A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

07/04/2015 12:50

Com feijão, café e pão 4 %mais caros, cesta básica custa mais de R$ 320

Caroline Maldonado
Derivados de trigo encareceram em função de reajuste no preço do gás e a cotação do dólar (Foto: Alcides Neto)Derivados de trigo encareceram em função de reajuste no preço do gás e a cotação do dólar (Foto: Alcides Neto)

O custo da cesta básica em Campo Grande subiu 0,38%, em março. O conjunto de 13 itens alimentícios sai por R$ 327,67, valor superior em R$ 1,24 à quantia registrada em fevereiro, que foi de R$ 326,43, conforme levantamento feito pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos).

Veja Mais
Batata anula efeito de greve de caminhoneiro e cesta fica mais barata
Sem acordo, negociação de bancários e patrões será retomada quarta-feira

Dentre os produtos que pesam no preço da cesta estão o café em pó, que ficou 4,24 % mais caro no último mês; o pão francês, que subiu 4,54 % e o feijão, que teve alta de 4,8 %. No entanto, a banana nanica é o item que mais encareceu, o preço subiu 8,89 %. A alta do feijão está relacionada a redução de aproximadamente 10% na primeira safra brasileira, conforme divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Conforme o levantamento, o açúcar está 2,50 % mais caro, o preço do óleo de soja subiu 3,03 % e o do arroz 2,27 %. A farinha de trigo teve alta de 1,38 %. Tiveram menor reajuste, mas também encareceram a carne bovina (0,11 %) e o leite (0,43 %).

O reajuste no preço do gás e a cotação do dólar, que subiu consideravelmente nos últimos meses e chega a R$ 3,12, devem manter em alta o preço da farinha de trigo e do pão, além de outros derivados.

Amenizaram o custo da cesta, a batata, cujo o preço caiu 5,99 % e o tomate, que ficou 10,08 % mais barato, ambos beneficiados pelas chuvas do mês. A manteiga teve queda de 0,18 % no preço. De acordo com o Diesse, o consumidor não deve esperar o mesmo para os próximos meses em relação ao tomate, pois houve redução da área plantada e o fruto está no período de entressafra.

Com isso, os campo-grandenses pagam o 12º maior valor entre as 18 capitais pesquisadas pelo Dieese. Em 12 meses, no entanto, o preço do conjunto de produtos teve queda de 0,59%. Os moradores da Capital comprometem 45,2 % da renda líquida para adquirir a cesta básica, o que representa 0,17 % a mais do que foi observado em fevereiro (45,03%).

Lidera a lista do preço da cesta básica, o Estado de São Paulo, onde os itens subiram 0,13 % e saem por R$ 379,35. Em Vitória, os moradores pagam R$ 363,62 e variação em março foi de 2,47 %. Porto Alegre fica em terceiro lugar, com alta de 1,75 % e preço em R$ 360,01. A cesta é mais barata em 273,21. Por lá, o preço subiu 3,23 % em março e ficou em R$ 273,21.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions