A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Janeiro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


01/08/2014 09:12

‘Motorista solidário a ex-deputado raspa o cabelo’

Manoel Afonso

‘FIEL ESCUDEIRO’ Ao ver o patrão – o ex-deputado Valdomiro Gonçalves raspar o cabelo na luta contra o câncer de laringe, seu motorista João tomou a mesma atitude como ato de solidariedade. Um gesto que emocionou os familiares e amigos.

‘JURUNA’ Assim Valdomiro é chamado pelos políticos. Presidente da Assembleia no MT uno e no MS; deputado federal e promotor de justiça. É da espécie em extinção: carismático, culto, bom orador e fiel ao seu grupo político. Vencerá mais essa batalha!

DESTAQUE Em 2015 MS deverá ter ao menos 3 políticos na lista dos 100 influentes no Congresso e segundo o Diap, o senador Moka está em ascensão, posição que significa estar a um passo de entrar nesta seletiva e cobiçada relação.

RAZÕES Nos dois últimos anos Moka se destacou na presidência da Comissão de Assuntos Sociais do Senado, onde se discute temas que mexem com a vida das pessoas, como questões previdenciárias, trabalhistas, assistência social e saúde.

SENADO Lá a disputa por espaço é gigantesca. Explico: grande parte das cadeiras daquela Casa é ocupada por políticos experientes e graduados, ex-governadores, ex-ministros e até os casos atuais de ex-presidentes, como Collor e Sarney.

O TEMPO É implacável também na política, mostrando que o poder não é eterno. Daquela velha guarda restaram com mandato apenas Figueiró, Londres, Moka, André e Akira. Os demais, por motivos diversos saíram de cena. Assim é a vida.

DICA Nessa época pré-eleitoral é necessário que os que tentam a reeleição estejam preparados psicologicamente para o pior. A derrota irá remetê-los ao mundo de ontem vieram: dos anônimos, dos comuns, ignorados pela mídia inclusive.

NO ESPELHO É restrita a parcela dos políticos que conseguem fazer a autocrítica correta de sua imagem aos olhos implacáveis da opinião pública. Despreparados, muitos são levados pela ambição de poder e vaidade fundada em falsos elogios.

GUERREIRO Obteve 24.141 votos a prefeito (45,32% - votos válidos) e tem chances de se eleger. Mas eleito terá mecanismos para tentar a prefeitura? Não teria sido melhor ter ficado como injustiçado, sem mandato para disputar a sucessão?

VEJA BEM! Hoje o mandato de deputado estadual tem mais ‘status’ do que poder. Se Azambuja não ganhar, Guerreiro não terá musculatura para corresponder a expectativa de seu eleitorado e sua candidatura à prefeito perderá a áurea de vítima.

TRADIÇÃO Quanto mais o Executivo é forte, menos ouve o legislativo. Pedrossian e Wilson faziam e desfaziam e os deputados diziam amém. Refém de antigos adversários Zeca se garantiu numa curiosa parceria para garantir a ‘governabilidade’.

‘PEPINO Pior cargo na AL é de líder do governo. A denominação fantasiosa do cargo atrai, mas o seu exercício desgasta. Vi muitos deles ficarem de ‘saia justa’ em plenário na defesa de matérias controvertidas ou delicadas do Executivo.

PRESSÃO é que não falta por parte dos oposicionistas e da imprensa quando se trata de projetos polêmicos. O pior: em algumas situações não há tempo bastante para o líder estudar profundamente e assim fazer uma defesa tranquila, convincente.

A VÍTIMA Quando Artuzi caiu, Resende defendia a candidatura do PMDB, mas aí o experiente Londres ponderou: “ A vez agora é do Murilo, um injustiçado. O povo está doido para pedir-lhe perdão por ter votado no Artuzi para prefeito”. E pediu.

PERGUNTO: Qual será o futuro do PSB no cenário político de MS se Dilma ou Aécio vencer as eleições? Murilo aproveitará a legenda para tentar outros voos ou o partido se acomodará no esquema da futura administração estadual? A conferir.

VOO LIVRE José Ancelmo (PSB) aproveita o espaço provocado pela desistência de Akira e a pausa de Tita na prefeitura. Acha que há votos disponíveis no Bolsão e que com um bom trabalho pode chegar à AL. Experiência não lhe falta.

O IMAGINÁRIO popular é algo complexo, livre de regras, como mostram as eleições. Ontem aplausos, hoje vaias! Aliás, as pesquisas nos Estados já sinalizam: o eleitor comporta-se como um nelore incontrolável quando quer sair do curral.

KAYATT Se mantida a sua condenação, a coligação de Azambuja, somada as desistências de Dione e Tereza, perderia 100 mil votos, ou seja: 2 deputados a menos na AL. Naturalmente que isso provoca inquietações no núcleo da campanha.

DESAFIO Transferir o prestígio político pessoal é tarefa para poucos, vai depender de uma série de fatores. A cada eleição vemos exemplos de sucesso e derrota. Hoje existem candidaturas que dependem mais do apoiador do que do próprio candidato.

‘POSTES’ Lula se gabava de eleger figuras desconhecidas e opacas. Lembra? Mas todo ciclo político tem fim, principalmente pela fadiga. É preciso ver a político com outros olhos levando em conta a pressão econômica financeira sobre a população.

CONVENHAMOS: Viver está cada vez mais difícil e perigoso. O tal conforto custa muito caro; os governantes e candidatos não falam em reduzir impostos. A propaganda induz ao consumo e os juros cobrados por aí são pornográficos.

VOTAR Sem a obrigatoriedade – que não combina com a democracia – como é que seria? No glorioso Congresso existem temas imexíveis, como as reformas política e fiscal. Engraçado: o PT falava tanto em mudanças, mas esqueceu esse papo.

“As razões de poder transformam crimes em heroísmo”. ( Rubem Alves)

PMDB de MS também fragilizado pela Lava Jato
OS IGUAIS A citação ou denúncia envolvendo cardeais do PMDB em esquemas de corrupção colocam o partido em pé de igualdade do PT em termos de credibil...
Clamor popular contra impunidade do policial matador
IMPUNIDADE O conjunto de manobras para beneficiar Ricardo Hy Um Su Moon, o policial rodoviário federal assassino do empresário Adriano Correia do Nas...
Marquinhos e Reinaldo juntos nas eleições de 2018?
DESMAMA Há quem pregue: o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), deveria imitar seu colega do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), acaba...
Algo mudou, só os políticos não percebem
NA MOSCA As centrais sindicais estão 'pê da cara' pelo risco de ficarem sem o velho dinheiro carimbado do imposto sindical. Essa CLT octogenária, ran...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions