A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


06/04/2012 10:00

Amplavisão

Manoel Afonso

DAGOBERTO As suas pegadas deixadas nos últimos dias indicam que deve aceitar a proposta do PMDB. O PT joga a última cartada, mas o ex-deputado sabe: se perder mais uma eleição sua carreira estará encerrada. Em política é assim.

Veja Mais
Clamor popular contra impunidade do policial matador
Marquinhos e Reinaldo juntos nas eleições de 2018?

REPETECO Não é fácil administrar as mesmas pretensões eleitorais quando se tenta formatar um bloco interpartidário. Afinal, todos candidatos se julgam com chances e lutam até o final para ser o cabeça de chapa. Certo?

NA PRATICA esses ‘casamentos de conveniência’ não funcionam por razões diversas. Um candidato se julga discriminado no horário eleitoral, outro alega falta de repasse de verba/material e assim por diante. As diferenças afloram.

ALIANÇAS políticas exigem acima de tudo desprendimento. Mas pergunto: quando se lida com poder isso existe? Ora bolas! No cenário político não há espaço para filósofos e bons samaritanos. Esqueçam as frases de efeito. Tudo fachada.

NOTÍCIAS Cuidado com elas na avaliação política. Nem sempre espelham o que se passa nos bastidores. Quem frequenta esses espaços sabe: entre a realidade e a ‘fantasia noticiosa’ há uma diferença quilométrica devido aos interesses.

DESAVISADOS... e demagogos ‘travestidos de falsos moralistas’ apregoam que essas eleições municipais no Brasil possam ser uma espécie de divisor de águas para uma nova era da vida pública-partidária. Tenho dúvidas.

BALELA Nas eleições municipais não existe o debate doutrinário e ideológico. A tentativa de popularizar essas questões não rende votos; o eleitor não está interessado neste tipo de assunto. Aliás, a maioria nem entende.

A CRUZADA moralista tendo como estandarte a tão discutida Lei da Ficha Limpa, também não deve funcionar. Existem várias brechas e dúvidas entre os juristas, o que deve congestionar os julgamentos de impugnações na justiça.

PALANQUE prefeitural discute o currículo dos candidatos e a capacidade dos mesmos em solucionar os problemas do dia a dia da comunidade: a sonhada praça, o esgoto a céu aberto insuportável, a creche prometida e assim por diante.

MESMO nas capitais o discurso deve seguir esse rumo. Referências à Ditadura, Lei da Anistia, Tortura, etc e tal interessam à quem? Se o pessoal nem lembra mais do Collor, imagine insistir nesses assuntos anteriores. Não cola.

O ELEITOR vive muito o presente, é pragmático e imediatista em suas pretensões. No seu universo não existe diferença entre os políticos liberais/comunistas/ socialistas. Tem pré-conceito um tanto cético das propostas dos políticos.

O FILÃO Imagine as consequências do fim do voto do analfabeto e a desobrigação do exercício do voto! Seriam danosas aos que se beneficiam do eleitor pobre/clientelista, de fácil manipulação através dos meios já conhecidos.

MORALIZAÇÃO Salvo onde o fenômeno rendeu escândalos na mídia, com cassação de prefeitos ou vereadores, essa bandeira deve ser substituída por propostas palpáveis, vindas de gente reconhecidamente como capacitadas.

A PROPÓSITO Dourados apresenta um quadro ‘sui generis’, onde rivais depuseram as armas – temporariamente - e agora voltam a se digladiar. Imagino que Artuzi deva continuar ‘sacrificado’ em nome da ‘purificação da cidade’.

MEMÓRIA Alguém ouviu discursos de Dilma e Serra contra a corrupção ou pregando a moralização? Se poucos partidos não estão contaminados com casos graves, ambos os lados adotaram a retórica, menos moralista e mais progressista.

‘INIBIÇÃO’ parecida já se nota na sucessão da capital. Os pré-candidatos seguem a mesma retórica: ao invés da exploração de denúncias, focarão a solução dos problemas da comunidade, o que chamam de campanha propositiva.

DEPUTADO Tetila, com base no livro “O Patrimônio de São Carlos”, de Nilson Britez (militar reformado) questionará em Brasília o ‘desaparecimento’ deste povoado no município de Bela Vista e pedirá devolução das terras.

O LIVRO é completo: traz mapas inclusive localizando o patrimônio, às margens do rio Apa, com área definida de mil hectares, distante 28 kms de Caracól. Em 1954 moravam lá 200 pessoas e existiam 34 moradias e uma escola.

ABSURDO Sob o argumento da defesa do território nacional e que a área era devoluta, o Exército apropriou-se da mesma, enxotando os moradores. Em 1980 foi despejado a última família, sem direito a defesa e qualquer indenização.

CONTRADIÇÃO Hoje os descendentes dos moradores vivem nas periferias de Bela Vista e Caracól, trabalhando como peões. Enquanto isso, tal área incorporada ao Exercito, serve de pastagens aos fazendeiros da região.

TETILA está inconformado. A ação do Exercito foi arbitrária: os moradores tinham a posse da posse reconhecida pelos fazendeiros vizinhos. O povoado era servido por uma linha de ônibus e tinha inclusive destacamento da Polícia Militar.

O RELATO da violência do Exercito contra os moradores na efetivação do despejo emociona os leitores. É de se questionar: é justo que essa situação se perpetualize? O Exercito precisa dessas terras? Afinal, a Ditadura acabou!

DANTE FILHO: “Pesquisas são manipuladas ao gosto do poder, principalmente quando a situação está remediada como no momento; boa empregabilidade, consumo em níveis estáveis, inflação em baixa e oposição manietada.”

Clamor popular contra impunidade do policial matador
IMPUNIDADE O conjunto de manobras para beneficiar Ricardo Hy Um Su Moon, o policial rodoviário federal assassino do empresário Adriano Correia do Nas...
Marquinhos e Reinaldo juntos nas eleições de 2018?
DESMAMA Há quem pregue: o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), deveria imitar seu colega do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), acaba...
Algo mudou, só os políticos não percebem
NA MOSCA As centrais sindicais estão 'pê da cara' pelo risco de ficarem sem o velho dinheiro carimbado do imposto sindical. Essa CLT octogenária, ran...
Mandato massageia o ego, enche o bolso!
A CONTA Congelados os salários dos vereadores da capital em R$15.031,78. Atitude louvável neste universo de tanta sacanagem. Seria muito ou pouco o v...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions