A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


13/12/2013 14:08

Ambição & Corrupção

Manoel Afonso

DESAFIO: Como cumprir a determinação de aumento do piso salarial do magistério em janeiro, se os encargos serão superiores aos repasses do FPM? Uma equação difícil que motivou aquela ruidosa manifestação dos prefeitos em Brasília.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

IMPASSE: Evidente que os professores merecem ganhar melhor; mas os prefeitos que não conseguirem pagar poderão ter suas contas rejeitadas. Daí ser preciso aperfeiçoar o pacto federativo e rediscutir o modelo de administração dos municípios.

MUDANÇAS: Moka acha que a futura Lei das Licitações, (ele é relator-revisor), criará mecanismos ágeis anti-corrupção e será mais pragmática com as mudanças na carta-convite e a tomada de preços. Como se diz: já é uma luz no final do túnel.

A PROPÓSITO: As operações ‘cinematográficas’ da PF exibidas no Jornal Nacional parecem insuficientes para inibir os corruptos na administração pública. Dois casos recentes chamaram a atenção no MS: Douradina e Chapadão do Sul.

PERGUNTO: Como fica a cabeça da mulher e filhos dos acusados pegos com a mão na botija? O que dizer aos amigos e colegas na escola? Após libertos, terão coragem de continuar vivendo na pequena comunidade? Com que cara ou moral?

COBIÇA “Ela envenena a alma” – dizia Charles Chaplin. Quando ela se manifesta pela corrupção, é mais nociva, prejudica os pagadores de impostos e quem necessita dos benefícios públicos nas áreas da saúde/educação/moradia, por exemplo.

CASOS como esses afugentam pessoas idôneas e capazes da vida pública/partidária. A maioria prefere tocar a vida no anonimato da iniciativa privada, Essa postura justificada, às vezes abre caminhos para a ação dos despreparados e desonestos.

VEJA BEM! O ex-secretário preso em flagrante em Chapadão acabara de ser eleito presidente do diretório do PDT. Ora! Está aí o retrato sem retoque do cenário pouco animador - que provoca indignação de todas as pessoas sensatas.

A CONTA é fácil e deveria ser ensinada nas escolas: quantos litros de leite, remédios, calçados e uniformes poderiam ser adquiridos com o dinheiro levado pela corrupção? Se não ensinarmos ética e retidão às crianças, o futuro estará perdido.

ARREMATE Não cola mais o papo que a ‘mania’ de levar vantagem é só cultural. É fruto da péssima formação moral que distorce valores de conduta. Admiramos países como o Japão e insistimos na contramão. Somos um povo contraditório.

EXEMPLOS No Brasil atitudes honestas são exaltadas, equiparadas a atos de bravura. Caso por exemplo de quem devolve dinheiro achado na rua. Ser honesto deve ser uma atitude normal, independentemente da condição social do cidadão.

PUNIÇÃO! Assim pede o povo em todos os casos de corrupção. Lembra as passeatas de junho? Aliás, o prestígio do ministro Joaquim Barbosa não é obra do acaso, encarna todo o sentimento de indignação da sociedade não contaminada.

É EXCEÇÃO O pessoal do PT ainda insistindo em tentar martirizar seus velhos companheiros condenados. Ora, ora! É preciso respeitar a nossa inteligência, calar o bico e lembrar: o STF tem 8 integrantes escolhidos pelo Governo do PT.

BASTA! A prisão dos mensaleiros está dando força aos Juízes de Direito para manter presos todos os corruptos pelo Brasil afora. Isso é bom, engrandece a justiça aos olhos de pobres e ricos e devolve-nos a esperança da verdadeira mudança.

POLÊMICA Quem tem razão: o governo ao conceder incentivos fiscais para atrair industrias ao MS – ou os municípios que ficaram sem o dinheiro destes impostos e que ameaçam agora ir à justiça para reaver seus respectivos quinhões?

OS PREFEITOS analisam, sob a ótica da conveniência, não levam em conta a grande concorrência entre os Estados para atrair indústrias. O MS abre mão de impostos, mas é beneficiado com o dinheiro extraordinário que gira graças aos empregos.

RAZÕES Cada uma das partes tem sua parcela, mas nos corredores da Assembleia atrela-se a iniciativa das prefeituras ao processo sucessório, já que é visível a influência tucana na Assomassul. Mas não é tão grave que uma conversa não resolva.

MEMÓRIA Conhecer o regimento da AL e Câmara é dever de todos legisladores, mas poucos conseguem. Nesta semana quando Marcos Trad mostrou ser especialista no assunto, alguém lembrou: o então deputado Cícero de Souza era 10.

PREOCUPA Com a vinda de novos vereadores, a Câmara Municipal da capital vai piorar ou melhor seu nível? Entre os jornalistas que cobrem as sessões, a comparação é inevitável: o quadro caiu mundo em relação a legislatura anterior.

‘ALEGRES’ Se no interior é admissível que existam dificuldades para compor um seleto grupo de legisladores, o mesmo conceito não pode ser aplicado na capital. Mas a gente percebe; alguns vereadores não tem noção das suas reais atribuições.

NO BRETE Bernal foge da Câmara como o diabo foge da cruz. E aí apela para todos meios disponíveis: reconcilia com Siufi e Jamal, faz nomeações e até sua diabetes dá uma mãozinha. Mas recente pesquisa mostra: sua bola está murchando.

‘INTERESSANTE’ Os 4 ex-presidentes juntos, sorrindo para os fotógrafos antes da viagem à A. do Sul. Aqueles discursos críticos e ataques pessoais, disponíveis nos vídeos da internet, ignorados. A incoerência faz parte do jogo democrático.

“A corrupção é o fruto podre da nossa indiferença política”. (Joel Birman)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



Caro Manoel esta conversa de aumento de piso salarial é uma desculpa política de muitos anos , mas me pergunto se parassem de pagar como vemos publicidade de 8 milhões por mes, em governo ,na capital ja que dizem que sempre estoura o piso , não seria mais importante valorizar o profissional seja professor, engenheiro, medicos e por ai vai, no lugar de gastar tanto com mídia de autopromoção, entendo que quem trabalha o povo ve e a melhor propaganda são as obras e as atitudes que refletem no bolso , na educação e nos esportes tão esquecidos pelos políticos portanto me provem ao contrário que gasto de publicidade para governos e prefeituras são inúteis,, me desculpem os profissionais da a´rea mas tem muita empresa privada, muitas lojas, industrias para ganharem mercado e nao dos políticos..
 
marco antonio maia em 16/12/2013 14:10:38
A corrupção já deveria ter mudado sua nomenclatura para por exemplo roubos e furtos, assim, as pessoas com menor nível de escolaridade, passariam a entender que não se trata de simples desvios de conduta, porém, de roubo mesmo. Aí não teriam como apresentar desculpas ou justificativas, e a sociedade como um todo, passaria a cobrar providências enérgicas, rotulando os autores. Por outro lado, a morosidade da justiça, acaba por beneficiar os criminosos. Esta semana, na Coreia do Norte, um importante membro do conselho político do país, foi indiciado, julgado, condenado, e a pena recebida, a pena máxima, a pena de morte. O cidadão saiu da sala de julgamento direto para o paredão onde foi metralhado. Será que tal medida inibirá novos corruptos?
 
bene rodrigues da costa em 15/12/2013 07:14:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions