A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


26/06/2015 14:07

Eleições 2016: PT sem discurso e candidatos

Manoel Afonso

SIMONE O marido Eduardo Rocha confessando-me: não é contra a candidatura dela a prefeita da capital, mas que não tem o poder de convencê-la. E aí o deputado admitiu sorrindo: “somente o André poderá fazer com que ela aceite o desafio”.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

‘WANTED’ Se as pesquisas do IPEMS mostram que a rejeição aos nomes de Giroto e Marum são bem maiores do que os índices de aceitação, o círculo vai se fechando para o PMDB encontrar outro candidato bom de votos que a disputa exige.

VONTADE de mais poder todos tem. Sergio Longen (FIEMS) é mais um a espera do cavalo arreado, que não aparece. Calmo e metódico, escapou da refrega em 2014 ao recusar o convite para disputar o senado pelo PT. Hoje ele paquera o PSDB.

EM BAIXA Se em 2008 o PT obteve 23,23% dos votos, em 2012 o petista Vander não passou de 6% para a prefeitura da capital. E para 2016 as previsões são sombrias diante do quadro local e dos desgastes do PT pelos escândalos que estão na mídia.

VEJAMOS Zeca, Pedro Kemp, Amarildo? O trio representa a estagnação quantitativa de candidatos hoje disponíveis. É como eu sempre questiono: qual liderança - de peso - o PT conseguiu atrair nos últimos 10 anos aqui no Estado? Só uma basta.

VANDER Avocou os méritos pela pluralidade de candidaturas contra Giroto, certo que o PT sairia no lucro na sucessão estadual dois anos depois. O que se viu foi o resultado adverso, com o eleitor separando os dois cenários e as duas eleições.

LEMBRANDO Casa eleição tem normas exclusivas, de acordo com o ambiente. No último pleito de Campo Grande por exemplo, os eleitores em sua maioria preferiram as caricaturas cruéis deles mesmos. Mas será que aprenderam a amarga lição?

‘VELHOS’ Se na definição de Lula o PT envelheceu, o mesmo raciocínio se aplica aos dirigentes locais. É notório o desinteresse em oxigenar o partido para não se perder as boquinhas do poder. Aliás, o ingresso de Delcídio não é digerido até hoje.

A PROPÓSITO Mentiu o Lula ao dizer que hoje o pessoal do PT só pensa em cargos. O nosso ‘Brahma’ esqueceu dos 25 mil ‘companheiros’ em cargos de confiança com altos salários, ‘petezando’ o Governo desde seu primeiro mandato?

LEMBRETE: Os candidatos a prefeito do PT no pleito de 2016 terão que reunir qualidades pessoais em torno de si que superem o desastre administrativo do Planalto. A velha tática de se apoiar ou ir no vácuo do PT não deve funcionar.

ALIANÇAS Serão problemas para o PT mesmo sendo um pleito municipal. Pesará contra elas o noticiário dos escândalos nacionais e que deve afugentar os dirigentes de outros partidos, temendo ser contaminados. “Diga-me com quem andas...”

MORALIDADE Será um dos ingredientes do cardápio eleitoral de 2016. É possível antever o nível dos debates. E indago: o PT vai repetir a pratica de eleições passadas quando trazia figurões nacionais - como Genoíno - para animar a campanha?

JUSTIÇA Decisões – como na ‘Lava Jato’ – devem ser cumpridas. O mesmo se aplica ao TJ-MS no caso da CPI- Energisa. Dos deputados que se manifestaram, só Barbosinha reconheceu: a propositura d’ação não teria preenchido os requisitos legais.

EVIDENTE: há o aspecto político e emocional presente ao caso. Mas a ótica de visão do judiciário se ateve apenas ao aspecto legal. É isso que às vezes a classe política não aceita quando não é atendida. Mas o Judiciário é independente. Ponto final.

ENCRUZILHADA O que decidirão os deputados que comandam essa CPI? Insistem através de recurso permitido ou adota-se outro remédio? Oportunidade de ouro para se aferir a maturidade política e o preparo de nossos legisladores. É esperar.

CRISE CRUEL Uma vendedora de salgadinhos que atendia os operários nas obras da construção civil da capital na região do Jardim Noroeste - faturando R$ 1.200,00 por mês – desistiu da atividade sob a alegação de que a sua freguesia acabou.

OS EFEITOS da crise: O pedreiro não trabalha, o dono do trator da limpeza do terreno não fatura, o serralheiro, o calheiro idem, a loja de materiais não vende. Esses elementos formam uma admirável cadeia que reflete no cenário econômico das cidades.

BANCOS Apesar da pressão contra os funcionários para atrair depósitos e emprestar a juros caros, só tem movimento até o dia 10 de cada mês. Agências enormes sob risco de fechar. Mas o que fazer com os prédios? Alugá-los para as igrejas? Talvez.

IGREJAS Também elas reclamam: a fatura do dízimo apresenta inadimplência e os fiéis resistem em levar o cartão aos cultos porque estão no vermelho. Outras entidades que vivem da contribuição mensal estão perdendo associados mês a mês.

AJUIZADO Para o vereador Edil Albuquerque – da capital – esse não é o momento para demagogia ou ações que atrapalhem a administração pública. Ex-bancário, tem a visão realista do quadro econômico social que tende a se agravar no 2º semestre.

OLARTE O prefeito da capital tem a capacidade incrível de enfrentar crises sem perder o senso otimista. E mais: tem a capacidade de agregar, o que faltou ao seu antecessor, que centralizou e estagnou a administração lamentavelmente.

JUVENAL NETO, presidente da Assomassul, alerta que as obras conveniadas com o Governo Federal estão paralisadas porque o Planalto não cumpre a sua parte, não libera o dinheiro. Desinformada, a população culpa os prefeitos injustamente.

“Estou saudando a mandioca. Uma das maiores conquistas do Brasil”. (Dilma)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



Olha. achamos o Mr. Óbvio. Vou tirar uma foto.
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 02/07/2015 12:37:48
CANDIDATOS À PREFEITURA - É lugar comum os caciques políticos blindarem seus candidatos, construindo em seus entornos verdadeiras muralhas, impedindo com essa atitude, o surgimento de candidaturas novas, de novos nomes, capazes de mexer com a opinião pública. A comunidade necessita hoje de pessoas desvinculadas com os vícios e ranços da política; ocorre que, enquanto as pessoas de bem por razões que até entendemos se omitem nessa questão, existem por outro lado, aqueles que almejam o poder a qualquer custo com a finalidade de impor a vontade de um grupo em detrimento dos reais interesses da comunidade. Todos têm solução para os problemas da capital, porém, ao assumir o comando, começam a divulgar as carências de recursos para suas realizações. Daí, é esperar por mais quatro anos. Benê.
 
benedito rodrigues da costa em 27/06/2015 09:14:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions