A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


18/09/2015 14:26

Candidato só ganhará com novo discurso

Manoel Afonso

É PENA” Nossos deputados estaduais continuam ignorando a situação política do país. Até aqui a palavra impeachment não foi pronunciada, é vista como se fosse indecorosa ou pornográfica. Mas esse cenário teatral é facilmente explicável.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

OS TUCANOS precisam dos 4 deputados do PT em votações e o próprio líder Rinaldo trata os petistas como se fossem figuras de cristais. Já o pessoal do PMDB fica de saia justa pelo fato do partido ser sócio do poder no Planalto. Todos iguais.

ENQUANTO isso, questões como limpeza de terrenos na capital ( pode?) e outorga de títulos de cidadania e outros eventos tem merecido espaço na agenda do legislativo, infelizmente divorciado do grave quadro nacional. Esperava mais desta legislatura.

PRESUME-SE que o deputado vivencie a realidade do país e por consequência transmita seu sentimento de indignação. Mesmo com a postura absurda do ministro Cardoso, da Justiça, na questão indígena, a passividade na AL impressiona.

IMPEACHMENT Collor foi para o beleléu por muito menos. O mensalaleiro Genoino chegou a propor o mesmo castigo para FHC. Lembra? Agora os petistas dizem que esse instrumento é golpe. E por ironia Hélio Bicudo (ex-PT) é um dos autores.

PIADA O Governo não corta na carne, não demite parte dos 26 mil petistas em cargos de confiança e nem extingue ministérios. Mas quer a população pagando mais impostos no futuro. Ora! A desaprovação de Dilma nas pesquisas atesta sua incapacidade.

PEPINÃO Claro, a decisão é passível de reforma. Até lá o deputado João Grandão terá insônia com a pena de 11 anos/10 meses de prisão ( inicialmente em regime fechado) imposta pelo TRF1, reformando aquela decisão local que o havia absolvido.

REFLEXÃO Sem discutir o mérito do apurado na ‘Operação Sanguessuga’ e o futuro do recurso para reformar essa pena, o episódio é um convite à reflexão aos que sonham com a vida pública partidária. Vale mesmo a pena? Viu onde está o Zé Dirceu?

A PROPÓSITO As pessoas entram na política por vaidade, pelo intuito de servir ou para usar o poder em proveito próprio? Mas nestes anos como jornalista deparei com poucos casos em que a motivo predominante foi o desprendimento pessoal .

DE NOVO! José Carlos Bumlai ( o nosso amigo do Lula) é citado na última ‘Época’, como intermediário entre Cerveró e Michel Temer, quando 50 deputados do PMDB, teriam exigido R$ 700 mil mensais para mantê-lo no cargo da Petrobras.

IMPRESSIONA a citação de Bumlai em tantos casos enlaçados com o poder e sua postura silenciosa até aqui. O pior: não há manifestações de lideranças do PT em sua defesa. Lembra até o Zé Dirceu que foi abandonado pela ‘cumpanheirada’.

‘VALE TUDO’ A insistência do convite do deputado Dagoberto – no programa do PDT – em atrair candidatos ao pleito de 2016, mostra a falta de melhor argumentação partidária e um certo sentimento de ceticismo da população quanto a política.

PESQUISAS Elas vem mostrando mudanças de reações e opiniões do eleitorado, de um modo geral. A rejeição ao PT e PMDB sinaliza que esse ciclo pode estar exaurindo, abrindo caminho para um novo tempo, de propostas simples, mas honestas.

O PESQUISADOR Lauredi Sandin (IPEMS) acompanha essas ondas de opinião e revela: 66% dos entrevistados quer honestidade e um candidato íntegro e de caráter. O Governo que atender melhor terá a aprovação e apoio. É o arroz & feijão.

REPENSAR Paulo Maluf é o exemplo do modelo aceito no passado, mas execrável atualmente. Por analogia esse novo pensamento é extensivo a todos os níveis da administração. A população se contenta apenas com o básico e imprescindível.

PERGUNTO: Qual o custo real da Copa do Mundo? Sem ela o brasileiro teria ficado complexado, infeliz? A outra aventura e das Olimpíadas em 2016. Tal qual Hitler em 1936 , Lula queria mostrar ao mundo uma falsa realidade. Uma barbaridade!

O CASO de Campo Grande é bem isso. Em 2016 o debate versará sobre as prioridades da população. Aquário, avenidas, obras suntuosas e discutíveis, ou simplesmente os problemas básicos resolvidos de forma satisfatória? O resto não interessa.

LUZ AMARELA Tanto Marcos Trad como Ricardo Ayache já perceberam que seus discursos – concorrentes ao Bernal – devem estar revestidos dessa proposta. Nas entrelinhas ambos admitem que é preciso rever conceitos e estratégias.

CONFUSO É o quadro em Campo Grande. Bernal luta em 3 frentes: pela manutenção de seu mandato na justiça, na composição de sua equipe e nesta guerra com a Solurb que cuida da coleta do lixo. Pode sair fortalecido se tiver habilidade.

CANDIDATO oferece jantar a simpatizantes e ‘sobra’ para o assessor emitir o próprio cheque. Alertado que não tinha fundos, o candidato diz: “ tudo bem, perderei só o voto do dono do restaurante, mas os votos dos convidados já estão garantidos”.

O EPISÓDIO ocorrido no interior, é apenas mais um dentre tantos casos ‘cabeludos’ das campanhas eleitorais. Os hotéis e restaurantes são as principais vítimas de gente que se posta como candidato, mas sem cacife e sem dignidade inclusive.

‘A AGENDA’ Candidato ao senado mandava o assessor anotar na agenda os pedidos que ia recebendo no interior. Alertado pelo assessor de que a agenda estava lotada, sem espaço, disparou: “ jogue essa fora,compre outra, é só mesmo para inglês ver”.

“Lutamos contra a ditadura dos fuzis, agora lutaremos contra ditadura da propina” (Miguel Reale Jr – Hélio Bicudo)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



O LIXO NOSSO DE 11 DIAS -O empirismo do cidadão comum aponta para uma maléfica terceirização dos serviços de coleta de lixo, tudo levando a crer que apenas uma parte está levando vantagem nessa atividade, cuja intensidade é tamanha, ao ponto de interferir política e administrativamente no município, e o que é pior: tirando o sono dos cidadãospagadores de impostos, cuja saúde pública coloca em cheque a vida de todos nós. Está na hora da prefeitura assumir éssa atiividade que é de sua competência, até porque tem experiência de sobra, além de técnicos que há muitos anos atuam no setor. Assim procedendo, deixaria de se tornar refém de grupos descompromissados com a saúde e o bem estar do cidadão. Além do mais, esse serviço poderia sair pela metade do preço pago à concessionária. Benê.
 
benedito rodrigues da costa em 19/09/2015 10:09:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions