A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


27/06/2014 14:47

‘Como prometer sem comparar e criticar?’

Manoel Afonso

O FUNIL As convenções definindo a cara das eleições. Cada candidato procurando se fortalecer, olhando para frente e ignorando o retrovisor para não se martirizar com dúvidas e quem sabe até remorsos. Uma salada para todos os gostos.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

O JOGO das coligações é bruto/indecente. É preciso até tirar as crianças da sala. Nas devidas proporções repete-se aqui o que ocorre em nível nacional. Fala mais alto os interesses das lideranças, sem distinção partidária. É assim que se joga.

ROSE A aposta inicial é que ela seria mais competitiva e útil postulando o Senado, fortalecendo inclusive sua candidatura a prefeitura, além de vitaminar a musculação eleitoral do mano Rinaldo, viabilizando assim sua eleição.

PREFEITURA-1 O xis da questão. O projeto de Reinaldo, se derrotado, é disputar a sucessão de Olarte. Com o comando do partido não teria problemas em priorizar seu nome, evitando a concorrência interna. Funciona assim nos partidos.

PREFEITURA-2 Tem mais gente querendo chegar lá. Dagoberto quer voltar à Cãmara para integrar um projeto prefeitural. Na mesma esteira de sonhos está Marquinhos Trad que deve mudar de partido em 2015. Cada qual pensando em si.

QUESTÕES: Se Antonio João nunca foi testado, Rose obteve mais de 11 mil votos. Sua votação ao Senado seria o parâmetro para medir suas chances para a disputar a prefeitura. Já como vice, na derrota, ela ficará escondida, ignorada.

DELCÍDIO Pelas declarações de Reinaldo, é possível fazer a leitura dessa sinalização: será tratado como ‘bom moço’ ao longo da campanha. Há quem aposte que a ‘relação’ entre ambos tende a azedar, diferente dos tempos de afagos recíprocos.

NELSINHO Promete ser o candidato mais contundente, explorando sua administração na capital e abrindo as baterias contra o PT. Aposta na onda de rejeição de Dilma para aprofundar na TV. o debate sobre os problemas econômicos do país.

TENDÊNCIA Azambuja e Nelsinho devem ancorar seus programas de governo com críticas ao Planalto, sem perder o foco do nosso quintal. Quem for mais competente e souber nacionalizar a campanha levará vantagem. Uma boa aposta.

RETROVISOR Nele o PT sem boas lembranças de MS quando o assunto é sucessão nacional. Fico matutando: o eleitor separa as duas eleições ou acaba colocando-as no mesmo pacote? É preciso pesquisar para se ter uma noção da tendência.

CARMELINO Está de volta com aquele discurso que fez tanto sucesso contra Juvêncio. Os cabelos mais brancos, com a mesma determinação e sagacidade. Um tempero a mais. O diferencial fica por conta do quadro e personagens.

ESTRATÉGIA Para conquistar eleitores de outras tendências, Delcídio irá se manter mais distante de Zeca? A pergunta se justifica pela opção natural do ex-governador em atrair aqueles fieis eleitores com quem tem maior afinidade partidária.

LONDRES A sua missão é equilibrar a chapa, agregando lideranças interioranas e capitalizando sua influência na Grande Dourados e Cone Sul. Precisará se direcionar mais na candidatura de Delcídio do que da filha, evitando assim atritos.

‘BELEZA’! Nem começou o horário eleitoral e já ouvimos discursos/entrevistas prometendo solucionar todos os problemas. Cá entre nós: sem demagogia, críticas e contradições, eleição seria igual a novena ou dançar com irmã: chata demais.

ESPAÇO Para alargá-lo, o candidato precisa falar de si, fazendo comparações aos concorrentes que desaguam em críticas. Fala-se em campanha propositiva com um porrete na mão. As cacetadas quase sempre ditam o ritmo da disputa.

PESQUISA Nesta da Fiems/Ibrape, um ponto curioso: pela vez primeira o interior decidiria as eleições. A capital aparece como o grande território a ser conquistado pelos candidatos. Mas no decorrer da campanha a tendência pode até mudar.

SIMONE Os números mostram situação confortável, mas que acaba incentivando a concorrência por varias razões. Colherá dividendos quem mais se aproximar dela. O Ayache tem projeto, poderia ser o Secretário de Saúde inclusive. Entendeu?

FABIO TRAD Independentemente de opção partidária, o eleitor reconhece hoje que é o deputado de MS de maior visibilidade nacional. Isso deve garantir sua reeleição e ele já é citado como bom candidato ao senado lá na frente. Bagagem tem!

O GRITO é do Ney Magalhães de P. Porã. Critica a criação do Fundersul e o critério de aplicação dos recursos que resultou no abandono das velhas e importantes estradas de terra pelo poder público. O tema será debatido no palanque 2014?

A PROPÓSITO A cara alíquota do ICMS do óleo diesel em MS, de 17% mais o Fundersul, vai figurar na pauta eleitoral? Lembra o IPTU: no palanque só promessas. Após as eleições as ‘coisas mudam para ficar como estavam’, ou ainda pior.

FRANCAMENTE... A prefeitura da capital quer ‘recuperar’ o IPTU com aumento em 2015. Quero ver: haverá conivência da Câmara e o silêncio do MPE? Ora! aumento não pode ir além do índice da inflação. O Olarte ‘brincando’ com fogo.

CORPORATIVISMO e insensibilidade no CRM-MS. O episódio resultou na morte da criança em Ivinhema. O médico brigão antes do parto punido só com uma censura. Esse pessoal é intocável e aqui a vida humana é barata demais. Até quando?

“Nós não herdamos. Nós construímos” (presidente Dilma)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions