A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

09/07/2014 16:27

Após vexame na Copa, lojas vão estocar produtos para Olímpiadas

Luciana Brazil e Caroline Maldonado
Vendedores retiram artigos da Copa e vão esperar as Olimpíadas em 2016. (Fotos: Marcos Ermínio)Vendedores retiram artigos da Copa e vão esperar as Olimpíadas em 2016. (Fotos: Marcos Ermínio)
Na segunda-feira, antes das oitavas-de-final, as vendas já tinham caído e a promoção virou chamariz. Na segunda-feira, antes das oitavas-de-final, as vendas já tinham caído e a promoção virou chamariz.

Depois da amarga derrota da seleção brasileira por 7 a 1 para a Alemanha, a quarta-feira amanheceu mais cinzenta no comércio de Campo Grande. O verde e amarelo, dolorosamente, começaram a sair de campo. Hoje pela manhã, lojistas recolhiam parte dos produtos que estavam à venda nas prateleiras à espera do título. Alguns comerciantes acabaram ficando com estoque lotado, já que acreditavam em uma final no Mundial. Agora, vão encaixotar os produtos e esperar as Olimpíadas de 2016.

Veja Mais
Mercadão perde 20% das vendas ao aderir a novo feriado em dia de jogos
Com vendas fracas, comércio apela aos descontos "imperdíveis"

Bandeiras, perucas, cornetas, e até a imitação da taça Jules Rimet, tudo com as cores do país, já não empolgavam mais os clientes hoje (8) cedo, mesmo com a disputa do terceiro lugar, no próximo sábado. O gerente da loja Planeta, Pedro Francisco Magalhães, não teve outra opção, a não ser levar tudo para o depósito. “Vamos encaixotar e guardar para 2016”, disse se referindo aos jogos olímpicos.

O comerciante autônomo, José Carlos Oliveira, comprou muitos adereços na Bolívia para revender no Brasil. Ele conta que vários lojistas exageraram nas compras e acabaram com muitos produtos. Experiente, José disse ainda que já previa a demanda para os primeiros jogos e por isso não teve prejuízos. “Quando jogou com a Colômbia eu consegui vender tudo e não quis mais arriscar porque já tenho experiência de outras Copas”

O gerente Pedro Francisco garante que a empresa não comprou muito além do necessário. Dois meses antes do início do Mundial, a empresa já preparava os utensílios e só estocava conforme o desempenho da seleção. “A gente não faz a loucura de aumentar muito o estoque porque tem esse risco”.

Na primeira fase do mundial, o vendedor Paulo Henrique, lembra que muitos produtos foram vendidos. “A loja (Planeta) teve até que comprar de outras lojas pequenas para repor o estoque”, disse. Com o início das oitavas - de - final, onde o Brasil enfrentou o Chile, o movimento dos clientes começou a cair.
Na segunda-feira, antes das quartas – de – final, para tentar atrair os clientes, a loja apelou fazendo desconto de 50% em todos os artigos da Copa. “Mas não adiantou”, diz o vendedor sobre o medo do torcedor.

No próximo sábado, o Brasil disputa o terceiro lugar no Mundial. O país espera que além das vendas, o time sai vitorioso no fim do dia.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions