A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

01/07/2015 19:32

Assembleia faz reunião para apurar suposto monopólio do JBS no Estado

Renata Volpe Haddad
Foi definida audiência pública para apurar possível monopólio do JBS no Estado, em reunião realizada hoje com deputados estaduais. (Foto: Marco Miatelo/Divulgação)Foi definida audiência pública para apurar possível monopólio do JBS no Estado, em reunião realizada hoje com deputados estaduais. (Foto: Marco Miatelo/Divulgação)

A Assembleia Legislativa decidiu abrir audiência pública para apurar o suposto monopólio do frigorífico JBS em Mato Grosso do Sul. A denúncia feita pela Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carne de Mato Grosso do Sul) é para apurar os motivos dos fechamentos de frigoríficos de médio porte no Estado no último ano e saber os motivos do avanço do JBS.

Veja Mais
Associação de frigoríficos quer debater crise e monopólio do JBS em MS
Falta boi para abate e 26 frigoríficos do país já fecharam; 14 deles em MS

De acordo com o deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura e Pecuária, Marcio Fernandes (PT do B), durante a reunião foi analisada a denúncia de monopólio do JBS, e os fechamentos dos frigoríficos do Estado. "O JBS não foi convocado na reunião de hoje, mas vamos ouvi-los no máximo até a próxima semana para sabermos o outro lado", explicou.

O presidente da Assocarnes, João Alberto Dias, esteve presente e pontuou a denúncia como um apelo. "Pedimos aos deputados para que eles olhem para esta causa. Pais de família estão sendo colocados no olho da rua, enquanto deveriam estar sendo contratados. O monopólio é danoso para a economia do Estado e se for apurado que isso esta realmente acontecendo, será enquadrado como crime", afirmou.

O representante dos produtores, presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, comentou que apenas na região de Campo Grande, os frigoríficos existentes têm a capacidade de abater 10 mil cabeças por semana. "E o que ocorre não é isso, se estiverem abatendo 4 mil ainda assim é muito. Essa reunião é uma oportunidade boa para que fique esclarecido o que está acontecendo no Estado", analisou.

Segundo Maia, há dois anos, a Acrissul liderou um movimento no país, criando a Fenapec (Frente Nacional da Pecuária), junto com oito Estados brasileiros e entrou com representação no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), por causa do monopólio dos grandes frigoríficos no Brasil. "Naquele tempo, o Cade notificou e criou normas de quanto cada frigorífico poderia ter de participação no mercado. O que podia ser feito, nós fizemos naquela época", afirmou.

O deputado estadual e presidente da Comissão de Indústria e Comércio, Paulo Côrrea, decidiu abrir a audiência pública, para poder fiscalizar tudo o que está acontecendo e ouvir os dois lados. "Quero todos os presidentes dos Sindicatos Rurais do Estado presentes e cabe a nós, pedir a presença dos representantes de competência", definiu.

A audiência pública ficou agendada para o próximo dia 10 de julho, (sexta-feira), às 08h, no Plenário da Assembleia Legislativa.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions