A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

14/07/2016 08:18

Auditores fiscais da Receita Federal iniciam paralisação nesta quinta em MS

Movimento nacional tenta pressionar o governo federal a enviar ao Congresso Nacional projeto de reajuste salarial dos servidores

Helio de Freitas, de Dourados
Prédio da Receita Federal em Ponta Porã (Foto: Ponta Porã Digital)Prédio da Receita Federal em Ponta Porã (Foto: Ponta Porã Digital)

Os auditores fiscais da Receita Federal em Mato Grosso do Sul iniciam nesta quinta-feira (14) o protesto que tenta pressionar o governo a enviar ao Congresso Nacional o projeto de reajuste salarial da categoria. A paralisação ocorre em todo o país.

Veja Mais
Bancários entram no 25º dia de greve sem previsão de retorno ao trabalho
Com maior carga tributária do mundo, remédios consomem renda dos idosos

Em Mato Grosso do Sul, o principal impacto da paralisação é esperado nas Aduanas da Receita em Corumbá, na fronteira com a Bolívia, e Ponta Porã e Mundo Novo, na fronteira com o Paraguai.

Anderson Akahoshi Novaes, vice-presidente da Delegacia Regional do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil em MS, disse que na delegacia da Receita Federal em Dourados e nas demais cidades fora da fronteira, somente os serviços urgentes, demandas judiciais e atendimento não serão prejudicados.

“Todos os demais serviços serão afetados pela paralisação, o que pode prejudicar o ajuste fiscal do governo federal, tendo em vista a queda na arrecadação”, afirmou.

“A paralisação começa hoje e continuará por tempo indeterminado. Haverá operação padrão e não cumprimento de metas durante todo o período. Nas terças e quintas terá paralisação total das atividades”, disse Novaes.

Nessas cidades, além de paralisar as atividades nas terças e quintas, os auditores vão fazer a chamada operação “pente fino” nos demais dias da semana, o que consiste em intensificar a fiscalização para liberação de cargas e bagagens. Esse tipo de ação provoca filas nos postos aduaneiros.

Filas na fronteira – O auditor fiscal Fábio Galizia Ribeiro de Campos, presidente da Delegacia Regional do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal em Mato Grosso do Sul, disse que a fila de veículos na fronteira será um reflexo natural da paralisação.

Segundo ele, a maior preocupação do governo é com o fluxo de mercadorias durante os Jogos Olímpicos, que começam no dia 5 de agosto. Campos informou que o salário dos auditores está defasado há dez anos.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita, no dia 6 de julho houve uma reunião “decepcionante” com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, na tentativa de destravar o projeto de lei.

O ministro disse aos auditores que existem dificuldades técnicas e jurídicas a serem tratadas sobre a reivindicação da categoria.

Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions