A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

22/09/2015 18:01

Com alta do dólar, padarias não seguram reajuste e pão fica mais caro

Renata Volpe Haddad
Com dólar alto, preço do pão francês deve subir 6%. (Foto: Fernando Antunes)Com dólar alto, preço do pão francês deve subir 6%. (Foto: Fernando Antunes)

Até outubro, os consumidores vão pagar 6% mais caro no pão francês. Esse reajuste deve-se ao aumento do dólar que chegou a R$ 4 nesta terça-feira (22), sendo o maior valor em 21 anos. Com a valorização da moeda americana, os moinhos já reajustaram o valor do trigo e as panificadoras estão pagando o produto 10% mais caro.

Veja Mais
Em dia de turbulência, dólar fecha acima de R$ 4 pela 1ª vez na história
Cotação do dólar supera R$ 4 e é a mais alta em 21 anos

De acordo com o presidente do Sindepan/MS (Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de Mato Grosso do Sul), Marcelo Alves Barbosa, o repasse é feito através das distribuidoras dos moinhos. "Algumas panificadoras até agora estão segurando o preço por terem ainda o produto no estoque. Porém, conforme for acabando, o comércio vai repassar o valor para os consumidores", afirma.

No início do ano, houve reajuste de 3% a 5% por causa do aumento dos combustíveis e energia elétrica. "A princípio, os consumidores vão pagar até 6% mais caro no pão, mas não é somente este produto que está caro, o açúcar aumentou mais de 10%, pois também é um produto influenciado pelo dólar", alega.

O que colabora também para o aumento nos preços dos produtos vendidos nas panificadoras, é o reajuste salarial dos padeiros em agosto e o valor das embalagens que também encareceram. "Apesar de serem baratas, o valor do pedágio aumentou e contribui com que a embalagem fique 10% mais cara. É uma bola de neve", comenta.

IPC/CG - Segundo os dados do IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor), de janeiro a setembro deste ano, o pão francês teve elevação de 11,26% no preço. Em relação ao mesmo período do ano passado, o índice foi de 3,27%.

 

Maria afirma que mesmo custando caro, não vai deixar de consumir pão francês. (Foto: Fernando Antunes)Maria afirma que mesmo custando caro, não vai deixar de consumir pão francês. (Foto: Fernando Antunes)

Consumo - Mesmo custando caro, alguns consumidores dizem que não deixam de comer pão, ainda mais, o francês.

A diarista Maria Girlani Domingos, 53, afirma que a família não abre mão do produto. "Comemos sempre, lá em casa não pode faltar senão os filhos sentem falta. Mesmo com o preço elevado, a gente dá um jeito e acaba comprando", diz.

O tecnólogo Elson Morais, 54, observou que o preço do pão subiu nos últimos cinco anos. "Tem sempre um motivo pro preço aumentar, mas não deixo de comprar", avalia.

Já o analista Júlio Alves, 44, diz que deixou de comprar o produto por notar que o preço subiu. "Tudo tem subido, principalmente os alimentos e lá em casa resolvemos contar os supérfluos e dar valor em outras coisas que achamos de mais necessidade", afirma.

Em dia de turbulência, dólar fecha acima de R$ 4 pela 1ª vez na história
Em um dia de turbulência no mercado financeiro, a moeda norte-americana fechou acima de R$ 4 pela primeira vez desde a criação do real. O dólar comer...
Cotação do dólar supera R$ 4 e é a mais alta em 21 anos
A cotação do dólar na manhã de hoje (22) alcançou R$ 4 e é a mais alta, desde a criação do Plano Real, em 1994. Às 9h20, a cotação estava em R$ 4,026...
Dólar volta a subir e se aproxima de R$ 4,00, mesmo com intervenção do BC
Apesar da intervenção do Banco Central, a moeda norte-americana voltou a fechar em alta hoje (21), aproximando-se de R$ 4. O dólar comercial encerrou...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions