A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

10/12/2015 15:57

Alta de 45% na carne obriga família a buscar meios para manter churrasco

Renata Volpe Haddad
Preços da carne bovina subiram até 45% em relação ao ano passado. (Foto: Fernando Antunes)Preços da carne bovina subiram até 45% em relação ao ano passado. (Foto: Fernando Antunes)

Mesmo com a arroba do boi gordo desvalorizada em Mato Grosso do Sul, o preço da carne bovina está até 45% mais caro neste fim de ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Isso significa que o produto vai pesar mais no bolso das famílias que optam pelo churrasco nas festas de dezembro. Para economizar, o jeito é pesquisar preço, comprar nas promoções ou mesmo substituir.

Veja Mais
Consumo diminui e preço da arroba do boi gordo caí 3,1% em dezembro
Estado encaminha pedido de reabilitação de exportação de carne bovina para UE

Pesquisa realizada pelo Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas) da Anhanguera Uniderp mostra  que em um ano o quilo da costela ripa ficou 45,9% mais cara. Em novembro de 2014, o preço do corte custava R$ 8,86, subiu para R$ 9,28 em janeiro deste ano e fechou o mês de novembro custando R$ 12,94.

Aumento significativo também para o músculo que ficou 38,5% mais caro em 12 meses. De janeiro a novembro de 2015, o corte bovino encareceu 35,76% e em janeiro quando o músculo custava R$ 12,49 terminou novembro com preço de R$ 16,96.

Outro corte que está mais caro é o cupim com acréscimo no preço de 36,8%. O corte que em outubro custava R$ 20,25, era vendido por R$ 21,70. O Acém ou agulha ficou 28,78% mais caro em um ano. De janeiro a novembro de 2015, o corte de segunda encareceu 28,2%, sendo que no primeiro mês do ano, o quilo do acém era encontrado por R$ 12,19 e mês passado custava R$ 15,64.

Cortes de primeira – Para as carnes com corte de primeira, o filé mignon teve aumento de 42,08% em um ano, e de janeiro a novembro de 2015, houve acréscimo de 11,55%. Em outubro, o preço do filé mignon estava R$ 32,70 e no mês passado, a carne era comercializada por R$ 34,95.

Para alcatra, de um ano para outro a variação é de 20,8% e o corte da carne foi comercializado em novembro por R$ 25,18. Em outubro, o valor era de R$ 23,34, aumento de 7,9%.

A picanha encareceu 17,7% em um ano. Se comparado de janeiro a novembro de 2015, a carne predileta dos brasileiros encareceu 13,8%

Com uma boa dica na hora de economizar, a técnica de enfermagem pesquisa sempre antes de comprar e economiza até R$ 200 nas compras dos alimentos. (Foto: Fernando Antunes)Com uma boa dica na hora de economizar, a técnica de enfermagem pesquisa sempre antes de comprar e economiza até R$ 200 nas compras dos alimentos. (Foto: Fernando Antunes)

Consumidores – Porém, mesmo sabendo que o preço da carne bovina está bem mais cara em relação ao ano passado, os consumidores campo-grandenses não abrem mão de reunir a família nas festas de fim de ano e fazer um bom churrasco.

No caso da técnica de enfermagem, Leydiwise Rodrigues Barros, 29, a família dela não deixa de fazer o churrasco nas festas de fim de ano com carne bovina de qualidade, mas ela sabe como economizar na hora das compras. “Eu pesquiso muito e isso dá muito resultado. Eu olho os preços em vários mercados e compro sempre onde tem promoção. Com isso eu economizo até R$ 200 e não fico sem o churrasco com carne boa”, comenta.

O aposentado alega que vai trocar o tradicional churrasco das festas de fim de ano, por frango ou peixe. (Foto: Fernando Antunes)O aposentado alega que vai trocar o tradicional churrasco das festas de fim de ano, por frango ou peixe. (Foto: Fernando Antunes)

Consciente que paga bem mais caro na carne bovina, a família e os amigos da assistente social, Márcia Regina Oliveira, 48, não deixam de fazer churrasco no Natal. “Mesmo pagando caro a gente não deixa de fazer o churrasco, pois já é uma tradição e podemos gastar um pouco mais no fim do ano, já que o 13º salário nos ajuda em relação a isso”, avalia.

No entanto, na casa do aposentado Miguel Lincoln Geocopello, 74, todo mundo já está avisado que não tem churrasco este ano. “Eu vou deixar de comprar carne bovina e vou trocar pelo frango ou peixe nas festas de fim de ano. Lá em casa sempre fizemos churrasco, mas eu não vou pagar um absurdo pela carne bovina”, alega.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions