A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

10/06/2016 11:32

Clima influencia e cesta básica fica 9,36% mais cara em cinco meses

Priscilla Peres
A batata ficou 80% mais cara em seis meses. (Foto: Arquivo)A batata ficou 80% mais cara em seis meses. (Foto: Arquivo)

A Cesta Básica de Campo Grande ficou 9,36% mais cara nos primeiros cinco meses de 2016, chegando a custar R$ 398,88 no final de maio. No mês passado, a batata foi o produto que mais encareceu, 18,75% seguido do feijão 3,86%, segundo dados da Semade (Secretaria de Desenvolvimento Econômico).

Veja Mais
Cesta básica na Capital fica mais barata em maio e agora custa R$ 401
Puxada pelo feijão e cebola, cesta básica tem alta de 4% em maio

A pesquisa feita pela secretaria estadual mostra que em doze meses, a cesta composta por 15 produtos teve reajuste de 12,90%. A batata foi o item pesquisado que mais subiu em seis meses, registrando aumento de 78,91%.

O motivo do aumento gigantesco são as condições climáticas, principalmente o excesso de chuva, que aconteceu na época da colheita. Também em seis meses, o tomate foi o produto que ficou mais barato, 6,20%.

Outro fator que influencia no preço das hortaliças é o frio. O alface por exemplo, tem queda na redução do consumo, o que consequentemente, queda no preço de 3,22%. Nos últimos 6 meses, os produtos que apresentaram maiores altas nos preços foram: batata, feijão, açúcar cristal, alface, óleo de soja, margarina, arroz, macarrão e pão francês.

Ao confrontar o custo da Cesta Básica Alimentar com a renda mensal, a equipe de analistas técnicos da Semade concluiu que o trabalhador que recebeu um salário mínimo equivalente a R$ 880,00 comprometeu 45,33% da sua renda na compra da Cesta Alimentar. Já no mês anterior comprometeu 44,97%.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions