A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

03/06/2015 13:09

Com trechos parados em MS, Rumo ALL investe R$ 2 bilhões no Paraná

Caroline Maldonado
Trechos estão desativados em MS, segundo Sindicato dos Trabalhadores em Ferroviárias de Bauru e Mato Grosso do Sul (Foto: Fernando Antunes)Trechos estão desativados em MS, segundo Sindicato dos Trabalhadores em Ferroviárias de Bauru e Mato Grosso do Sul (Foto: Fernando Antunes)

Em processo de desativação da ferrovia de Mato Grosso do Sul, a Rumo ALL já demitiu 20% do quadro de trabalhadores do setor no Estado e transferiu funcionários para outras regiões. Enquanto alega que o andamento da ferrovia sul-mato-grossense depende da demanda de produtos, a Rumo ALL anuncia investimento de R$ 2 bilhões na malha ferroviária do Paraná, nos próximos 5 anos.

Veja Mais
Pela continuidade da ferrovia, Delcídio diz que trava guerra com Rumo ALL
Presidente da ANTT se compromete a manter ferrovia em MS, diz governador

A aplicação dos recursos resultará em aumento de 60% no volume transportado pelos trilhos paranaenses e o montante faz parte de um pacote que pode chegar a R$ 8 bilhões, em todo o país até 2020, conforme noticiado pelo jornal Gazeta do Povo. No entanto, a Rumo ALL não fez anúncio de qualquer investimento em Mato Grosso do Sul.

Em entrevista à Gazeta, o vice-presidente das operações Sul da Rumo ALL, Darlan de David, afirma que o Paraná deve ser contemplado com a maioria dos recursos. “Nosso foco é o Paraná, em especial o corredor para escoamento de grãos de Londrina e Maringá até Paranaguá”, diz.

O anúncio dos investimentos confirma as previsões do Sindicato dos Trabalhadores em Ferroviárias de Bauru e Mato Grosso do Sul. Há tempos, a entidade alerta que desde a fusão entre a Rumo e ALL, ocorrida em 2006, é nítido que a empresa tem deixado de investir em MS para potencializar a malha ferroviária do Paraná.

A empresa não confirma demissões ou transferências, que são divulgadas pelo sindicato. A ANTT notificou a Rumo ALL pedindo esclarecimentos quanto a possível suspensão do tráfego em MS. O grupo não admite a suspensão, apenas afirma que “estão sendo feitos ajustes operacionais, investimentos estudados e que a continuidade das operações depende de demanda de produtos”.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) já se reuniu com a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), em Brasília, para discutir os prejuízos da possível desativação de trechos em MS e prevê se reunir com a direção da Rumo ALL no próximo dia 12 para cobrar o cumprimento do contrato e a continuidade dos investimentos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions