A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

07/08/2016 11:25

Consumo aumenta, produção cai e preço do mel na Capital sobe 12%

Fernanda Yafusso
Embalagens de mel tiveram um aumento de 12% em relação ao ano passado (Foto Alcides Neto)Embalagens de mel tiveram um aumento de 12% em relação ao ano passado (Foto Alcides Neto)

Considerado um dos alimentos mais nutritivos e base para inúmeras receitas, o mel teve um aumento de 12% em Campo Grande, de acordo com pesquisa realizada pelo Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Uniderp. O reajuste se deve a maior procura e queda na produção dos últimos três anos.

Veja Mais
Uma das maiores do mundo, fábrica de celulose da Fibria está 54% concluída
Sem acordo, negociação de bancários e patrões será retomada quarta-feira

Na Capital, é possível encontrar embalagens de 1 quilo por R$ R$ 45,90. De acordo com Gustavo Bijos, presidente da FEAMS (Federação de Apicultura e Meliponicultura de Mato Grosso do Sul), a redução no número de produtores teve impacto ainda maior por causa de leve crescimento no consumo. 

"O que aconteceu foi o aumento na demanda pelo produto, mesmo com o mel sendo considerado como um remédio e não um alimento, existe essa procura. Questões climáticas também interferem diretamente na produção das colmeias. Porém, este foi o último ano em que estamos enfrentando a seca em algumas regiões produtoras."

Ainda segundo Bijos, Mato Grosso do Sul ainda está dentro da normalidade em relação a produção de mel, se comparado a outros estados que estão enfrentando a seca. Por exemplo como norte de Mato Grosso, e parte do Norte e Nordeste do País. Para este ano, a previsão é de que haja uma safra melhor do que a do último ano, quando houve uma queda de 50%.

 

Entre junho e julho de 2016, houve uma queda de 3% nos preços da embalagem com 450 gramas (Foto Alcides Neto)Entre junho e julho de 2016, houve uma queda de 3% nos preços da embalagem com 450 gramas (Foto Alcides Neto)

Mato Grosso do Sul produz atualmente 840 toneladas por ano de mel, e mesmo assim não consegue abastecer o próprio mercado, apesar de existir espaço para crescimento das apicultura, diz o presidente da FAEMS.

Venda - Para os empresários do ramo o motivo do reajuste é outro. Os preços das embalagens de mel chegaram a aumentar 20% se comparado ao ano de 2015. Alguns atribuem essa elevação aos impostos e a crise econômica pela qual o País enfrenta.

De acordo com a proprietária e nutricionista da Bela Vida Produtos Naturais, o reajuste foi efeito tamb ém do frete mais caro e do imposto pagos.

"Tudo depende da matéria prima, do frete cobrado pelo transporte, o imposto também. Apesar do impacto, os clientes estão mantendo as compras e por ser uma loja especializada em produtos naturais, eles não estão reclamando dos valores pois estão buscando qualidade ao invés do preço".

Já o proprietário da Kigohan, Mario Cesar Oshiro, diz que as vendas estão paradas nesse período e acredita que o fato principal é a crise financeira. "Houve um aumento de 10% nos preços em relação ao ano passado. Mas eu acredito que seja a correção da inflação. Não só esse setor como todos os outros tiveram esse reajuste".




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions