A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


03/10/2014 17:22

‘Eleições não são olimpíadas: só vale ganhar’

Manoel Afonso

TANTO FAZ... Qual o percentual de eleitores indecisos que assistiram aos debates da Rede Globo? Além dos politizados, a maioria que assistiu tem algum interesse no pleito. Portanto há mais fantasias do que verdades sobre a importância dos debates.

Veja Mais
Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
Pizzas, os políticos não abrem mão delas

FRANCAMENTE... Uma entrevista objetiva com os candidatos daria melhor visão das propostas e do potencial de cada candidato. Repito: esse engessamento pelas regras torna o debate enfadonho, de respostas previsíveis. Nada acrescenta e não decide.

NO DEBATE da TV Morena as propostas deram lugar a acusações e colocações divorciadas das perguntas. Azambuja insistiu no caso Petrobras, sem expor seu plano de governo e Evander Vendramini pedia votos para os candidatos do PP.

A GLOBO Apesar da estrutura dela, o debate pecou pelo formato e insegurança do robotizado Willian Bonner. Temas importantes que deveriam ser melhores debatidos deram lugar a assuntos de pouca relevância. Ao final chegou a dar sono.

CONSTRANGEDOR Aécio foi o grande perdedor. Inábil, provocou Marina que respondeu com críticas ácidas à reeleição de FHC e ao mensalão de MG. Ficou clara a impossibilidade de uma coalizão entre ambos num eventual 2º turno.

ENCRUZILHADA Se a vitória de Dilma lembra um tiro na nossa nuca, a vitória de Marina é a roleta russa com 5 balas no revólver contra apenas uma chance de salvação. O eleitor de Marina não tem qualquer identidade com Aécio e com o PSDB.

IMAGEM Ela conta muito. Aí os marqueteiros de Azambuja pecaram esquecendo da maquiagem para amainar o seu rosto cansado. Para piorar, o candidato sumiu dentro daquele enorme e horrível paletó de cor preta. Seria o caso de demissão sumária.

MESMICE Nada de novo no horário eleitoral, no conteúdo e formato apesar dos avanços tecnológicos no setor. Aliás, seguiu os velhos padrões nacionais ditados pelos tais marqueteiros que vendem pacotes de ‘milagres’ para todos os Estados.

CONCLUSÃO: Não será o debate da TV Morena que ditará os rumos desta eleição. A emissora não faz a cabeça do eleitor. Seu jornalismo é opaco, sem estilo próprio, a ponto de continuar trazendo um profissional de fora para conduzir esse evento. Pode?

‘CHEGADA’ Claro, cada eleição tem suas peculiaridades, mas os observadores experientes lembram que conta muito a estrutura dos candidatos nesta reta final. O percentual de indecisos poderá ou não provocar o segundo turno no MS.

ACIRRADA Pelo menos 10 candidatos de peso vão disputar as 8 vagas para a Câmara Federal. As pesquisas demonstram que a diferença é relativamente pequena entre eles e como têm colégios eleitorais diferentes, fica difícil uma avaliação mais precisa.

DETALHES Apesar da fonoaudiologia, Vander ainda tem dificuldades de expressão e na reta final foi ajudado por Delcídio na TV. Já Zeca do PT - preferiu a propaganda diferenciada, bem ao seu estilo e com o depoimento influenciador de Lula.

DIVISÕES Existem tanto no PMDB como no PT. Por motivos óbvios André não apareceu pedindo votos para Fábio e Marcos Trad por exemplo. No PT a distância estratégica entre Delcídio e Zeca foi mantida sutilmente ao longo da campanha.

A DÚVIDA Será que pessoal indeciso nas pesquisas não estaria na verdade à espera de um ‘milagre’ por parte dos candidatos à Câmara e Assembleia? Afinal neste país não há desinteresse ou dúvida que resista a uma boa proposta de vantagem.

PERGUNTO: Qual seria o percentual de eleitores que assistiram o horário eleitoral pelo menos na TV? Será que esses programas pesarão diretamente no voto? Será que o eleitor votará na ‘cola’ que lhe foi repassada, ou fará a escolha pessoalmente?

O PODER Seduz! Enganou-se quem imaginava que Getúlio Gideão (68), ex-deputado e ex-prefeito de Nova Andradina, tivesse se desiludido com a política. Após anos no ostracismo voltou e tenta uma vaga na AL pelo Partido Verde. Sem chances.

ORIZON Impossível não gostar dele. Sua discrição mineira ajudou-lhe na convivência íntima dos poderosos da governadoria, AL e TC há mais de 30 anos. É testemunha de episódios que não chegaram à mídia. Conhece bem os meandros do poder.

DINAMISMO Cícero de Souza não dormirá até tarde após aposentadoria e nem terá tempo para crise existencial. Cercado de gente dinâmica e amiga da época anterior a sua vida pública, tem talento para trabalhar fazendo exatamente o que gosta.

‘CRUZADAS’ Também nestas eleições a Igreja Católica não assumiu publicamente seus candidatos, ao contrário do que fizeram as outras igrejas. A propaganda na TV e os cartazes dos candidatos evangélicos mostram claramente essa afirmação religiosa.

CONQUISTAS Os candidatos evangélicos ressaltam a importância da participação de cada igreja nos bairros e nas cidades do interior. O deputado Lídio, por exemplo, confessa: “em cada cidade tenho naturalmente um grupo cristão apoiador”.

ESTRANHO Embora tenha feito a opção pelos pobres, a Igreja Católica continua fria. Se os pastores assumem papel de condutores políticos, os padres se omitem. O deputado Pedro Kemp tem razão quando reclama desta omissão da Igreja Católica.

MARKETING O candidato a deputado estadual Abadio Rezende fez circular pelas ruas da capital um caminhão carregando um automóvel velho. Faixas lembravam que tal qual o carro, a Assembleia Legislativa estava velha, precisando de reformas.

“A Rede Globo só mostrou os 3 candidatos das famílias ricas”. (Luciana Genro)

Corporativismo político sem limites, segue a avacalhação
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ru...
Pizzas, os políticos não abrem mão delas
NÁUFRAGO Culpando a TV Globo e o juiz federal Sergio Moro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi (PT) tentou no saguão da Assembleia Legislativa justifi...
Invasores das escolas, a nova aposta do PT
LUZ AMARELA Os casos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, com as finanças em colapso, estão sendo considerados pelo governador de Mato Grosso do Su...
Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia
NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito n...



O primeiro turno das eleições foi concluído, com o Poder Legislativo Estadual de caras novas, nada menos do que nove componentes deverão compor a legislatura em 2015; e, na Camara dos Deputados, tres componentes assumirão pela primeira vez o Congresso Nacional, no Senado, uma mulher que vem demonstrar a partiicipação feminina na política brasileira, e, a população de Mato Grosso do Sul espera uma atuação exemplar da Senadora eleita, e, que faça a diferença, expondo aos colegas, a real situação do nosso Estado. Deve haver uma mudança na filosofia de atuar, lembrando sempre que foi eleita pelo povo, e, não pelo partido. Uma excelente oportunidade para que as reformas tão necessárias ao país seja colocada em prática nos primeiros dias do novo mandato. Reforma política já.
 
benedito rodrigues da costa em 08/10/2014 14:30:58
Vamos aguardar o segundo turno, aí sim, as coisas já estarão devidamente em seus lugares.
 
Bene em 08/10/2014 14:12:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions