A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

26/05/2014 10:14

Artesãos de MS vão vender artigos regionais em 6 sedes da Copa

Luciana Brazil
Biojoias com chifre lapidados também serão expostos à venda. (Foto:Divulgação/ Joais do Pantanal)Biojoias com chifre lapidados também serão expostos à venda. (Foto:Divulgação/ Joais do Pantanal)

Um projeto do Sebrae vai levar para seis cidades sedes da Copa do Mundo o artesanato regional de 18 empresas sul-mato-grossenses, selecionadas para comercializar os produtos durante o Mundial. As obras serão expostas em show-rooms, a maioria em shopping centers ou, em alguns casos, aeroportos. Segundo a gestora do projeto no Estado, Gemima de Oliveira Moreira, a ação deve movimentar, no mínimo, R$ 50 mil.

Veja Mais
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término
Entre a novidade e a decadência, quadrilátero é retrato do comércio

Apesar de não trazer um valor expressivo economicamente, a divulgação do artesanato regional é o principal mote do projeto, denominado Brasil Original. O trabalho dos artistas locais poderá ser encontrado em São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Salvador, Natal e Ceará. Além da Copa do Mundo, o Brasil Original já tem como foco outro grande evento, as Olimpíadas de 2016.

O Sebrae ficará responsável por fazer o transporte das peças para as cidades destino. O envio começa hoje (26). Serão enviados 150 produtos por unidade produtora (empresa). “Inicialmente serão 150 peças por artesão. Dependendo das vendas, se for preciso, enviaremos mais”. As peças serão expostas em estandes que variam entre 200 e 400 metros quadrados.

Desenvolvido pelo Sebrae em várias cidades do país,  a ação já investiu em Mato Grosso do Sul mais de R$ 400 mil, desde o ano passado, quando teve início o processo de capacitação dos profissionais, aplicado na realização de oficinas e consultorias. Além de Campo Grande, profissionais de Naviraí, Rio Brilhante, Itaquiraí, Dourados e Nova Andradina foram selecionados para o projeto. O edital foi lançado em 2012.

 

Bolsa feita de lona da artesão Monique Klein. (Foto: Divulgação/ Campo Grande a Tiracolo)Bolsa feita de lona da artesão Monique Klein. (Foto: Divulgação/ Campo Grande a Tiracolo)

De acordo com Gemima, 18 unidades produtoras do Estado foram selecionadas para a Copa, mas são mais de 100 artesãos envolvidos. “Existem associações que tem mais de 30 artesãos, por isso tem muita gente envolvida”, explicou.

Entre a matéria-prima utilizada estão o vidro reciclado, lona, cabaça, tecidos com pintura, osso, cerâmica, fibra de cana-de-açúcar e bagaço.

“O projeto, desenvolvido pelo Sebrae nacional, quer que o turista conheça o artesanato típico de cada região do país. Mesmo de lugares onde não haverá jogos”, disse Gemima.

Em alguns municípios, as prefeituras se tornaram parceiras do Sebrae ajudando na logística das consultorias e oficinas. A Copa do Mundo acontece entre os dias 12 de junho e 13 de julho.

Atesãos e produtos- Os turistas poderão encontrar produtos que vão desde roupas, bolsas até joias, bonecas e utilitários em cerâmica. Entre os artesãos selecionados, a proprietária da marca Campo Grande a Tiracolo, Monique Klein, 51 anos, diz que a expectativa de vendas é a melhor possível. Veterana em grandes eventos, Monique produz artesanalmente bolsas e sacolas com retalhos ou lonitas de algodão. Malotes reciclados dos Correios também passaram a ser matéria-prima da artesã.

Desta vez, os produtos foram feitos específicos para a temática da Copa do Mundo. "Mesmo que de outra forma, já expus na Copa das Confederações e também na Rio + 20. Agora, os produtos foram feitos especialmente para Copa do Mundo. A expectativa de vendas é a melhor possível", disse.

Outro produto que deve encantar os turistas são as biojoias em chifre lapidado, matéria-prima típica do Pantanal. A empresa Joais do Pantanal, que exporta os produtos desde 2009, utiliza a releitura da região, levando a cultura para dentro da moda, "mas seguindo as tendências", como explicou a uma das proprietárias da marca Isabel Muxseldt, 54 anos. Junto com a sócia Vehuska Pereira, Isabel também acredita no sucesso da ação durante o Mundial. "Estamos acreditando em bons resultados, mas não dá para saber como serão as vendas", frisa.

Peças em cerâmica da artesão Vera Ruth, uma das selecionadas para o Mundial. Peças em cerâmica da artesão Vera Ruth, uma das selecionadas para o Mundial.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions