A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

19/12/2015 08:31

Após duas décadas de abandono, prédio do Clube Social será concluído

Obra abandonada há duas décadas no centro de Dourados já fazia parte do folclore da cidade, mas, enfim, o prédio deve ser concluído em 2016

Helio de Freitas, de Dourados
Após duas décadas de abandono, prédio do Clube Social será concluído
Prédio do Clube Social; depois de duas décadas de abandono, obra deve ser concluída (Foto: Eliel Oliveira)Prédio do Clube Social; depois de duas décadas de abandono, obra deve ser concluída (Foto: Eliel Oliveira)

Quem mora em Dourados há pelo menos duas décadas conhece aquela obra abandonada em plena Joaquim Teixeira Alves, ao lado de várias agências bancárias, o infame “prédio do Clube Social”. Por muitos anos a obra ficou parada com o primeiro andar pela metade.

Veja Mais
Chamada de Portal do Mercosul, 2ª cidade de MS comemora oito décadas
Primeiro morador viajou um ano de carro de boi para chegar onde só tinha mato

O térreo foi usado como abrigo de moradores de rua e até como sede de uma lanchonete e de uma barraca de camelô.

Entretanto, contrariando a crença local, de que a obra nunca seria concluída e acabaria demolida, o prédio foi retomado e deve ser acabar no ano que vem.

A obra foi iniciada em 1986. O antigo Clube Social de Dourados foi um badalado espaço de festa da cidade, que neste domingo (20) completa 80 anos. Com a demolição da antiga sede, começou a construção do prédio, que além da sede nova, deveria brigar salas comerciais.

Em 2011, quando as obras foram retomadas, depois de duas décadas de abandono, o arquiteto Valdemir da Costa Jacomini, responsável técnico pela conclusão da construção, levou jornalistas da cidade ao local e anunciou que o prédio terá 12 andares e abrigará 92 flats, além de 12 salas comerciais e um salão e estacionamento, que ocupará a área do subsolo.

Na época, explicou que a construção não apresentou problemas além do desgaste natural devido ao tempo que estava parada. “Refizemos a parte de ferragem nos lugares que eram expostas ao tempo, aumentando sua segurança e dando condições para que a construção seja ampliada em mais sete andares, além dos cinco já construídos”, disse Jacomini, na época.

O térreo será destinado a salas comerciais. O primeiro andar deve ser entregue ao Clube Social, que pretende retomar as atividades após a entrega da obra. O Campo Grande News apurou, no entanto, que atualmente existe um imbróglio jurídico envolvendo os antigos sócios do Clube Social.

O segundo e o terceiro pisos serão destinados a escritórios e os oito pisos superiores vão abrigar 40 apartamentos, com área útil de 50 a 70 metros quadrados.

O prédio foi projetado inicialmente para ser um “flat-service” (hotel de serviços). Mas o projeto original foi reformulado para atender o atual mercado imobiliário, sem mudar as características originais, para que estrutura que tinha sido começada pudesse ser usada. Pelo menos 80% dos apartamentos já estão vendidos há anos.

Clube Social - Fundado no início da década de 50, o Clube Social foi o primeiro estabelecimento desses moldes implantado na então recém-fundada cidade de Dourados. Foi o ponto de encontro da juventude dos anos 50 e endereço certo de quem gostava dos bailes, única diversão em um povoado que não tinha sequer uma rua asfaltada.

Oficialmente o Clube Social existe até hoje e conta com pelo menos 300 sócios-proprietários e 112 sócios remidos (não-pagantes). O clube funcionou até 1967, quando foi fundado o Clube Indaiá. Em 1986 a antiga sede foi demolida e começou a obra do prédio até hoje não concluído.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions