A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

31/03/2015 11:42

Com preço igual ao de mercado, Feira do Pescado começa com grande procura

Caroline Maldonado
Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos da ceia da Semana Santa (Foto: Marcelo Calazans)Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos da ceia da Semana Santa (Foto: Marcelo Calazans)
Pessoal chegou cedo e aguardou na fila (Foto: Marcelo Calazans)Pessoal chegou cedo e aguardou na fila (Foto: Marcelo Calazans)
O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente, Celso Benites (Foto: Marcelo Calazans)O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente, Celso Benites (Foto: Marcelo Calazans)

A Feira do Pescado, iniciada hoje (31) no estacionamento da Feira Central de Campo Grande, desapontou quem chegou cedo a procura de preços baixos em relação ao dos mercados. Mais de 30 pessoas fizeram fila antes mesmo da feira abrir e alguns até foram embora depois de ver a tabela de preços. Outros, no entanto, levaram em consideração a qualidade das postas e filés de peixe fresco.

Veja Mais
Feira do Pescado da UFMS e Festa do Peixe começam na terça-feira
Refrigerante de erva mate e palestra foram novidades em feira de negócios

A funcionária pública Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos para a Semana Santa. “O preço está o mesmo dos mercados, mas acho que vale a pena comprar por não ser congelado e estar fresquinho, porque um peixe mal condicionado pode até ser prejudicial à saúde. Só que eu vou ao mercado depois, porque não tem peixe inteiro aqui”, comentou.

A feira anunciou que ofereceria também postas de pacu, mas iniciou o atendimento com postas de pintado, a R$ 17,50 e filé de tilápia, a R$ 24,70, além de palmito em posta, a R$ 12,50 e costelinha de tilápia, a R$ 14,50. Cada pessoa pode levar, no máximo, dez quilos.

O aposentado Arabutã Alves Pereira, 63 anos, também esperava preço promocional, mas não desanimou. “Vou levar dois quilos para não perder a viagem, porque acho que o preço está alto, além disso é peixe de cativeiro”, avaliou, ainda na fila.

Até quinta-feira (2) de abril, a feira pretende vender três toneladas, segundo superintendente federal adjunto da Pesca e Aquicultura, Celso Benites, um dos organizadores do evento que está na 13ª edição, em parceria entre UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura), Prefeitura de Campo Grande e Afecetur (Associação da Feira Central e Turismo de Campo Grande).

O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente. “Fizemos pesquisa e é um peixe limpinho, pronto para ir para mesa. Nos mercados, encontramos filé de tilápia por até R$ 29, por exemplo”, argumentou sobre o pescado que é fornecido por um criadouro de Terenos, a 25 quilômetros da Capital. A proprietária é uma empresária, que tem restaurante na cidade. “O preço está bem atrativo. Além disso, foi feita análise nutricional e é um peixe com baixíssimo nível de gordura, que vai render muito mais depois de cozido”, comentou a produtora Heloísa Moura, lembrando que as postas de pintado à venda no mercado são de peixes bem mais magros.

Festa do Peixe - A feira acontece das 8h30 as 21 horas, até quinta-feira. Já a 8ª Festa do Peixe da Feira Central vai até domingo (5), com pescados regionais e preço abaixo do praticado fora da quaresma, no cardápio dos 28 restaurantes.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions