A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

09/07/2016 10:00

A exemplo de shoppings, comércio do Centro também faz liquidação

Fernanda Yafusso
Cooperativa da Moda inova para atrair clientes e aquecer o comércio (Foto Fernanda Yafusso)Cooperativa da Moda inova para atrair clientes e aquecer o comércio (Foto Fernanda Yafusso)

Neste fim de semana, alguns shoppings da Capital fazem promoções com até 70% de desconto em diversos setores. Para não ficar atrás e também tentar atrair clientes, lojistas do Centro apostam em liquidações e buscam alternativas para vender mais.

Veja Mais
No fim de semana, shoppings liquidam estoques com descontos de até 70%
Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25

Esse é o caso da Cooperativa da Moda, na Avenida Calógeras, onde o gerente Pedro Araújo, decidiu inovar e contratar um locutor, que utiliza uma peruca colorida e fica em cima da carroceria de um veículo para anunciar as promoções da loja, enquanto interage de forma descontraída com as pessoas que passam pelo local.

"Procuramos sempre inovar para conseguir atrair os clientes e aproveitamos o começo do mês para realizar muitas promoções. Porém, com a crise as vendas estão paradas. Mas não deixamos de buscar alternativas para que as vendas aumentem. Em algumas peças, por exemplo, oferecemos até 60% desconto", explica.

Já na loja Bang, localizada na Avenida Afonso Pena quase esquina com a rua 13 de Maio, as promoções foram pensadas para tentar competir com as que acontecerão nos shoppings, nesse final de semana. De acordo com a vendedora, Tehani Ferreira, as peças com desconto de até 70% são apenas as da coleção de verão.

"O movimento nas vendas aumentou por ser começo do mês. Mas oferecemos também, para atrair clientes, descontos de até 10% à vista nas peças da coleção nova de inverno", diz.

Bang oferece descontos para tentar competir com as acontecerão nos shoppings (Foto Fernanda Yafusso)Bang oferece descontos para tentar competir com as acontecerão nos shoppings (Foto Fernanda Yafusso)
A estratégia usada pela loja foi oferecer peças com qualidade e preços baixos (Foto Fernanda Yafusso)A estratégia usada pela loja foi oferecer peças com qualidade e preços baixos (Foto Fernanda Yafusso)

Outra forma encontrada para que o mercado das vendas continue aquecido, foi na loja  na Avenida Afonso Pena quase esquina com a Avenida Calógeras, foi a renovação de estoque semanalmente. Além dos descontos que vão até 30% para pagamento à vista.

"A forma que encontramos para que os clientes entrem e retornem, foi oferecer peças com uma qualidade maior e preços menores, além dos descontos. Nós temos também uma constante renovação do estoque e com essa tática conseguimos aumentar em 40% as vendas", explica o vendedor Guilherme Dias.

Procurada, a CDL informou por meio da assessoria que não há nenhuma campanha em massa no comércio da região central, mas muitos lojistas acabam realizando campanhas de liquidação por conta própria.

Mas, para quem está do lado de fora das promoções, elas não estão sendo tão atrativas assim. Para a diarista de 35 anos, Joana de Jesus, foi preciso pesquisar muito os preços nas lojas. "Eu vim com o objetivo de comprar roupas para as crianças, mesmo procurando por roupas com preços menores, não encontrei porque está tudo muito caro e acabamos escolhendo outras prioridades", conta.

A Técnica em Enfermagem, Rejane Arguelho de 29 anos decidiu não comprar nada quando viu os preços dos produtos. "Está tudo muito caro, agora há pouco fui pesquisar o preço de uma cesta básica e encontrei por R$ 400. Decidi pagar as contas primeiro e andar mais um pouco para olhar os preços. Mas a prioridade está em comprar só o básico, porque está tudo muito caro", relata.

Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions