A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

09/04/2015 15:32

Abertura de empresas cresce 35% em março e mostra confiança no mercado

Caroline Maldonado
Incerteza com relação a novas medidas dos governos estadual e federal inibiram abertura de empresas, segundo presidente da Jucems, Augusto César Ferreira (Foto: Pantanal News)Incerteza com relação a novas medidas dos governos estadual e federal inibiram abertura de empresas, segundo presidente da Jucems, Augusto César Ferreira (Foto: Pantanal News)

Nos dois primeiros messes desse ano, o número de abertura de empresas caiu 25% em Mato Grosso do Sul, em relação ao mesmo período do ano passado. Em março, no entanto, o número de abertura de empresas, que no mês anterior era 482, passou para 653, o que representa aumento de 35 %, de acordo com levantamento da Jucems (Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul).

Veja Mais
Encontro reúne cidades para divulgar projeto de abertura de empresas
Número de abertura de empresas em 2014 é o menor dos últimos sete anos

O que explica esse cenário é a decisão dos empresários em apostar nos novos projetos, passada certa instabilidade gerada pela mudança do Governo do Estado e início do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT), na avaliação do presidente da Jucems, Augusto César Ferreira.

A tendência de recuperação do cenário empresarial não foi suficiente para impactar nas estatísticas do trimestre. Nesse último, foram abertas o total de 1.568, contra 1.714 do mesmo período do ano passado, o que representa diferença de 8,5%. Porém, os novos números sinalizam a retomada da coragem do sul-mato-grossense para empreender, nos patamares dos anos anteriores.

“Os números são reflexo do momento econômico, que estávamos passando. A incerteza com relação a novas medidas do novo mandato da Dilma e do governo estadual também. As pessoas preferiram esperar definições para poder empreender. E março houve essa recuperação. Acredito que sinaliza uma retomada”, comentou Augusto César, ao lembrar que não houve alterações significativas quanto a impostos para empresas nesse período.

Para aqueles que ainda estão na informalidade ou têm um projeto empreendedor, o presidente da Jucems recomenda iniciativa, porém com cautela. “É importante ter conhecimento do seu negócio, ideia do risco que seu negócio tem, tanta em âmbito federal, estadual, municipal e tomar a decisão”, aconselha.

“Não houve mudanças significativas na politica fiscal, medidas econômicas estadual e federal. A expectativa era que tivesse aumento de carga tributária, mas não teve isso. Então, as pessoas entenderam que é o momento de retomar a ideia de abrir o negócio”, avalia Augusto, ao lembrar que pessoas desempregadas acabam empreendendo por nescidade de gerar renda.

Encontro reúne cidades para divulgar projeto de abertura de empresas
Para divulgar o Sistema Integrar entre prefeituras de 18 municípios, técnicos estão reunidos durante no Sebrae, em Campo Grande. O objetivo do encont...
Número de abertura de empresas em 2014 é o menor dos últimos sete anos
O número de abertura de empresas em Mato Grosso do Sul é o pior dos últimos sete anos. Ainda falta o desempenho de dezembro para fechar os dados de 2...
Burocracia emperra, e MS aparece em lista negativa para abertura de empresas
Mato Grosso do sul é um dos onze estados brasileiros com graves problemas e empecilhos para a abertura de novas empresas. Pelo menos é o que aponta u...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions