A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


11/11/2016 11:22

Junior Mochi, ponto de equilíbrio na Assembleia

Manoel Afonso

NOSTRADAMUS Não tenho seu dom, mas prevejo: o país de 2018 será outro. As delações premiadas da Odebrecht e Andrade Gutierrez cairão como meteorito no campo político. Governadores, senadores, ministros, parlamentares e figuras ilustres serão atingidos. O problema é saber: quem escapará em condições de disputar cargos?

Veja Mais
Clamor popular contra impunidade do policial matador
Marquinhos e Reinaldo juntos nas eleições de 2018?

GOSTEI O senador Pedro Chaves (PSC-MS) quer elevar a carga horária de 800 horas para 1.000 horas/ano nos horários diurno e noturno do ensino básico. Aliás, elogios não lhe faltam pela postura e conhecimento na relatoria da Comissão Mista do Congresso do Ensino Médio. Afinal, ele é o pai da matéria (educação). Não é?

PEDRO KEMP O deputado estadual do PT criticou a vitória de Donald Trump sob a ótica petista. Ora! A esquerda trata a classe média como lixo moral. Como no Brasil, a maioria americana silenciosa deu um basta daqueles! E agora - a esquerda vai ocupar a Disney, as escolas de inglês e o McDonalds?

LIÇÕES Apoio de celebridades não ganha eleição; nem pesquisas e a opinião da imprensa. O voto do pedreiro tem o mesmo valor do intelectual. Precisamos olhar as eleições americanas como aprendizes. Lá disputa-se, o perdedor não berra, aceita.

‘À FRANCESA’ Quando indagados sobre possível decisão de deixar o PT devido a crise sepulcral do partido, alguns deputados estaduais petistas preferem sutilmente dizer que “estamos analisando, conversando, é cedo para decidir, vamos ver” - e por aí afora.

ELES SABEM: O pleito de 2016 foi o aperitivo do cardápio eleitoral de 2018 que será influenciado ainda mais pela Lava Jato. Se hoje o brasileiro está consciente de que o PT é responsável pelo estado de calamidade do país, imagine no futuro que tende a ser pior.

ALERTA A renovação na Câmara Municipal da capital é um indicativo: a reeleição dos deputados estaduais e federais será difícil. Notícias ruins tem desgastado os políticos e virão candidaturas afiadas com discurso pela moralidade e transparência.

UTOPIA? O exemplo de João Dória (PSDB) em São Paulo foi bem isso. Ao perder o monopólio da moralidade, o PT abriu as portas para a ex-silenciosa classe média, onde cresce a conscientização de que os omissos não podem reclamar da situação ruim.

GRAVAÇÕES Merecem ser respeitadas pelos conteúdos avassaladores. Foi assim com o ex-prefeito de Dourados Ari Artuzzi, o ex-deputado estadual Ary Rigo, o então governador José Arruda (DF), o senador Delcídio do Amaral (sem partido), a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) com o ex-presidente Lula (PT) e o deputado Paulo Corrêa (PR) ensinando Felipe Orro (PSDB) a fraudar a folha de presença.

ABACAXI? Pode até ser para os deputados que cuidam do caso e também para os demais deputados da Casa, caso o processo vá a julgamento. Nos corredores do poder percebe-se um clima de corporativismo e cumplicidade ao melhor estilo político.

PASMEM! Vergonhosa a tendência de se desqualificar a prova – que é conteúdo do diálogo – através de acusações contra o pastor que fez a gravação. Ora! A opinião pública acompanha, critica. O castigo poderá vir nas eleições de 2018. Brincam com fogo? Quem avisa...

PERGUNTO: O que os deputados responderiam aos eventuais questionamentos dos integrantes do ‘Parlamento Jovem’ sobre o caso? Esses jovens frequentam a Casa,bem intencionados, leem jornais e agora devem estar decepcionados com seus ‘mestres’.

NÃO APRENDEM... Nas decisões recentes do Tribunal de Contas do Estado - várias condenações de prefeitos e presidentes de câmaras municipais. Como sempre, há falta licitação, comprovação de despesas com hospedagens e diárias, contratações de pessoal de forma irregular. E não é por falta de aviso.

O CAMINHO Pelo seu equilíbrio, trânsito nas bancadas e o Governo, o deputado Junior Mochi deve ser reeleito para a presidência da Assembleia Legislativa. O fato de ser do PMDB não atrapalha, ajuda na governabilidade. Tem deputados com mais mandatos do que ele, mas que não agregam. É a diferença.

OLHÔMETRO A passagem do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) por aquele parlamento deu-lhe uma visão ampla de como ele funciona. E a presença de seu fiel escudeiro – deputado José Teixeira (DEM) como secretário é a garantia contra crises e algo mais.

BALANÇO Para o senador Waldemir Moka (PMDB) foi positivo. Apesar do desgaste da legenda pelas denúncias contra vereadores da Capital e secretários do governo anterior, o partido elegeu 18 prefeitos e outros 14 aliados como vice ou compondo a chapa. Ele arregaçou as mangas e revirou esse interior.

IMAGINE o clima em Fátima do Sul com novas eleições determinadas pela justiça. O ex-deputado Londres Machado (PR) sabe: não pode perder no reduto onde iniciou sua trajetória. 

O TEMPO Até o fim do mês que vem o imaginário popular ainda discutirá os resíduos das eleições municipais. Mas, em janeiro de 2017 (está perto), o foco será as próximas eleições. Quem está no poder (ou fora dele) estará olhando o relógio cruel.

DE LONGE No noticiário, as manobras de Renan Calheiros e companhia para questionar a Lava Jato e as decisões do juiz Sérgio Moro. Olhando o quadro do glorioso Congresso Nacional, a gente lembra de um navio afundando e os ratos tentando se salvar. E as pesquisas sérias mostram: a grande maioria do brasileiro apoia a Lava Jato.

PROCURA-SE um engenheiro sério e competente para comandar a Secretaria de Obras da Capital. Nela reside o maior desafio para o prefeito eleito, Marcos Trad (PSD). A cidade está esfarelando. Imagino como estará até o início da nova gestão.

“O problema da esquerda é a insuportável superioridade moral com que olha para os demais”. (jornalista Cora Rónai)

Clamor popular contra impunidade do policial matador
IMPUNIDADE O conjunto de manobras para beneficiar Ricardo Hy Um Su Moon, o policial rodoviário federal assassino do empresário Adriano Correia do Nas...
Marquinhos e Reinaldo juntos nas eleições de 2018?
DESMAMA Há quem pregue: o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), deveria imitar seu colega do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), acaba...
Algo mudou, só os políticos não percebem
NA MOSCA As centrais sindicais estão 'pê da cara' pelo risco de ficarem sem o velho dinheiro carimbado do imposto sindical. Essa CLT octogenária, ran...
Mandato massageia o ego, enche o bolso!
A CONTA Congelados os salários dos vereadores da capital em R$15.031,78. Atitude louvável neste universo de tanta sacanagem. Seria muito ou pouco o v...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions