A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

11/12/2015 07:56

Estádio Douradão já foi templo do futebol de Mato Grosso do Sul

Com capacidade para 26.800 torcedores, Frédis Saldivar foi considerado moderno para a sua época, mas passou anos abandonado e só recentemente foi colocado em condições de uso

Helio de Freitas, de Dourados
Estádio Douradão já foi templo do futebol de Mato Grosso do Sul
Estádio Frédis Saldivar, o Douradão, completa 30 anos de história em 2016 (Foto: Eliel Oliveira)Estádio Frédis Saldivar, o Douradão, completa 30 anos de história em 2016 (Foto: Eliel Oliveira)

Com capacidade para 26.800 torcedores, o Estádio Frédis Saldivar, o Douradão, é uma das maiores praças esportivas da região Centro-Oeste. Instalado em Dourados, cidade que completa 80 anos de emancipação no dia 20 deste mês, o estádio, em termos de capacidade para o público em Mato Grosso do Sul, perde apenas o Morenão, em Campo Grande, que pode receber até 45 mil pessoas.

Veja Mais
Chamada de Portal do Mercosul, 2ª cidade de MS comemora oito décadas
Após duas décadas de abandono, prédio do Clube Social será concluído

Nos últimos anos o futebol de Dourados ter deixado a desejar. O Ubiratan não sabe o que é ganhar um título desde 1999 e em 2016 vai jogar na segunda divisão. O Sete de Setembro nunca venceu um campeonato estadual.

O futebol douradense não tem um representante em competição nacional desde 2000, quando o Ubiratan jogou a Copa do Brasil. Mas o Douradão resiste. Nos últimos anos recebeu melhorias da prefeitura e foi palco de times de outras cidades.

Cene de Campo Grande e Aquidauanense mandaram jogos no estádio da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul. O Cene pela Copa do Brasil e Série D do Brasileirão e o time de Aquidauana pela Copa-BR.

Herança de Pedrossian – Localizado na Rua Coronel Ponciano, região leste da cidade, o Douradão começou a ser construído na década de 1980 pelo então governador Pedro Pedrossian. Embora a inauguração oficial tenha ocorrido apenas em 1994, com o jogo amistoso entre Fluminense e Internacional, um dos grandes clássicos brasileiro, na prática, o estádio começou a ser utilizado para jogos em 1986.

Naquele ano, o Ubiratan Esporte Clube se qualificou para disputar o Campeonato Brasileiro da Série B (batizado na época de Torneio Paralelo). No grupo do “Leão da Fronteira” estavam equipes bastante conhecidas no cenário nacional como América/MG, Uberlândia (MG), Anapolina (GO), Itumbiara (GO), Mixto (MT), Juventus (SP) e a Internacional de Limeira, que no ano anterior havia conquistado o campeonato paulista em uma vitória épica sobre o Palmeiras.

Como o velho “Napoleão Francisco de Souza”, o Estádio da Leda, não tinha condições de receber uma competição oficial da CBF, o jeito foi improvisar. Como apenas os setores das cadeiras numeradas e arquibancadas cobertas estavam prontos, no lado posterior foram instalados tapumes, para garantir a segurança dos torcedores, jogadores e arbitragem.

O diretor técnico da CBF Pedro Lopes, que era da Federação Catarinense de Futebol, fez a vistoria e liberou o estádio. O primeiro jogo no local foi entre Ubiratan e Mixto, em 12 de abril, vencido pela equipe douradense por 4 a 2. O primeiro gol foi marcado pelo centroavante ubiratanense Ademir Patrício. Mas o Leão da Fronteira não foi longe na competição, caindo logo na primeira fase.

Recorde de público – O maior público da história do Douradão, oficialmente, foi a primeira partida da decisão do Campeonato Sul-Mato-Grossense de 1988, quando 18.780 pessoas pagaram ingresso para ver o empate de 1 a 1 entre Ubiratan e Operário de Campo Grande. No jogo de volta, na Capital, o Galo venceu por 1 a 0 e ficou com o título.

Naquele mesmo ano, em duas semifinais memoráveis entre Ubiratan e CAD (Clube Atlético Douradense), o estádio recebeu mais de 15 mil torcedores em cada jogo.

Títulos – O Douradão foi palco de comemoração de bicampeonato estadual do Ubiratan em 1998 diante do Serc Chapadão e em 1999, de forma invicta, contra o Comercial (no primeiro título em 1990, o jogo decisivo ocorreu em Naviraí).

O estádio também recebeu algumas das principais equipes brasileiras em jogos amistosos, como na inauguração da iluminação com Fluminense e Inter, como também em competições nacionais. Pela Copa do Brasil, jogaram no estádio Corinthians, Atlético/MG, Sport e o próprio Internacional, além da Seleção Brasileira, com as categorias Sub17 e Sub20. Em jogos festivos, atuaram craques como Zico, Rivelino, Zenon, Mário Sérgio, Luiz Pereira, Edu e Muller, entre outros.

O nome da praça esportiva homenageia Frédis Saldivar. Empresário do setor da construção civil, ele foi fundador do Operário Esporte Clube (rebatizado com o nome de CAD) e doou o terreno para a construção do Douradão.

Construído entre as décadas de 80 e 90, Douradão era considerado moderno para sua época (Foto: Eliel Oliveira)Construído entre as décadas de 80 e 90, Douradão era considerado moderno para sua época (Foto: Eliel Oliveira)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions