A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

09/08/2016 09:34

Alimentação fica mais cara, mas inflação de julho é a menor do ano

Priscilla Peres
Leite ficou mais caro no mês passado pressionando o preço dos derivados. (Foto: Alcides Neto)Leite ficou mais caro no mês passado pressionando o preço dos derivados. (Foto: Alcides Neto)

A inflação de Campo Grande terminou julho em 0,39%, menor índice mensal do ano. Dados do IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor) divulgados hoje, mostram que a Alimentação foi o grupo que mais pesou no bolso, enquanto os gastos com Transporte diminuíram.

Veja Mais
Com novas leis, 70% dos servidores terão ganho acima da inflação
Mês de junho fecha com maior índice de inflação dos últimos oito anos

Em doze meses, a inflação acumulada soma 9,34%. Apesar da queda, o índice está acima do teto da meta de 6,5% estabelecida pelo CNM (Conselho Monetário Nacional). Em sete meses, a inflação chega a 5,25%, acima do centro da meta, que é 4,5%.

O pesquisador Celso Correia de Souza, do Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Uniderp, prevê inflação acumulada para 2016 em torno de 7%. "O índice manteve tendência queda de fevereiro a abril, cresceu em maio e voltou a cair em julho, um comportamento que pode ajudar o governo", afirma.

Neste ano, a Alimentação teve alta de 15,68%, sendo o segmento que mais influenciou no custo de vida dos campo-grandenses. A variação se deve, principalmente as condições climáticas no período.

Em seguida, Educação (13,33%) e Despesas Pessoais (9,36%) foram os setores que mais pesaram no bolso do consumidor. Em julho, o grupo Transportes registrou queda de -0,46% e ajudou a segurar a inflação.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions