A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

12/06/2014 09:44

Caem vendas no comércio varejista de MS, aponta IBGE

Bruno Chaves
Mesmo com queda nas vendas, receita nominal cresceu 2,7% (Foto: Cleber Gellio)Mesmo com queda nas vendas, receita nominal cresceu 2,7% (Foto: Cleber Gellio)

A Pesquisa Mensal do Comércio, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada nesta quinta-feira (12), revelou que as vendas no comércio varejista de Mato Grosso do Sul caíram 0,60% em abril de 2014. No mesmo período, a receita nominal das vendas cresceu 2,7%. Ambos resultados são em relação ao mês anterior e ajustados sazonalmente.

Veja Mais
Dia das Crianças vai movimentar R$ 146 milhões com R$ 119 por presente
Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa

Os dados estaduais seguem a tendência nacional, uma vez que o volume de vendas no varejo do País caiu 0,4%, com alta de 0,6% na receita nominal. O objetivo da pesquisa do IBGE é produzir indicadores que permitam acompanhar a evolução conjuntural do comércio varejista e de seus principais segmentos.

Em relação à participação dos estados na composição da taxa positiva do Comércio Varejista, na comparação abril e março de 2014, sobressaíram, pela ordem: Roraima (6,1%), Amapá (3%) e Espírito Santo (2,3%).

Dos 14 estados que apresentaram redução nas vendas do comércio, os destaques negativos foram Acre (-3,9%), Maranhão (-3,3%) e Bahia (-3,0%). Mato Grosso do Sul figurou na 10º posição do ranking, com -0,6%.

Das 10 atividades pesquisadas no comércio varejista ampliado, na série com ajuste sazonal, sete tiveram variações negativas no volume de vendas: -0,1% para Móveis e eletrodomésticos; -0,5% em Material de construção; -0,8% em Combustíveis e lubrificantes; -1,0% para Tecidos, vestuário e calçados; -1,4% em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo; -2,6% para Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação; e -2,7% em Livros, jornais, revistas e papelaria.

As atividades que apresentaram resultado positivo foram Veículos e motos, partes e peças (5,4%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,3%); e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,0%).

 

Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
O endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro deste ano, atingindo 58,2%. Apesar do ligeiro crescime...
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano
A taxa de juros do cheque especial subiu em agosto. De acordo com informações do Banco Central (BC), divulgados hoje (28), em Brasília, a taxa do che...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions