A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

23/04/2015 11:15

Caminhoneiros voltam a protestar por tabela do frete em rodovias amanhã

Priscilla Peres
No início de março, caminhoneiros bloquearam rodovias por mais de 10 dias. (Foto: Eliel Oliveira)No início de março, caminhoneiros bloquearam rodovias por mais de 10 dias. (Foto: Eliel Oliveira)

Os caminhoneiros prometem voltar a protestar em rodovias de Mato Grosso do Sul a partir das 7h de amanhã (24). Em reunião com o Governo Federal ontem (22), a classe não entrou em acordo sobre a criação da tabela do frete mínimo, o que motivou novas paralisações em todo o país.

Veja Mais
Lei dos caminhoneiros entra em vigor, mas classe quer nova tabela de frete
Após reunião em Brasília, caminhoneiros acenam para nova paralisação em abril

Hoje, profissionais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso cruzaram os braços em protesto. Esta é a segunda vez neste ano que os caminhoneiros protestam por melhorias trabalhistas, em março eles pararam por mais de 10 dias, o que causou desabastecimento em vários locais do país.

Só que desta vez, a promessa é de que os caminhoneiros ganhem uma força a mais. Isso porque os movimentos contra o governo Dilma Rousseff (PT), pretendem auxiliar as manifestações. Dois protestos já foram feitos no país, pedindo a saída da presidente do poder e demais reivindicações.

O empresário Valcir Francisco da Silva, conta que o movimento dos caminhoneiros é independente, ou seja, não está ligado a sindicatos. Reuniões estão sendo feitas hoje para definir os protestos que começam amanhã, em três pontos de Campo Grande. Nas saídas para Três Lagoas, São Paulo e Corumbá, atingindo das BRs 262 e 163.

Ele afirma que agora "o protesto é pra valer", pois a classe precisa de melhorias urgentes. "Todo trabalho tem seu valor, não tem como você chegar no mercado e estabelecer quanto você quer pagar. Transportador é obrigado a fazer, tem diversas despesas, não tem parâmetro nenhum, por isso que precisa de uma tabela de frete mínimo", conta Valcir.

Na reunião de ontem, o governo rejeitou a criação do frete mínimo. Segundo a Agência Brasil, ao ouvirem a posição, os caminhoneiros abandonaram a reunião, protestando e gritando: “O Brasil vai parar!”.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions