A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


12/04/2013 14:56

Delcídio e a rejeição ao PT

Manoel Afonso

POLÍTICA & MÁGOA O amigo Paulo Catanante bem que tentou, mas o recluso Zé Vieira ( ex-Bamerindus) negou-se a falar de política. Mora na fazenda em Joaquim Távora (PR) , onde é figura querida e dedica-se a pecuária e agricultura.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

A LIÇÃO O vaidoso milionário foi picado pela mosca azul e virou político. Pagou um preço altíssimo pela aventura. Alguém deveria tê-lo avisado: “Ou se vive para a política ou se vive da política. Nela não se admite meio termo, ou meia boca.”

MEMÓRIA Maior doador das campanhas de FHC (94/98), foi alvo de ingratidão ao ser atingido pelo PROER – que liquidou bancos nacionais em favor dos estrangeiros. As suas 1.500 agências e o imenso patrimônio sucumbiram num sopro.

A PROPÓSITO: Zé Vieira pediu em vão R$15 bilhões de indenização em 14 ações contra o Banco Central. Alega: com R$400 milhões resolveria a situação do HSBC, mas o Governo gastou R$ 8 bilhões para viabilizar a entrega ao HSBC.

HOLOFOTES Erra o MP na espetacularização de operações; expõe culpados e inocentes à execração pública para enaltecer seu trabalho obrigatório, pelo qual ganha bem. A fome de poder desemboca no excesso de vaidade. Menos please!

A GUERRA Onde começa, onde termina o poder do MP? É preciso definir seu papel. A questão pode levar a aprovação da PEC 37 que alija o MP da investigação criminal. Questionam os juristas: Pode o MP ser autor e parte no mesmo processo?

ZERADA A derrota da reforma política na Câmara mostrou: o PT não convenceu os outros partidos de seu projeto de poder. Nele não se discutia o voto distrital e nem o fim do caixa 2. Haveria sim menos transparência na questão dos recursos.

ENTENDA: Na distribuição de recursos partidários valeria a representação na Câmara e os votos obtidos nas últimas eleições. Até o PMDB perderia. O PT seria o grande aquinhoado com fundo público de financiamento de campanha. Um golpe!

REGRESSÃO Voltamos a era medieval; religião e política se misturando. O deputado Feliciano acendeu o estopim; o incêndio no Congresso já chegou às assembleias/câmaras. Em 2014 discutiremos sexo/religião? ‘A Culpa é do tal diabo.’

CONCORDO Moradores do mesmo bairro, além dos hábitos de consumo, também são iguais em termos de ideologia. Lembra o ditado: Pássaros iguais costumam ou gostam de voar juntos, no mesmo bando, por instinto ou necessidades, claro.

NA MOSCA Na primeira vitória de Obama, seu marqueteiro Peter Giangreco buscou nos banco de dados das pesquisas o perfil e aspirações dos eleitores. Concluiu: mesmo nas grandes cidades pode-se identificar grupos diferentes de eleitores.

CLARO! Aplica-se também critério nas pequenas cidades, onde o candidato terá maior facilidade para detectar os desejos desta gente. Portanto levo muito a sério a opinião de líderes interioranos de MS a cerca da tendência de seu eleitorado.

DÚVIDAS Nos dias atuais, até onde e quando o eleitor estará colado as lideranças mais próximas? Vereadores, prefeitos, deputados e senadores serão determinantes na escolha do futuro governador? O voto por essas indicações continuará a vigorar?

EXAME Os adversários admitem seu potencial, mas insistem: Delcídio não formou um grupo definido para lhe dar sustentação. Aliás, os petistas na AL parecem ‘tímidos’ demais, mesmo levando em conta os números das pesquisas eleitorais.

A QUESTÃO Delcídio, com seu carisma/jeito, conseguirá se sobrepor à velha rejeição ao PT em parte do eleitorado? O fator Dilma ajudará ou prejudicará? O discurso apartidário, marcado pela pessoalidade, seria o caminho natural dele?

HIPOCRISIAS a parte – após tantos escândalos e barbaridades impunes nos 10 anos de PT no Planalto, obviamente que Delcídio não discutirá moralidade e ética; evitará fantasmas; escolherá naturalmente o discurso do progresso & bem estar.

A REALIDADE de MS está aí apesar do gerenciamento vigilante de André: 15% da arrecadação vai para amortizar a dívida a juros pornográficos de 14%. Somos vítimas do modelo político perverso como na decisão recente do Senado sobre o FPE.

INSISTO O leitor já aferiu o ‘tamanho’ de MS no contexto nacional? Já comparou nossa economia/população/representação política com outros Estados? Não se pode tirar os pés do chão na análise crítica. Lembro Schimidt: ‘boi não vota’.

DILEMA Sem dinheiro vamos reinventar a roda? Limítrofes a São Paulo e Paraná, somos iguais a família pobre vizinha de ricos. Sabemos das delícias do conforto e progresso, mas não temos condições para tal. Essa é a dura questão.

AVISO: ficaremos sem a maioria das indústrias com a derrota do ICMS. Viveremos só da madeira, ferro e da agroindústria? Como investir em obras e melhorar o salário dos funcionários? Aí não há ambiente para discursos milagreiros. Certo?

REPITO: Não houve vontade política de FHC e Lula na solução de nossos males. O papo de ‘carinho especial’ é pura bazófia! Lula por exemplo optou em perdoar dívidas de vários países por conta do projeto de se firmar internacionalmente.

PERGUNTAS: Já foi às compras? Viu os preços? A inflação do Governo condiz com a realidade? Qual é mesmo a próxima mágica do Governo? Sinceramente: você acredita no Mantega? O paraíso prometido aguenta até as eleições de 2014?

No Brasil, quando há feriado religioso, até ateu comemora. (Jô Soares)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



O paraíso aguenta porque os petralhas sabem enganar o povo. Além disso, o governo da presidente Dilma, a exemplo do seu antecessor, está amparado no Bolsa Família e outros em programas assistencialistas. Mas, tomara que essa singela análise esteja incorreta.
 
Aparecido Venâncio de Melo em 19/04/2013 10:55:23
Desculpe amigo mas não creio que os juristas indaguem: "se pode o MP ser autor e parte no mesmo processo?" Simplesmente porque autor e parte são sinônimos para fins processuais. Se o MP é autor da ação penal, logicamente ele é parte do processo.
 
Junior Inacio em 16/04/2013 08:09:53
Desde quando Paulo Catanante é amigo de alguém?
O único amigo dele é aquele que pode lhe ajudar a ganhar dinheiro!
 
José Barbosa Souza Vieira em 14/04/2013 08:05:11
O Delegado de Polícia aposentado Paulo Magalhães do MS desafia, no facebook, quem quiser discutir as verdades e mentiras sobre a PEC37.

Ele afirma que todas as afirmativas utilizadas pelo MP para desacreditar a PEC37 são inverídicas e servem apenas para enganar a população.

Para iniciar os debates coloca as primeiras questões:

1) Se o MP afirma que a PEC37 retira o poder de investigação do Ministério Público, então quem pode responder em qual capítulo, título ou artigo da Constituição Federal existe alguma norma expressa ou implícita que permita ou autorize o Ministério Público a realizar investigação criminal?
2) Onde, na Constituição Federal é dado poder de investigação ao MP?
3) Como é possível tirar de alguém o que esse alguém não tem?
 
Vaderlei Scuira em 13/04/2013 20:37:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions