Grande. Eu tb acho legal renovar, ter novas idéias, mas o povo precisa pensar muito antes de votar, pois votar em qualquer um não é um bom negócio para o nosso Estado, nós precisamos de idéias inovativas, gente séria, mas tb gente experiente e que sabe realmente governar um Estado. Por gente nova somente para protestar? acho uma idiotice, as coisas tem de ser muito bem balanceadas, pois nosso Estado não é uma brincadeira, como o Bernal esta fazendo, e este foi eleito em peso pelo povo que não pensa nas consequencias, dai vira esse circo.
 
João Dantas em 20/02/2014 11:25:42
muito interessante o comentario de manoel afonso nosso candidato e nelsinho governador
 
PAULO VIEIRA em 19/02/2014 10:55:40
Londres vice do Delcídio!!!???? Seria o fim da carreira política do Londres. Para o Delcídio tanto faz perder (de novo), pois tem mais quatro anos de mandato como senador.-
 
Osmar Felinto de Mello em 18/02/2014 11:23:01
la em dourados tem um pré candidato que é o ze roberto do psol se depender de nós ele se elege por que tem demostrado bastante coragem nas utimas eleiçoes e bom projetos.
 
antonio carlos de itapora em 18/02/2014 06:53:14
Vou às sessões da Assembleia regularmente e nunca vejo o Londres em plenário. E mesmo assim ainda quer ser vice do Delcídio? É bom que vai, assim afunda logo esse PT.
 
luiz carlos em 17/02/2014 22:11:14
A grande realidade do nosso estado é a carência de novos candidatos comprometido com o povo, precisamos sim de renovar AL, para que haja pessoas com pensamentos novos e comprometidos. O que precisa é acabar com os coronelismo na política, não a possibilidade de deixar um candidato tanto tempo no poder, veja e analise os projetos, leis e emendas, o primeiro e segundo mandato até que fazem alguma coisa, mas depois só encher linguiças!!!
 
Marcio Misuguti em 17/02/2014 12:27:14
A grande verdade que a mídia em sua maioria comprometida com políticos diz e comentam o que eles querem. de todos esses políticos profissionais que querem se reeleger só existe um que merece respeito. O Azambuja é um homem de palavra, honrado, ficha limpa o resto, tudo farinha do mesmo saco.
 
natan silva em 16/02/2014 14:51:49
o eleitor já cansou da velhas raposa da politica e pode ter grande supresa pura ai com os partido que ainda nao esteve no poder vamos fazer diferente eleitor chega de mesmismo temos o psol quem tem dado o exmplo no congresso nacional ou será que a tecnologia evoluiu e cabeça do eleitor ao já temos pré candidato a deputados governador e até senador pola pra frente e ceremos vencedor .
 
josé roberto em 16/02/2014 07:20:11
Os nomes dos pesos pesados de nossa política já estão em evidência há algum tempo. As tratativas por enquanto, apenas nos bastidores. Candidatos à governador, senador, deputados federais, deputados estaduais estão na mídia; a disputa promete ser acirrada, na minha modesta opinião, o único candidato que está com a mão na taça é o governador Andre, mesmo dizendo que não sabe se candidata, veja bem, ele tem base, tem apoio, e, principalmente uma idade na qual nenhum político bem sucedido abdicaria do poder. Portanto, o tempo saberá quem está com a razão.
 
bene rodrigues costa em 15/02/2014 11:26:12
PERSONAGENS: André, Delcídio, Nelsinho, Londres, Schimidt, Murilo e Azambuja compõem o cenário. Esqueceram de Jerson Domingos, Jamil Name nomes que pesam na balança. Faz muito tempo que não se governa Mato Grosso do Sul sem o lendário Jamil Name.
 
josé ivan de almeida em 14/02/2014 19:17:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions