A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

25/11/2014 11:58

"Vou deixar alguns milhões", diz André sobre caixa que será repassado a Azambuja

Marta Ferreira e Leonardo Rocha
André disse que vai deixar alguns milhões para Azambuja e que Estado terá superávit (Foto: Simão Nogueira)André disse que vai deixar alguns milhões para Azambuja e que Estado terá superávit (Foto: Simão Nogueira)

Quando assumir o governo de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja receberá o caixa com dinheiro, mas não será uma quantia significativa, revelou nesta manhã o atual governador, André Puccinelli (PMDB). “O Estado terá superávit, vou deixar alguns milhões, mas será pouco dinheiro em caixa”, afirmou Puccinelli, durante entrega de casas populares nesta manhã.

Veja Mais
MS está entre os 16 estados que não cumpriram meta de economia este ano
Governo impõe nova regra à Caixa, mas financiamentos com FGTS continuam

“Se ele tiver uma equipe boa, como a nossa, vai conseguir pagar as contas”, declarou Puccinelli. As afirmações foram feitas em resposta à indagação sobre levantamento do Tesouro Nacional que mostra Mato Grosso do Sul como um dos 16 estados que economizaram menos que o previsto na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

O levantamento, divulgado no fim de semana pelo jornal Folha de S.Paulo, aponta que, contra uma meta de superávit de R$ 440,7 milhões, Mato Grosso do Sul havia economizou R$ 66 milhões.

Sobre isso, Puccinelli respondeu com tranquilidade. “Eu acumulei, e agora estou gastando”.

Só no dia 31 de dezembro - De acordo com ele, o valor exato que vai sobrar no caixa só vai ser conhecido no último dia do ano. Ele argumentou que a situação financeira do Estado é tranquila, tanto que, em dezembro, vai pagar três folhas de pagamento: a de novembro, a de dezembro e o décimo-terceiro salário.

Segundo o governador, no último dia de 2014, será feito o balanço do que estará disponível nos fundos administrados pelo Estado e da conta única da administração direta.

“Não tem e não vou deixar herança”, pontou. Depois, citou que o aumento do duodécimo pagos aos outros poderes, neste ano, não trará despesas extras para o próximo governador, já que, nas palavras de Puccinelli, “foi apenas uma adaptação”.

Outro exemplo usado pelo governador para afirmar que vai tudo bem com as finanças do governo é que ontem foi autorizada a formação de mais 150 policiais militares, em atendimento a uma vontade manifestada pelo próximo chefe do Executivo. “Ele disse que tem necessidade de trazer mais 3,5 mil policiais. Então me senti confortável para chamar mais 150”, afirmou. Ainda segundo o governador, hoje seria possível pagar tranquilamente esses novos policiais.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions