A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


16/11/2013 10:45

‘Casos & Causos de MS’

Francisco Júnior

TRAJETÓRIAS Nelas não há significativas diferenças nas pegadas deixadas por nossos políticos: derrotas, vitórias, traições e incoerências. Sem memória, pulam de galho em galho e reforçam a tese de que em política só não vale perder.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

NO RETROVISOR Lúdio entrou no PSDB pelas mãos de Canalle e surpreendeu ao destituir a direção composta por Akira, Mario Arruda e Dorival Bettine. Jorge Haddad, Sandro Fabi e Fagundes viraram homens fortes para revolta de Canalle.
CANALLE Conta Dorival Betini: Lúdio e Canalle discutiram muito minutos do início da convenção, o último se recusou a presidir o evento e após um desabafo em plenário deixou o local. Como se vê, de ingênuo e matuto Lúdio só tinha a cara.

NINHO Entraram e saíram: Wilson, Akira, Canalle, Geraldo Resende, Mario Arruda e Juvêncio. Marisa, Bacha e Valdir Neves vieram depois. Leonardo N. da Cunha, Juarez M. Batista e Saulo Queiroz figuram na lista de fundação nacional da sigla.

CONTROVÉRSIAS Sergio Motta foi o avalista da filiação de Delcídio ao PSDB para as eleições de 1998, mas houve o fogo amigo: a filiação não foi materializada e Bacha acabou sendo o candidato. Prevaleceu aí a vontade do tucanato local.

HERDEIROS Ao contrário do que ocorreu no Nordeste principalmente, aqui nem sempre houve a continuidade do mando das famílias. Várias circunstâncias, inclusive pelo fato de ser um Estado novo, influenciaram. Confira alguns casos:
LÚDIO, Levy, Canalle, Plínio e Juvêncio não fizeram sucessores. Wilson apostou em Celina, que faleceu a exemplo do ocorrido com Rachid e Flávio. Marcelo tem um filho vereador em Paranaíba e Simone não decepcionou o pai Ramez.

EQUÍVOCO Sem consultar (como sempre) seus companheiros, Pedrossian lançou Pepê e causou sérios ciúmes junto aos demais candidatos à Câmara. Mas o rapaz não tinha vocação e foi decepcionante sua atuação. Aí deu no que deu!

AINDA... Felipe deu sequência a liderança de Roberto Orro e após ser prefeito se elegeu deputado estadual. Valter Pereira elegeu o filho prefeito de Terenos por duas vezes e agora se posta como candidato a deputado estadual em 2014.

E MAIS... Londres emplacou o filho Guy vereador que deixou a política; elegeu por duas vezes sua mulher Ilda prefeita de Fátima do Sul. Para arrematar sua filha Graziella ocupa com destaque a cadeira na Câmara da capital pela segunda vez.

DOURADOS Zé Elias e Braz Melo e Totó Câmara não fizeram sucessores. Humberto Teixeira elegeu o filho vereador, que ‘caiu’ na Operação Uragano. Aliás, o episódio Artuzi acabou fazendo uma devassa nas novas (decepcionantes) lideranças.

SORTUDO Taquimoto (PFL) foi vice de Marcelo em 1986 e na eleição seguinte se elegeu deputado federal. Voltou a clinicar e quando estourou o caso Artuzi foi redescoberto como reserva moral alavancando sua candidatura vitoriosa.

PARTIDOS Usados pelos políticos como lenços de papel. O PT foi a exceção, mas nem por isso a ‘trairagem’ deixou de existir. O ex-deputado e ex-prefeito Prego, de Amambai, até hoje reclama da discriminação que sofreu de Zeca do PT.

‘ALELUIA’ Pelo noticiário, a visita de Lula é vista como a solução de todos os males: da reformulação do pagamento da nossa dívida ao fim das invasões de terras pelos índios. A disputa na fila do ‘beija mão’ impressionou; hilária, sem pudor.

DELCÍDIO Costurou certinho e ganhou a eleição da candidata (Elza) apoiada por Zeca do PT. O ex-governador falou demais, pagou mico e agora ficou em desvantagem no diretório. Isso pesará muito nas futuras decisões para o pleito de 2014.

NELSINHO Na Assembleia dizem que seu abraço não é de quem é candidato. Alguns deputados reclamam do distanciamento dele. O desastre Bernal pode ajudá-lo na capital mas precisa se mostrar mais assiduamente ao povo e lideranças interioranas.

QUESTÕES Desgastes na musculatura do clã Trad pelo excesso de seus membros na ocupação de espaços. A eleição de Otávio à vereança, o episódio Tetê na Playboy e a possível candidatura de Antonieta são temas sob constante avaliação.

VEJA BEM: Não se discute idoneidade e nem os méritos deles. O nosso cenário político é diminuto, a disputa pelos espaços enseja questionamentos dos concorrentes e partidários inclusive. Mas isso é natural: quem está embaixo quer subir.

MÉRITOS Do ponto de vista institucional Fábio Trad é o deputado federal mais preparado do MS. Marquinhos também é primoroso, mas suas relações com André tem a marca do atrito. As eleições de 2014 vão definir o futuro político deles.
MENSALÃO Presos, Genoíno, Zé Dirceu e Delúbio querem transformar um ato de constrangimento em episódio de heroísmo, como se ainda fossem vítimas da Ditadura. Conversa pra boi dormir; a parcela inteligente da população não de deixa enganar.

RECLAMAM: “porque o aliado Maluf, proibido de sair do país, circula livre por aí com mandato? Collor fez o que fez e foi absolvido. Os tucanos mensaleiros de MG continuarão impunes? Porque a impunidade acabou logo na nossa vez?”
EVIDENTE: Falta alguém nesta lista de presos. Por coincidência Lula mandou recado aos companheiros: “estamos juntos’. E não custa a gente lembrar da tese de que o então presidente não sabia de nada. E você: acredita em mula sem cabeça?

“Quero dizer, francamente à vocês, que me sinto traído”. (Lula, agosto/2005)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions