A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

05/09/2014 09:55

Campo Grande tem a maior queda no custo de vida, aponta IBGE

Caroline Maldonado
No grupo alimentação e bebidas, recuo nos preços foi registrado pelo quinto mês consecutivo (Foto: Marcos Ermínio)No grupo alimentação e bebidas, recuo nos preços foi registrado pelo quinto mês consecutivo (Foto: Marcos Ermínio)

Pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de agosto variou 0,07%, recuo inferior a taxa de 0,25 % de julho. Com isso, a alta do custo de vida acumulada no ano em Campo Grande fechou em 3,32%. A queda foi a maior entre as 12 capitais onde a pesquisa foi realizada. 

Veja Mais
Cesta básica está mais barata, mas o churrasco está mais caro
Preço da cesta básica cai pela quarta vez e fica 1,8% menor em agosto

As únicas duas cidades que tiveram variação negativa em agosto foram Campo Grande e Belo Horizonte (MG), com retração de 0,02%. A maior alta no índice foi em Belém, de 0,98%, seguida de Vitória, com 0,91% e Brasília, com 0,65%.

Em todo o país, índice de agosto variou 0,25%, bem acima da taxa de 0,01% de julho. Desse modo, o acumulado no ano fechou em 4,02%, acima dos 3,43% do mesmo período de 2013. Com 0,05 ponto percentual cada, os itens empregado doméstico, cuja alta foi de 1,26%, e energia elétrica, com 1,76%, lideraram o ranking dos principais impactos no índice do mês. Na energia elétrica, o resultado chegou a 1,76% em razão das variações, sendo que Campo Grande teve aumento de 1,38%, no PIS/PASEP/COFINS.

No grupo alimentação e bebidas, com variação negativa de 0,15% em julho e agosto, o recuo nos preços foi registrado pelo quinto mês consecutivo. Nos alimentos consumidos em casa, a queda foi de 0,61%. Na alimentação fora de casa, por sua vez, houve alta de 0,71%, superior ao do mês passado, que foi de 0,52%.

Pesquisa - Calculado pelo IBGE há 34 anos, o IPCA levanta dados das famílias com renda de um a 40 salários mínimos por mês. A pesquisa é feita em dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para o cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 29 de julho a 28 de agosto de 2014 com os preços vigentes no período de 28 de junho a 28 de julho de 2014.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions